No Brasil, Movimento Antifa é franquia do PCdoB - Revista Oeste

Edição da semana

Em 7 jun 2020, 10:49

No Brasil, Movimento Antifa é franquia do PCdoB

7 jun 2020, 10:49

Curso do Movimento Antifa é realizado por Escola Castro Alves, entidade ligada à União da Juventude Socialista, braço jovem do PCdoB

Movimento antifa

Confusão no Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, na tarde deste domingo, 31 de maio de 2020 | Foto: Fábio Ventura – Estadão Conteúdo

Em meio às manifestações supostamente “antifascistas”, um braço político do PCdoB vem aproveitando esse clima de mobilização coletiva para promover cursos com um viés claramente ideológico e impor a sua visão de mundo sobre o tema.

REVISTA OESTE: O veneno da violência

O partido, por meio da União da Juventude Socialista (UJS), financia a Escola de Formação Política Castro Alves, que oferece um curso gratuito a candidatos a militante antifa. Com duração de seis dias, “Entenda o fascismo para ser antifascista” tem aulas online sobre temas como “Lições de antirracismo para ser antifascista” e “Bolsonarismo e neofascismo”. Por trás do nome fantasia da escola, está o CNPJ da UJS, entidade de formação juvenil do PCdoB. Em sua edição 11, a Revista Oeste dá detalhes de como entidades de esquerda estão se articulando em prol dos movimentos antifascismo no Brasil.

CNPJ

Um outro detalhe sobre esse curso do Movimento Antifa é que o CNPJ da UJS está em nome de Carina Vitral Costa. Ele foi presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) entre os anos de 2015 e 2017 e filiada ao PCdoB. Além disso, Carina foi candidata a deputada estadual por São Paulo em 2018. Teve 33 mil votos. Ela é a primeira suplemente do partido na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

INVESTIGAÇÃOÓrgãos de inteligência apuram financiamento estrangeiro de antifas

A ligação desse tipo de curso de formação com partidos políticos ratifica suspeitas de órgãos de inteligência do governo federal sobre a real motivação dos protestos antifas no País. Além disso, a Polícia Federal (PF) também já abriu inquérito para apurar supostas ligações de partidos com esse tipo de mobilização.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

15 Comentários

  1. Esta ESQUERDA no Brasil e no MUNDO é patife mesmo!!

    Responder
    • Um grupo TERRORISTA DE ANTIFAS em maior número apareceu no Eixo Monumental, via de acesso a Esplanada em Brasília, mas foi expulso por uma minoria de verde e amarelo com ajuda do Batalhão da PM.

      Responder
      • Esquerda, para a surpresa de ninguém, buscando tumultuar.

        Responder
    • Olhem a estratégia do MORO, ele e a Folha divulgam uma entrevista em que compara o “bolsonarismo ao petismos” no dia das “manifestações dos ANTIFAS”. Gente, está demais!! MORO ESTÁ USANDO O PIOR CAMINHO PRA VIRAR POLÍTICO, A MANIPULAÇÃO E DISSEMINAÇÃO DE ÓDIO!! Que coisa triste e os “bobalhões” fecham os olhos pra suas mentiras no inquérito contra Bolsonaro e mergulham em aneiras políticas. INACREDITÁVEL!

      Responder
      • Que decadência. Moro você é um covarde.

        Responder
  2. Detalhe importantíssimo: Esse curso, e com certeza a logística mortadelante dos terroristas, é financiado pelos R$ 35,00 das carteiras estudantis. Ou seja: GRAÇAS AO SR. RODRIGO MAIA!

    Responder
    • Em 64 o contraponto aos comunistas que se metiam a besta principalmente os da Rua Maria Antônia era o CCC do Mackenzie. Que tal ressuscitá-los ? Avós de hoje, vocês contaram isso pros seus netos?

      Responder
  3. Quando não é PSOL é PCdoB.

    Responder
  4. É muito triste, os jovens vão acabar com a democracia no Brasil e quando eles se derem conta do que eles apoiaram, vai ser tarde de mais e aí eles vão reconhecer que foram idiotas úteis e manipulados pela grande imprensa.

    Responder
  5. Abrir as e o próprio fascismo. Como a população vai apoiar um grupo que queima bandeira brasileira, dissemina a violência e atrapalha o Brasil em.plena pandemia?

    Responder
    • Lembrando que os jovens que foram nas passeatas das ruas para depor Collor depois votaram nele para o senado. E é assim. Esses que hoje se vestem de preto e quebram tudo pela democracia amanhã estarào em escritórios mofados escondendo dinheiro em cuecas e meias.

      Responder
  6. Fascista que é anti-fascista é igual a democrata que é anti-democracia, terrorista que é anti-terror, ditador que é contra a ditadura e malandro que é contra a malandragem.

    Responder
  7. Parem de chamá-los de antifascistas.Vamos dar o nome certo aos bois.É grupo fascista.

    Responder
    • Marginais

      Responder
  8. No Brasil eles perderam as ruas e com elas, lá se foi a eleição. Mas estão anos luz a frente da direita em questões de organização internacional, como pode claramente ser observado nas várias frentes ao redor do mundo.
    Articulan-se para um grande golpe, graças o incondicional apoio da China e do milionário Jeorge Soros.
    Não devemos substima-los, são articulados e no Brasil lutam 24 horas por dia para desestabilizar o governo federal para seguirem com seu plano imundo de tomada de poder a qualquer custo.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês