Novo governador do RJ sinaliza 'diálogo' com a família Bolsonaro

Edição da semana

Em 31 ago 2020, 20:10

Novo governador do RJ sinaliza ‘diálogo’ com a família Bolsonaro

31 ago 2020, 20:10

Cláudio Castro relata conversa telefônica com o senador Flávio Bolsonaro

o novo governador do rio de janeiro cláudio castro e o senador flávio bolsonaro

O novo governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, e o senador Flávio Bolsonaro | Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER

Governador em exercício do Rio de Janeiro desde a última sexta-feira, 28, Cláudio Castro (PSC) já demonstra ir em caminho diferente ao seguido por Wilson Witzel ao menos em relação à família Bolsonaro. Diferentemente do político afastado, ele sinaliza o interesse em manter boa relação com os entes ligados ao presidente da República.

Leia mais: “Pré-candidato do PSDB à prefeitura do Rio critica Crivella, Witzel e Bolsonaro”

Nesse sentido, Castro informou ter conversado com o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no início da tarde de hoje. “Recebi agora há pouco uma ligação do senador Flávio Bolsonaro”, publicou o governador interino em seu perfil no Twitter. Sem dar detalhes do teor do bate-papo, ele pontuou que o tom adotado foi positivo.

“[Ele, Flávio] se colocou à disposição para ajudar o Estado do Rio de Janeiro na renovação do regime de recuperação fiscal”, prosseguiu Castro. Por fim, o político do PSC vibrou com a abertura de conversa com o membro da família Bolsonaro. “Diálogo! Todos pelo Rio!”, destacou, assim, com exclamação o novo governador.

MAIS: “Witzel fala em uso político da Justiça e cita Bolsonaro”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Só…agora witzel consegue a liminar para voltar ao cargo

    Responder
    • Conseguiria de qualquer forma. Mas o impeachment virá ainda este ano. E, talvez, com a reunião do Colegiado do STJ, semana que vem, nem a liminar !
      Se JB tiver recuperado força, o novo governador permanece. Ele tem seus rolos, mas , “padrão usual” do Brasil, para nossa tristeza.

      Responder
  2. O que acontece no Rio é gravíssimo e não estou falando de reais roubados e sim de um exército de bandidos fortemente armados, protegidos por todos os lados por decisões do STF. A inteligência do governo já identificou a atuação de mercenários no treinamento destes bandidos.

    Na minha visão, o movimento comunista, do Foro de São Paulo e/ou do PCCh seria a de usar estes traficantes como “antifas”, já que torcidas organizadas não deram certo.

    Apenas o governador pode requerer uma GLO do Exército e deve ser por isso que Castro não caiu junto com Witzel.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

As piores eleições do mundo

A cura para a desgraça que são as eleições brasileiras é um conjunto de meia dúzia de providências simples como a tabuada

EUA — O que está em jogo

Em confronto, duas visões antagônicas sobre temas como geopolítica e comércio internacional, impostos e saúde, clima e energia, China e Oriente Médio

Meio ambiente é causa conservadora

Conservadores não podem se eximir da responsabilidade e reforçar a ideia de que preservação ambiental é pauta da esquerda

O plebiscito dos mentecaptos

Acaba o auxílio emergencial, mas começa a campanha emocionante do Ricardo Barros pelo plebiscito — e emoção é alimento espiritual

Nova Constituição para quê?!

Uma Carta ruim como a nossa deve ser reformada, e não anulada para que outra seja escrita. Essa é a solução conservadora

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O pai, o filho e o deboche

O pai, o filho e o deboche

A ideia geral de que não se deve praticar certas coisas em público, porque “pega mal”, parece caminhar rapidamente...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 32 — 30/10/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês