'Não foi por invalidez', afirma Celso de Mello sobre sua aposentadoria

Edição da semana

Em 26 set 2020, 10:30

‘Não foi por invalidez’, afirma Celso de Mello sobre sua aposentadoria

26 set 2020, 10:30

A aposentadoria do decano do Supremo Tribunal Federal foi antecipada para o dia 13 de outubro

aposentadoria

Ministro deixa a Corte no dia 13 de outubro | Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, rebateu as críticas sobre a antecipação de sua aposentadoria, anunciada nesta sexta-feira, 25. De acordo com ele, o pedido é voluntário e não por invalidez.

“Não, não foi por invalidez. Foi uma simples e voluntária aposentadoria, eis que possuo pouco mais de 52 anos de serviço público”, disse o ministro.  A aposentadoria do decano foi antecipada para o dia 13 de outubro.

Inicialmente o ministro iria se aposentar em 1º de novembro, quando completará 75 anos. Ele participará de julgamentos importantes antes da aposentadoria, como a definição da maneira como o presidente deve prestar depoimento — presencialmente ou se pode ser por escrito — no inquérito que investiga a suposta interferência dele na Polícia Federal.

“Cabe também enfatizar que essa aposentadoria, de caráter voluntário, ao contrário do que sugerido por blogs e outros meios de comunicação, não tem qualquer relação com alegadas “divergências internas” no Supremo Tribunal Federal, muito menos com o andamento do Inq 4.831/DF, que envolve o Presidente Bolsonaro e o ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro”, afirmou o STF em nota.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

14 Comentários

  1. Quanto mais cedo sair, melhor para o Brasil!

    Responder
  2. SAI LOGO!!

    Responder
    • Mentiroso, prove que não é por invalidez!

      Responder
  3. Já vai tarde.

    Responder
  4. Se aposenta, mas não com boa saúde, será pq. Aqui se faz aqui se paga.

    Responder
  5. Vai tarde esse juiz de m……………………………! Devia ir direto pro inferno de uma vez!

    Responder
    • Mentiroso, prove que não é por invalidez!

      Responder
  6. Vou esperar a aposentadoria, para acreditar que não vai tem um último golpe sujo, por parte deste sujeito, que já esta no lixo da história.

    Responder
  7. Claro que não supremice…foi por caducidade mesmo…a esclerose aguda de que padece a senhoria está cada vez mais manifesta.
    O que lhe resta é contentar-se com o fato de que seus colegas, apesar de mais novos, não lhe ficam atrás em termos de picaretagem!

    Responder
    • Ja vai tarde, pavao de Tatui

      Responder
  8. Vira poeira juiz de m……………… safado. Cai fora desse pais.
    Voce e o laxante do gilmarzao amiguinho de pedofilos em portugal.

    Responder
  9. Pior coisa do mundo é descobrir q o seu patrão não quer vc mais na empresa, pq ele sabe q vc não gosta dele, e faz d tudo p prejudicar o crescimento da empresa. Pior é ver o patrão amarrado a vc sem poder mada-lo embora, até pq, quem t colocou na firma foi o irmão do padrão q é ladrão e está preso, além disso, vc tem um cargo efetivo, por isso o patrão espera a sua aposentadoria, só assim para poder se livrar do encosto q vc é. Essa é a realidade entre o STF e o patrão o povo.

    Responder
  10. Sim, não foi por invalidez. Foi apenas o Celso dando a última celsada.

    Responder
  11. “ A justiça atrasada não é justiça; senão injustiça qualificada e manifesta “. Rui Barbosa

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês