UE deve apoiar investigações sobre crimes de guerra da Rússia

Roberta Metsola, presidente do Parlamento Europeu, fez a declaração hoje
-Publicidade-
Roberta Metsola, presidente do Parlamento Europeu, com manifestantes pró-Ucrânia
Roberta Metsola, presidente do Parlamento Europeu, com manifestantes pró-Ucrânia | Foto: Reprodução/Redes sociais

A União Europeia (UE) deve dar total apoio para que o Tribunal de Haia investigue possíveis crimes de guerra da Rússia na invasão da Ucrânia. A declaração é de Roberta Metsola, presidente do Parlamento Europeu (PE).

“Vamos apoiar a jurisdição do Tribunal de Haia para investigar crimes de guerra na Ucrânia e para responsabilizar o presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko”, disse Roberta, ao abrir a sessão plenária extraordinária do PE nesta terça-feira, 1º. Em sua opinião, o bloco está “diante de uma ameaça existencial à Europa que conhecemos”.

-Publicidade-

“Reconhecemos a perspectiva europeia da Ucrânia e, conforme estabelece nossa resolução e como já disse ao presidente [ucraniano Volodymyr Zelensky], levaremos em conta a solicitação ucraniana de ingresso na União Europeia”, declarou. “Trabalharemos neste sentido porque temos de enfrentar o futuro em conjunto.”

Roberta disse ainda que a “Europa não pode continuar dependendo do gás vendido pela Rússia” e nem ter sua segurança energética “nas mãos de autocratas”. Ela também “falou em lutar contra campanhas de desinformação do Kremlin” e em limitar o poder dos oligarcas russos na UE.

“Os oligarcas de Putin, aqueles que o financiam, não devem continuar utilizando seu poder econômico para se esconder em nossas cidades ou clubes esportivos atrás de uma falsa respeitabilidade”, disse Roberta. “Seus iates não devem poder entrar em mais nenhum porto da Europa e não podemos continuar vendendo passaportes [e a cidadania] aos amigos de Putin.”

Crimes de guerra da Rússia

A Ucrânia se defende de uma invasão russa que teve início na quinta-feira 24. Imagens do conflito mostram residências sendo atingidas pelo Exército russo. No sábado 26, o governo ucraniano divulgou que quase 200 civis já haviam sido mortos, sendo três crianças.

A escalada de violência levou o presidente ucraniano a anunciar no domingo 29 que abriria uma denúncia contra a Rússia no Tribunal de Haia.

Leia também: “A Ucrânia balança o mundo”, reportagem publicada na Edição 101 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Essa guerra é para homens e mulheres de verdade, e não para os europeus sensíveis do Oeste.

    Se querem derrotar o império russo terão que pegar em armas e ir para o front, não há outro caminho. Como isso não vai acontecer.

    O destino da Ucrânia é capitular, cercada de covardes armados.

  2. É burrice ou maldade imaginar que uma potência nuclear será contida por burocratas globalistas. Estão empurrando o mundo para a beirada do precipício.

  3. As reservas da Rússia têm de ser bloqueadas para a cobertura de todos os danos morais e materiais causados por este ataque à Ucrânia. Todas as vítimas deste ataque merecem indenização do governo russo pela destruição e prejuízos.

  4. É muita gente querendo aparecer. Até o Eduardo Paes proibiu a exportação de tamborins e chapeuzinhos de malandro para Moscou. João Doria proibiu a exportação de sapatenis e calcinhas apertadas para a Rússia, mas liberou a exportação da Coronavac por motivos humanitários.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.