Bolsonaro defende meio ambiente e liberdade religiosa

Edição da semana

Em 22 set 2020, 09:40

Bolsonaro defende meio ambiente e liberdade religiosa

22 set 2020, 09:40

Na ONU, presidente abordou também as estratégias do Brasil para vencer a pandemia de coronavírus

bolsonaro

Sessão de abertura da 74ª edição da Assembleia-Geral das Nações Unidas, em 2019
Foto: Alan Santos/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro discursou nesta terça-feira, 22, na abertura da 75ª edição da Assembleia- Geral das Nações Unidas. Desde 1949, um representante brasileiro é o primeiro a falar. Com duração de 15 minutos, o pronunciamento ocorreu por meio de vídeo em razão da pandemia de coronavírus. Bolsonaro iniciou a fala lamentando as mortes em razão da covid-19. E recordou que as estratégias de combate ao coronavírus ficaram sob responsabilidade de Estados e municípios, depois de decisão do Supremo Tribunal Federal.

“Em primeiro lugar, quero lamentar cada morte ocorrida. Desde o princípio, alertei em meu país que tínhamos dois problemas para resolver: o vírus e o desemprego. Por decisão judicial, todas as medidas de isolamento e restrição de liberdade foram delegadas aos governadores das unidades da Federação”, afirmou o presidente, ao mencionar as políticas do governo federal para salvar a economia, como o “coronavoucher” de R$ 600, o crédito a empresas (o Pronampe), insumos para a hidroxicloroquina e o socorro à população indígena.

“Implementamos medidas econômicas que evitaram um mal maior”, observou Bolsonaro. Conforme o presidente, o Brasil deixou para trás o legado protecionista e, no cenário pós-coronavírus, está aberto para firmar novas parcerias comerciais com outros países. Bolsonaro também relembrou a aprovação da reforma da Previdência, o envio das mudanças administrativas ao Congresso Nacional e o compromisso de nosso país com o acordo Brasil-Mercosul.

Meio ambiente

Bolsonaro aproveitou para rebater críticas de outros países acerca da política ambiental brasileira. E salientou que o país vive sob intensa campanha de desinformação acerca da Amazônia e do Pantanal, por parte da comunidade internacional e setores da imprensa. “Lembro que a região amazônica é maior que toda a Europa Ocidental. Dessa forma, é difícil combater os focos de incêndio e a biopirataria. O nosso Pantanal, área maior que a de muitos países europeus, assim como a Califórnia, sofre com os mesmos problemas”, lamentou. E recordou o derramamento de óleo venezuelano que atingiu a costa brasileira, em 2019. “Fomos vítimas de um crime”, garantiu Bolsonaro.

Ao encerrar a fala, o presidente fez um apelo pela “liberdade religiosa” e pediu combate à “cristofobia”. Ressaltou também que o país, segundo ele, está preocupado com o terrorismo em todo o mundo. O tema do encontro da Assembleia da ONU neste ano é “O futuro que queremos, as Nações Unidas de que precisamos: reafirmar nosso compromisso coletivo com o multilateralismo — enfrentando a covid-19 por meio de uma ação multilateral efetiva”. Depois do pronunciamento de Bolsonaro, serão transmitidos os discursos dos presidentes Donald Trump (Estados Unidos), Tayyip Erdogan (Turquia), Xi Jinping (China) e Sebastián Piñera (Chile).

Assista ao vídeo

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

11 Comentários

  1. Segundo “assessores próximos ao Presidente”, o discurso será um soco na lacrosfera ambiental e comunas!!

    Responder
    • Não revelo as minhas “fontes”. rsrsrsrs

      Responder
  2. Assisti ao discurso e foi muito bom… colocou o dedo nas feridas e deu várias bofetadas “com luva de pelica” como se dizia antigamente!
    Para desespero da bugrada da esquerdalha:
    Discurso de estadista!

    Responder
  3. Parabéns, Presida!! Falou bonito!!

    Responder
  4. Parabéns presidente Bolsonaro! expressou o que o mundo precisa saber sobre a realidade brasileira.

    Responder
  5. Parabéns Capita, é só fazer o feijão com arroz: não mentir e respeitar todos os Brasileiros. Fazer propaganda daquilo que fizemos e estamos fazendo.
    O melhor estadista dos últimos tempos, competente na escolha do seu Ministério, com pessoas comprometidas e que não estão aí prá trair a Nação.

    Responder
  6. Terrorismo: esse deve ser o próximo passo das organizações violentas que estão sendo estranhamente protegidas por uma parte da justiça (como por exemplo as organizações criminosas do RJ e BA, o Black Lives Matter, e afins), caso haja vitória de Trump nos EUA e o fortalecimento do liberalismo e conservadorismo no Brasil e outros países.

    Responder
  7. O Brasil deveria seguir os passos dos EUA e abandonar a OMS e em seguida cortar a ONU.
    Chega da ONU e suas manobras absurdas.
    O documento distribuído por essa organização contra os cristãos é absurdo, o maior país Cristão do mundo tem que dar o exemplo, #BrasilForaDaOnu já!

    Responder
  8. Discurso objetivo e contundente!

    Responder
  9. Presidente Bolsonaro permaneça com o seu lema de falar sempre a verdade.
    Isso o levou a uma vitória esmagadora sobre um mecanismo poderoso e corrupto e, certamente o levará a reeleição.
    O que fez a esquerda perder meu voto e o de milhões de brasileiros , foram as promessas mentirosas, a corrupção e uma inversão de valores a favor da criminalidade.
    Isso tudo apoiada por uma mídia visivelmente parcial e corrompida.

    Responder
  10. Parabéns Presidente, ótimo discurso. Continue nessa senda de verdade, honestidade e coragem , além da sua sempre firme determinação de colocar nosso Brasil no caminho correto e da sua merecida grandeza..

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês