Paulo Mathias lamenta Judiciário que 'julga, legisla e executa'

Edição da semana

Em Em 12 jun 2020, 22:40

‘O Judiciário julga, legisla e executa’, lamenta analista político

12 jun 2020, 22:40

Apresentador da Jovem Pan, Paulo Mathias reclama da Justiça brasileira

paulo mathias - críticas ao Judiciário

Judiciário é criticado por apresentador da Jovem Pan | Foto: CANVA

Depois de analisar a “festa junina” organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Paulo Mathias voltou a viralizar no Twitter. Na tarde desta sexta-feira, 12, o apresentador da Jovem Pan teceu críticas ao Judiciário brasileiro. Isso porque, na visão dele, esse Poder tem ido além de suas atribuições.

Leia mais:Justiça impede reabertura em duas cidades do ABC paulista

O comunicador e analista político afirma que o Judiciário tem ido além de julgar. “A Justiça Federal suspendeu portaria que aumenta limite de compra de munição”, publicou, assim, o apresentador em sua rede social. Dessa forma, sinalizou indignação com o veto vindo da Justiça de São Paulo. Com isso, a portaria do governo federal perdeu validade — ela estava em vigor desde abril.

“Desse jeito, não precisa mais fazer eleição”

“Mais uma interferência. Desse jeito, não precisa mais fazer eleição”, criticou Paulo Mathias. “O Judiciário julga, legisla e executa”, prosseguiu o colaborador da Jovem Pan. Ou seja: para ele, o Poder que deveria somente julgar está realizando atribuições dos outros dois Poderes da República: o Legislativo e o Executivo.

Viralizando

A postagem do analista político tem repercutido entre milhares de usuários do Twitter. Até o fechamento desta nota, o tuíte em questão contabiliza 10,4 mil curtidas, 2,1 mil retuítes e 273 comentários. Dos internautas que comentaram, boa parte aproveitou para também criticar o Judiciário brasileiro, pois é preciso mudar tal situação (segundo tal entendimento).

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Também acho que perdeu p sentido as eleições e quem está governando não só o Brasil mas estados também é o STF. Tudo é ele. Então deixa o judiciário fazendo tudo ou vamos fazer eleição para o STF. P povo escolhendo seus membros.pois do vejo juízes legislando ou interferindo nas decisões presidenciais. Isto está errado .a constituição não aponta isto.

    Responder
    • Cabe ao Senado fiscalizar o STF, função que não exerce com receio de retaliações. A maioria dos senadores têm o rabo preso.

      Responder
  2. Análise irônica mas que se amolda perfeitamente à nossa realidade.
    Além de não haver mais necessidade de eleições no Brasil, também deveriam extinguir o MPF que foi completamente desmoralizado pelo STF.
    Para nossa completa felicidade na atual conjuntura basta o STF e a OMS!

    Responder
  3. A Inquisição, também chamada de Sato Ofício, era formada pelos Tribunais da Igreja Católica que perseguiam, julgavam e puniam pessoas acusadas de se desviar de suas normas de conduta. O Brasil nunca chegou a ter um Tribunal desses, mas emissários da Inquisição aportaram aqui entre 1591 e 1767. Calcula-se que 400 brasileiros foram condenados e 21 queimados em Lisboa, para onde eram mandados os casos mais graves.

    Responder
  4. Corrigindo : Santo Ofício

    Responder
  5. Vocês não estão entendendo: como eles gastam muito com o “menu de lagosta”, para compensar, estão poupando o dinheiro do contribuinte fazendo 3 em 1.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O que é o projeto BR do Mar?

O que é o projeto BR do Mar?

Texto tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados e pode ser votado a qualquer momento no plenário...
É o “mecanismo”

É o “mecanismo”

A 3ª maior doadora da campanha paulistana do PSOL é uma herdeira da empreiteira de obras públicas Andrade Gutierrez...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês