Uso de Rivotril na Argentina dispara, e farmácias enfrentam escassez

Medicamento foi muito prescrito durante a pandemia de coronavírus e em virtude da crise econômica do país
-Publicidade-
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice-presidente, Cristina Kirchner, durante a posse presidencial - 10/12/2019 | Foto: Reprodução/Instagram/Alberto Fernández
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice-presidente, Cristina Kirchner, durante a posse presidencial - 10/12/2019 | Foto: Reprodução/Instagram/Alberto Fernández

A pandemia de covid-19 e a crise econômica aumentaram o uso de Rivotril na Argentina em quase 5%. Há alguns meses, contudo, o remédio desapareceu das gôndolas e sites de farmácias do país, gerando pânico nas pessoas, informou o jornal La Nacion, em reportagem publicada na quinta-feira 11.

Conforme a notícia, atualmente, pouco mais de 5 milhões de pessoas fazem uso do Rivotril na Argentina, quantidade considerada muito alta para as autoridades sanitárias do país, que tem 46 milhões de habitantes.

La Nacion mostrou ainda que o Rivotril foi muito prescrito durante a pandemia em virtude dos inúmeros ataques de pânico e transtornos de ansiedade. O medicamento se tornou comum entre as pessoas.

-Publicidade-

As principais razões para a escassez do remédio estão ligadas ao alto consumo da droga e à transferência de propriedade do remédio da distribuidora Investi Farma para a Biopas Argentina. A empresa garantiu que está agilizando o processo para levar o Rivotril às prateleiras das farmácias.

“A pandemia de covid-19, que até hoje assola o mundo inteiro, sempre teve outra por trás, batizada por psiquiatras, neurocientistas e epidemiologistas como a pandemia mental, aquela que desencadeou os números do consumo de psicofármacos”, informou o mais recente relatório da Confederação Farmacêutica Argentina.

Leia também: “Peronismo à brasileira”, reportagem de Silvio Navarro publicada na Edição 121 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. Ainda está valendo: argentino é um miserável italiano misturado com nazistas e a corja européia, que falam espanhol e pensam que são ingleses.
    Os argentinos arrogantes, e agora, miseráveis, meros pedintes de rua, merecem o governo que tem.

  2. A esquerda eh ótima e ferrar todos e em tudo, impressionante!!! Bem, soh de olha a cara desses dois aí da foto, preciso de omeprazol!!!

  3. Se o ladrão descondenado ganhar a eleição os cidadãos que não aceitarem a escravização peja quadrilha assassina não terá grana pro Lexotan e restará o suicídio em massa com chumbinho mata rato.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.