Vacinados representam a maioria das mortes por covid nos EUA

Números de agosto mostram que mais pessoas vacinadas morreram do que as não vacinadas

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Vacinas da Pfizer e Moderna são as autorizadas nos Estados Unidos | Foto: Reprodução/Redes sociais
Vacinas da Pfizer e Moderna são as autorizadas nos Estados Unidos | Foto: Reprodução/Redes sociais

Pela primeira vez, a maioria dos americanos morrendo de covid-19 recebeu pelo menos as doses iniciais da vacina. Isso foi o que revelou uma análise feita por Cynthia Cox, vice-presidente da Kaiser Family Foundation, para o boletim Health 202 do The Washington Post.

De acordo com os dados publicados na quarta-feira 23, 58% das mortes por covid em agosto foram de pessoas vacinadas com as doses iniciais ou mesmo com as doses de reforço. Segundo o estudo, trata-se da continuação de uma tendência que surgiu no ano passado.

À medida que as taxas de vacinação aumentaram e novas variantes apareceram, a proporção de mortes de pessoas vacinadas aumentou constantemente. Em setembro de 2021, as pessoas vacinadas representavam apenas 23% das mortes por coronavírus. Em janeiro e fevereiro deste ano, subiu para 42%.

-Publicidade-

A autora do estudo afirmou que “não podemos mais dizer que esta é uma pandemia dos não vacinados”.

Nos Estados Unidos, os órgãos de saúde têm recomendado que as pessoas se mantenham com a vacina em dia, recebendo regularmente as doses de reforço, conforme previsto no calendário oficial.

O consultor de saúde pública da Casa Branca, Anthony Fauci, que deve se aposentar no próximo mês, pediu na quarta-feira 23, em seu provável último comunicado de imprensa, que as pessoas se vacinem. “Para sua própria segurança e de sua família, receba sua vacina covid-19 atualizada assim que for elegível.”.

Cynthia Cox, como muitos especialistas, diz que não está surpresa com a mudança na proporção. Há algumas razões, de acordo com a autora do estudo:

  • Neste ponto da pandemia, a maioria dos americanos recebeu pelo menos sua série primária de vacinas contra a covid. Portanto, faz sentido que as pessoas vacinadas representem uma parcela maior das mortes.
  • Indivíduos com maior risco de morrer de infecção por coronavírus, como idosos, também têm maior probabilidade de receber as vacinas.
  • As vacinas perdem eficiência contra o vírus ao longo do tempo e surgem variantes que são mais capazes de resistir às vacinas.
  • A subvariante BA.5 ômicron tornou-se dominante em julho e consistentemente foi responsável pela maioria das novas infecções por coronavírus nos Estados Unidos até o início deste mês. A cepa altamente transmissível alimentou uma onda de novas infecções, reinfecções e hospitalizações durante o verão.
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

36 comentários Ver comentários

  1. Pessoal, será que não tem um erro nos dados? Se, em agosto (de 2022?) as mortes por Covid de pessoas vacinadas eram de 23,58%, como é que esse percentual pode ser “a maioria das mortes por Covid nos EUA”??? Não teria que ser mais de 50%????

      1. Opa, pensando melhor, se a maioria das pessoas está vacinada, obviamente que as eventuais mortes recairão sobre esse público.

  2. A chamada é capciosa, pois pode levar a entender que a vacinação aumenta o risco de morte por COVID. Está amplamente comprovado que a vacinação efetivamente reduz o risco de internação e morte poressa doença. Se você tem a grande maioria da população de vacinados e a vacina não é 100% efetiva (como de fato não é), matematicamente teremos mais ortes em vacinados do que não vacinados. O dado epidemiologicamente relevante é o risco de morte entre os não vacinados, comparado com o risco de morte entre os vacinados.

  3. Acredito que esta linha de jornalismo, alarmista, já se provou ineficaz e coloca em xeque a isenção do meio de comunicação. Pergunto: 1. Qual a taxa de mortalidade atual? 2.Qual a distribuição etária dos vacinados que foram a óbito? 3. Quantos tiveram as duas doses ao menos? Abracos

  4. É “óbvio” que a taxa de mortalidade ia ser maior por quem tomou a vacina, segundo essa pesquisa, se quase todo mundo já tomaram a vacina nos EUA, os americanos estão mais em dia que os brasileiros. Agora quererem fazer uma comparação por quem não tomou a vacina, só podem estar de brincadeira com essa matéria. É uma vacina inicial sempre dará problemas, olha quanto tempo demorou para a vacina da gripe chegar a um bom resultado, foram anos de imunização e pesquisas, a vacina do covid esta cada vez mais se aprimorando, e devemos ajudar para que ela se fortaleça cada vez mais. Vamos se preocupar mais com a saúde, parar de fazer fake news, por causa de muitos comentários idiotas desses, milhões de crianças ficaram de ser vacinadas, pela poliomielite por exemplo. Todas as vacinas foram e serão bem vindas.

      1. “NÃO, VAI SER A MINHA BICLETA A COBAIA” Óbvio, que alguém “humano” tem que ser a cobaia, e também , vai ser cobaia quem quiser ser, e for “macho pra isso”, não é assim que o bolsonaro falava? para quem tinha medo da covid, ué agora estão “arregando” para ser uma cobaia? Como acha que vamos aprovar uma vacina ou um remédio sem ter uma cobaia, “só rezar e dizer glória a Deus não vai adiantar”. E eu, já estou pronto para ser uma cobaia se me chamarem para um novo remédio para diabetes, que estão perto de aprovar, por que eu sim não tenho medo de testar algo que vai ser benéfico pra mim e para os outros. Agora ser machão e sair ai contaminando os outros, sem saber a gravidade da situação é fácil, agora vir a falecer uma pessoa próxima da gente que sempre teve muita saúde, é bem difícil. Pensa no que eu te falei, e isso vale pra muitos que estão aqui brincando com essa doença. Ajudar, ou ter a intenção de ajudar de qualquer forma, mesmo que “nos arriscamos para isso”, (sem por outro em risco) já é alguma coisa.

  5. Até 2019 vacinados para qualquer doença viral eram zero mortes! Agora são maioria, transmitem, pegam , etc… um engodo do começo ao fim. Eu aconselho a todos assistirem ao documentário abaixo e tirem as próprias conclusões:
    https://rumble.com/v1wqy70-died-suddenly-stew-peters-211122-legendado.html

  6. Gostaria de saber o motivo de todas as vezes de matérias “polêmicas”, a página fica instável…. hacker??? Uma coisa é certa: muitas pessoas saudáveis morrendo de uma para outra… Percebi que após essas vacinas eu costume ficar resfriada com mais frequência. O que nunca aconteceu, sempre foi raro me resfriar. Vai saber.

  7. É preciso ser muito imbecil ou tendencioso para distorcer as palavras da Cynthia Cox.

    O que ela diz é que a quantidade de mortes por COVID-19 tem aumentado entre as pessoas que não tomaram as suas doses de reforço porque o efeito da vacina diminiu com o tempo.

    Daí ela recomenda às pessoas atualisarem as suas doses.

    Desculpe mas a sua propaganda anti-vacina não colou !

    https://twitter.com/cynthiaccox/status/1595418316591374336?s=46&t=KhUby59DlBOck1COe3pulw

    1. não idiota. Se as pessoas tomaram pelo menos duas doses, subentende-se que sua imunidade estaria melhor, e não é o caso. Isso não é propaganda anti-vacina é alerta a uma vacina experimental que não tem comprovação científica e é altamente perigosa para a saúde. Independente de diminuir com o tepmo ou não, o fato é que quem não tomou, está morrendo menos, estatística básica.

  8. Ue! qual a novidade disso, ninguem disse que a vacina era para se tornar eterno ou disse eu não me ative? Que conclusão extraordinária!

  9. Esses dados não permitem avaliar efetividade (parcial) ou não da vacina na mortalidade Covid. O relevante é o percentual de mortes dentre os que tomaram e dentre os que não tomaram vacina. Como a maioria tomou, não é surpresa ver mais mortes nesse grupo. Estatística básica.

    1. Até 2019 vacinados para qualquer doença viral eram zero mortes! Agora são maioria, transmitem, pegam , etc… um engodo do começo ao fim. Eu aconselho a todos assistirem o documentário e tirem as próprias conclusões:
      https://rumble.com/v1wqy70-died-suddenly-stew-peters-211122-legendado.html

  10. Nao fiquem preocupados com a nova pandemia do covid em 2023, muitos irao morrer de fome, violencia, e muitas outras causas que sempre acompanham os governos socialistas comunistas. O Povo brasileiro ira passar por coisas que bem merece, simplesmente pela razao de nao lutarem pela liberdade, a extinçao dos partidos comunistas no Brasil, ficarem inertes diante das injustiças, votarem reiteradas vezes nos mesmos corruptos. TENHO UM CONSELHO FAÇAM UM “”L”” BEM GRANDE E VIVAM O APOCALIPSE BRASILEIRO.

    1. Tomara que todos os presidentes e governadores eleitos no Brasil façam um bom trabalho, como eu torci bastante, para o bolsonaro fazer a parte dele também, mesmo eu não votando nele. Mas, “infelizmente” eu vi muito pouco da parte dele. Não fico aqui “gorando” o nosso país, para que tenha mais fome e violência, simplesmente devemos apoiar ambos os lados, e que todos façam um bom trabalho, já que, colocaram 100 parlamentares do lado bolsonarista, acredito que também farão um bom trabalho, se passarmos fome em 2023, a culpa será de ambos, não só do L.

  11. Isso está se configurando como uma ferramenta de controle populacional através da eliminação pura e simples da população. Algo de fazer inveja ao Dr. Josef Mengele. Só saberemos após a terceira onda, porém essa segunda reinfecção já está a indicar essa tendência. Mas, quem quiser continuar se arriscando, fiquem à vontade. A vida é de vocês. Outras ondas virão, para a alegria de alguns canalhas.

    1. “Neste ponto da pandemia, a maioria dos americanos recebeu pelo menos sua série primária de vacinas contra a covid. Portanto, faz sentido que as pessoas vacinadas representem uma parcela maior das mortes”.
      – Entendi aqui que: A maioria dos americanos recebeu as primeiras doses, então é crível que haja maior número de mortes nesse grupo. A coisa se resume apenas em uma questão estatística e não na eficiência do medicamento! Durma-se com um barulho desses.

      1. não idiota. Se as pessoas tomaram pelo menos duas doses, subentende-se que sua imunidade estaria melhor, e não é o caso. Isso não é propaganda anti-vacina é alerta a uma vacina experimental que não tem comprovação científica e é altamente perigosa para a saúde. Independente de diminuir com o tepmo ou não, o fato é que quem não tomou, está morrendo menos, estatística básica.

      2. Moro nos EUA, recebi as usa primeiras doses da Pfizer em Fevereiro e Março de 2021. Em Agosto do mesmo ano contraí o vírius, foram dois dias de tosse e 10 dias sem olfato. Em Outubro do mesmo ano fui ao Brasil e fiz o teste de anticorpos ( só pra quem já teve a doença) e o resultado foi “uma quantidade enorme de anticorpos”, Em Março e Aetembro deste ano fui novamente ao Brasil e repeti o exame. Resultado igual, número elevado de anticorpos.
        Conclusão, a vacina não adiantou nada!

      3. Alberto! Só pra resumir o que você falou, se você disse que a vacina “inicial” não adiantou em nada, parece que não foi só a vacina que não adiantou. Você falou que estava com uma quantidade “enorme” de anticorpos, e mesmo assim você ficou doente, por que os anticorpos não te salvaram? E ainda, você veio para o Brasil se consultar, não tinha como se examinar pelos EUA? Meio estranho isso que você falou, e mesmo assim, ainda querendo culpar só a vacina, e sabendo que era uma vacina inicial, querendo tocar a culpa só na vacina? Ta, mais por que ninguém aqui chuta o balde com a “cloroquina”, era dito o remédio milagroso 100% aprovado. E as vacinas sempre levando “preconceito”, mesmo os cientistas “dizendo” que não era 100%. A vacina do covid ficara melhor ao longo de anos, e a da gripe esta muito perto de 99% de eficácia, depois de quase duas décadas.

  12. Então, deixe-me entender: quanto mais pessoas vacinadas, mais pessoas vacindas morrem? Veja a vacina da Poliomielite por exemplo: “Qual é a efetividade da vacina Sabin? Ambas as vacinas, a Salk (injetável) e a Sabin (“gotinha”) são igualmente eficazes contra a poliomielite. Com a vacina Sabin, cerca de 95% dos vacinados ficam imunizados após duas doses e 99 a 100% após a terceira dose.”, ou seja, tomou as gotinhas, está imune. Isso, mesmo com as mais rápidas, enfiadas nas pessoas goela abaixo e milagrosas vacinas, não vale para COVID/19?”

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.