Vacina inovadora sem agulha começa a ser testada no Reino Unido

O Dios-CoVax será aplicado por meio de um jato de ar que injeta o imunizante na pele
-Publicidade-
A injeção sem agulhas gera uma explosão de ar que injeta o composto na pele
A injeção sem agulhas gera uma explosão de ar que injeta o composto na pele | Foto: Reprodução/Universidade de Cambridge

Uma nova vacina contra a covid-19, com uma técnica inovadora de aplicação, começou a ser testada em humanos na terça-feira 14, no Reino Unido.

Sem fazer o uso de agulha, a vacina será dada por meio de um jato de ar, que injeta o composto na pele — com uma explosão de ar.

Além disso, o imunizante usa como alvo várias estruturas comuns de coronavírus Beta, e não a proteína spike — que vem sofrendo mutações

-Publicidade-

Assim, os cientistas acreditam que ela poderá proteger não só contra futuras variantes, como também de novas pandemias causadas por outros coronavírus.

Os primeiros ensaios do Dios-CoVax estão sendo realizados pelo NIHR Southampton Clinical Research Facility.

“A resposta das comunidades científica e médica ao desenvolvimento e à entrega das vacinas tem sido incrível, mas, conforme surgem novas variantes e a imunidade começa a diminuir, precisamos de tecnologias mais novas”, disse Jonathan Heeney, professor da Universidade de Cambridge e responsável pelo desenvolvimento da vacina.

“É o primeiro passo em direção a uma vacina universal de coronavírus que estamos desenvolvendo, protegendo-nos não apenas de variantes da covid-19, mas de futuros coronavírus”, explicou.

Como funciona a vacina

Enquanto a maioria das vacinas covid-19 usam a sequência do RNA para a proteína spike do coronavírus, essa nova tecnologia usa métodos preditivos para codificar antígenos mais amplos, que aparecem em variados tipos de coronavírus, dando assim uma proteção mais ampla.

O coronavírus está em constante mutação, e a própria proteína spike do vírus está mudando. Para contornar esse problema, a equipe de pesquisadores buscou novos tipos de antígenos, que são os mesmos em coronavírus que ocorrem na natureza, incluindo em animais que os carregam, como morcegos.

As células imunológicas do corpo captam o vetor, decodificam o antígeno da vacina Dios e apresentam as informações ao sistema imunológico.

Isso, por sua vez, produz anticorpos neutralizantes, que bloqueiam a infecção pelo vírus.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Tecnologia vintage repaginada no intuito de suavizar as inúmeras “mortes súbitas” e ataques cardíacos de jovens que acontecem todo dia.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.