‘O islamismo é um fanatismo monstruoso’, diz Robert Sarah

Edição da semana

Em Em 29 out 2020, 19:29

‘O islamismo é um fanatismo monstruoso’, diz cardeal após atentado na França

29 out 2020, 19:29

Palavras são de Robert Sarah, integrante africano da Igreja Católica

robert sarah x islalismo - atentado na frança

O cardeal Robert Sarah | Foto: Divulgação

Cardeal da Igreja Católica, o guinense Robert Sarah, de 75 anos, não moderou palavras ao comentar o atentado ocorrido na manhã desta quinta-feira, 29, e que deixou três mortos na França. Para ele, é preciso combater o islamismo

Leia mais: “Macron anuncia 2° lockdown na França”

O católico afirmou que os fanáticos muçulmanos não irão parar. “O islamismo é um fanatismo monstruoso que deve ser combatido com força e determinação. Ele não vai parar sua guerra”, publicou o cardeal por meio de seu perfil no Twitter.

Os bárbaros são sempre inimigos da paz

Nascido em Guiné e com experiências em países como Senegal e Costa do Marfim, Sarah afirmou que o islamismo tem histórico de problemas no continente africano. “Infelizmente, nós, africanos, sabemos disso muito bem. Os bárbaros são sempre inimigos da paz. O Ocidente, hoje a França, deve entender isso. Rezemos”, complementou o cardeal.

Palavra do papa

Robert Sarah não foi o único membro da Igreja Católica a se pronunciar a respeito do atentado de hoje em Nice, França, em que o assassino foi preso evocando as palavras “Alá é grande”. Também por meio do Twitter, o papa Francisco falou sobre o tema. Diferentemente do cardeal, ele não citou questões relativas ao islã.

“Estou perto da comunidade católica de Nice, em luto após o ataque que semeou a morte em um lugar de oração e consolação. Rezo pelas vítimas, por suas famílias e pelo querido povo francês, para que possam responder ao mal com o bem”, afirmou Francisco.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Fiquem espertos!
    E o mais engraçado, e que o Papa Francisco, incentiva a imigração em massa.

    Responder
  2. Prestem atenção no escritor Raymond Ibrahim.
    Fala a muito tempo da loucura islãmica.
    Sword and Scimitar – inglês.
    Crucified Again – inglês.
    Crucificados – português. Editora Ecclesiae.

    Responder
  3. Hora de voltar a éra de taleão, olho por olho e dente por dente! Tá na hora de começarem a se armar e praticarem defesa pessoal e andar com coletes a prova de balas por exemplo!

    Responder
  4. E o Papa calado!
    Que figura sinistra é este argentino!

    Responder
  5. O Papa pelo menos ficou em cima do muro, quando ele escolhe um lado suas colocações são sempre muito ruins. Não existe impeachment para o Pontífice?

    Responder
  6. Antes o papa fosse o Sarah

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês