Cláudio Castro, novo governador do RJ, também é alvo da PF

Edição da semana

Em 28 ago 2020, 14:50

Novo governador do RJ também é alvo de operação da PF

28 ago 2020, 14:50

Cláudio Castro foi eleito vice-governador na chapa liderada por Wilson Witzel em 2018

cláudio castro - witzel - governador interino do Rio de Janeiro - vice-governador

Cláudio Castro: eleito vice, mas que assume o governo do RJ | Foto: DIVULGAÇÃO

O Rio de Janeiro amanheceu nesta sexta-feira, 28, com novo governador. Com o afastamento imediamento de Wilson Witzel definido pelo Poder Judiciário, conforme noticiou Oeste, o Estado fluminense passa a ter Cláudio Castro no comando do Executivo.

Leia mais: “Witzel fala em uso político da Justiça e cita Bolsonaro”

Filiado ao mesmo partido de Witzel, o PSC, Castro foi eleito vice-governador em 2018. Agora, assume interinamente o comando do Palácio Guanabara em meio a incertezas sobre a sua própria condição política. Isso porque, assim como o seu afastado colega de chapa e legenda, ele foi alvo da Tris in Idem, operação deflagrada pela Polícia Federal (PF) mais cedo e que apura casos de corrupção.

Diferentemente do governador afastado, Castro teve suas funções públicas preservadas pela Justiça. No entanto, sua residência foi alvo de busca e apreensão. Até o momento, a PF e o Ministério Público não detalharam a respeito de materiais apreendidos (ou não) na casa do já governador interino do Rio de Janeiro.

Casto estava em Brasília quando soube da deflagração de mais uma operação da PF, que o elevou à condição de governador.

Sem comentários

Pela ordem judicial, o afastamento de Wilson Witzel, que já encara processo de impeachment na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), será válido por seis meses. Ativo no Twitter, Cláudio Castro ainda não comentou a situação ocorrida hoje.

MAIS: Pastor Everaldo é preso pela PF

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. “Armaria”!! Já?

    Responder
    • E a puxada da pena da galinha!! Vai ter um galinheiro.

      Responder
  2. Pois é… Agora no Rio de Janeiro, o sujeito que se apresentar para ser governador daquele estado, tem que pegar 10 anos de cana preventiva. A preventiva aí é no sentido de prevenção, de se precaver com a inevitável visita forçada ao Xilindró. Tem jeito, Arnaldo?…

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês