'Não poderia salvar as vidas que se foram', afirma Doria sobre cloroquina

Em 7 ago 2020, 16:00

‘Não poderia salvar as vidas que se foram’, afirma Doria sobre cloroquina

7 ago 2020, 16:00

Governador de São Paulo garante que o isolamento social é o melhor método para combater o vírus chinês

não poderia

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP) | Foto: FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), voltou a atacar a hidroxicloroquina nesta sexta-feira, 7. Conforme ele, o medicamento defendido pelo presidente Jair Bolsonaro não poderia salvar os 100 mil brasileiros que morreram em razão da covid-19. “Não era uma gripezinha ou um resfriadinho. Não era com a cloroquina que poderíamos ter salvo as 100 mil vidas que se foram. Por isso, reforço a necessidade de mantermos as quarentenas em São Paulo e noutros Estados. Os que puderem ficar em casa, continuem em casa”, declarou em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Quer saber por que o confinamento radical não funciona? Leia a reportagem “O erro do lockdown” publicada na edição n° 14 de Oeste

Além disso, afirmou que o Brasil não precisa de “politização da saúde”. E que este não é o momento para ver “quem consegue primeiro a vacina”. No mês passado, São Paulo fechou parceria com o laboratório chinês Sinovac, para desenvolver um imunizante contra o patógeno. Conforme noticiou Oeste, o governo federal comprou 100 milhões de doses da vacina da Oxford, cujo primeiro lote chega em dezembro deste ano. “Tudo o que não precisamos é politizar a saúde. E a vacina tem de estar imune a esse tipo de comportamento”, observou o governador, ao parabenizar os voluntários imunizados pela vacina “coronavac”, que veio da China.

Para mais informações sobre a hidroxicloroquina, leia “A solução que venceu a ideologia” publicada na edição n° 3 de Oeste

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 Comentários

  1. Pela ordem, primeiro o governador e seus secretários, depois os deputados !!!!

    Responder
  2. Um animador de auditório mediocre guindado ao governo de um Estado poderia resultar no que? Em um governador mediocre que toma decisões sistematicamente equivocadas, mas que se acha capaz de reverter tudo em coletivas com a “imprensa adestrada”. De tão ridículo, esqueceu-se até de que era mediocre no auditório… e continua sendo!

    Responder
  3. Um babaca, marketeiro de 5ª categoria. Cavou a própria cova.
    (sem intenção de trocadilho, pf)

    Responder
    • Um lixo que só sabe atacar os outros em ficar afirmando que SP não toca vidas e sim salva vidas, explica então o número de mortes no estado de SP já que afirmou que salva vidas ? É um canalha que se filiou ao PCC da China para quebrar o estado. Sua hora irá chegar igual ao seu secretário.

      Responder
  4. Dorinha,cuidado que uma hora vc vai ser algemado as seis da manhã sem ter tempo de tirar a camisola e de calcinha.

    Responder
  5. Esse panaca nunca mais terá meu voto.

    Responder
  6. Doria = MONTE DE ESTRUME.

    Responder
  7. Estudo da Transparência Internacional classificou informações prestadas por estados e capitais sobre contratações durante pandemia
    O GLOBO – Dimitrius Dantas 21/05/2020 – 10:03 / Atualizado em 21/05/2020 – 15:16
    SÃO PAULO – Estado com o maior número de casos e mortes causados pelo novo coronavírus, São Paulo é um dos estados menos transparentes em relação às contratações emergenciais feitas durante a pandemia, segundo estudo realizado pela ONG Transparência Internacional. Apenas o estado de Roraima tem uma avaliação pior que o governo paulista, segundo o ranking.

    Responder
  8. O Doria agora virou vidente. Um espanto. Ex político.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Coronavírus

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês