UE não quer ‘tensões com a China’ e busca acordo comercial

Chanceler do bloco objetiva a ratificação de um tratado firmado entre as partes
-Publicidade-
O secretário-geral do PCC, Xi Jinping
O secretário-geral do PCC, Xi Jinping | Foto: Paul Kagame/Flickr

O embaixador da União Europeia (UE) na China, Nicolas Chapuis, informou que os países do bloco não querem “uma escalada de tensões” com o Partido Comunista (PCC). Segundo o chanceler, é necessária a ratificação de um acordo comercial entre as duas partes, fechado em 2020. “Não estamos procurando uma escalada”, informou o diplomata, em entrevista coletiva, na sexta-feira 7.

Apesar das tensões, os contatos de alto nível continuam entre a China e os países do bloco e Pequim “parece querer continuar o diálogo”, acrescentou Chapuis. No ano passado, a UE e o PCC impuseram sanções mútuas. Tudo começou depois de os europeus retaliarem a China por escravizar a minoria muçulmana uigur. Em consequência, o PCC devolveu as sanções a congressistas do Parlamento Europeu.

-Publicidade-

Leia também: “O jogo do gigante”, reportagem publicada na Edição 58 da Revista Oeste

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site