O mais jovem (e o pior) presidente da história do STF - Revista Oeste

Revista

O mais jovem (e o pior) presidente da história do STF
Leia o texto de Dias Toffoli e dê uma nota de zero a dez
28 ago 2020, 08:31

Em 30 de setembro de 2009, a sabatina que duraria sete horas ainda não chegara à metade quando Gilmar Mendes, então presidente do Supremo Tribunal Federal, repetiu a frase declamada dias antes daquela arguição ao fim da qual o Senado decidiria se José Antonio Dias Toffoli, indicado pelo presidente Lula, merecia ou não tornar-se titular do Timão da Toga: “Seguramente, é uma pessoa qualificada”. O sempre douto parecer foi emitido por Gilmar Mendes caprichando na imitação de Gilmar Mendes: o lábio inferior estufado e o queixo pronunciado desenham em parceria uma segunda boca, o olhar enviesado de quem desconfia de alguma coisa que está logo ali mas ninguém mais vê, as orelhas de longo alcance sitiando os óculos, a sisudez dos que se acham predestinados a virar estátua. Ele nunca explicou o que o convencera de que merecia ser promovido a ministro do Supremo o bacharel em Direito que, aos 41 anos, tivera como único cliente o PT.

Toffoli queria ser juiz desde os tempos de estudante na escola do Largo de São Francisco. Com um diploma na mão e pouca munição na cabeça, foi reprovado duas vezes no concurso para ingresso na magistratura paulista. Conformado com o status de bacharel, seria nos anos seguintes advogado do PT, assessor jurídico de campanhas eleitorais do PT, advogado de Lula, assessor jurídico da Casa Civil comandada por José Dirceu e chefe da Advocacia-Geral da União. A fidelidade ao partido e a devoção ao deus da seita o transformaram em candidato natural a superjuiz quando Lula entendeu que o escândalo do Mensalão não escaparia do julgamento no Supremo. Era hora de ampliar a bancada formada por ministros incapazes de resistir à tentação de mostrar que são capazes de tudo para defender o indefensável.

Essas sabatinas no Senado se assemelham a um chá de senhoras em que a longa sequência de rapapés e louvações é interrompida por algumas perguntas só aparentemente incômodas. Todas começam com um respeitoso Vossa Excelência e terminam com recomendações à família. O que parece provocação é só o passe que deixa o sabatinado na boca do gol. Sejam quais forem as respostas, soam satisfatórias aos ouvidos de inquisidores encarregados de averiguar se o candidato ao STF, conforme exige a Constituição, tem reputação ilibada e é provido de notável saber jurídico. Sua Excelência poderia explicar aquele punhado de complicações judiciais no Amapá?, quis saber um senador. Outro perguntou se não lhe causavam constrangimento as duas bombas que explodiram o sonho de ser juiz no interior paulista. Um terceiro ficou intrigado com a inexistência de livros ou artigos de jornal assinados por Toffoli. Essas e outras dúvidas foram dirimidas por palavrórios tão rasos que, na imagem de Nelson Rodrigues, uma formiguinha poderia atravessá-los com a água pelas canelas.

Foi assim que Toffoli contornou a desconfiança provocada por seu tórrido caso de amor com o PT. Essa paixão não influenciaria as decisões do futuro ministro quando o banco dos réus fosse ocupado por velhos companheiros? Confira trechos da discurseira do candidato a ministro, pinçados da transcrição da sabatina arquivada no Senado e publicados em negrito, com observações do colunista entre parênteses:

Aquilo que eu fazia na Advocacia-Geral da União, que era uma imparcialidade, vai ser uma imparcialidade absoluta.(Como assim?, poderia ter replicado algum senador. Um juiz é parcial ou imparcial. Não existe juiz meio parcial ou meio imparcial. E nenhum juiz é parcialmente imparcial. Nem imparcialmente parcial.)

A advocacia que é passado para mim, no momento em que fui para a Advocacia-Geral da União, a advocacia privada virou passado. Em nada isso vai refletir na impessoalidade para julgar qualquer causa que seja, de qualquer assunto que seja.(Deixemos de lado os socos e pontapés no idioma. O que não pode ser esquecido é que em 2012, no julgamento do Mensalão, Toffoli absolveu todos os companheiros do PT, começando pelo ex-chefe e eterno amigo José Dirceu.)

Estou dizendo a respeito do meu compromisso de aplicar a lei de impedimento e suspeição e também no caso de suspeição da minha consciência nos episódios que envolverem julgamentos que estão em tramitação no Supremo. (A legislação considera sob suspeição um juiz que seja amigo íntimo de qualquer das partes. Toffoli era amigo íntimo de Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, fora o resto. Mas participou do julgamento do Mensalão com o semblante sereno do único coroinha que nunca roubou o vinho do padre.)

Uma reportagem da revista Época descreveu o método utilizado pelos atuais juízes para a elaboração dos seus votos. O trecho reservado a Toffoli resume seu estilo: “Ele gosta de conversar com os assessores, mas não com todos juntos. Normalmente, cada um fica responsável por um tipo de processo, sob a orientação do ministro. Quando um processo é trivial, seus assessores redigem o voto, e cabe a Dias Toffoli apenas revisar o texto. Quando o assunto é muito impactante, escreve tudo sozinho”. Quem leu um texto em estado bruto produzido pelo paulista de Marília que aos 51 anos se tornou o mais jovem presidente do STF, e nos dois anos seguintes consolidaria a imagem de pior entre os piores, não consegue acreditar na última frase. Depois da posse, ele efetivamente redigiu sozinho dois ou três votos. Ganhou dos colegas o apelido de “Estagiário” e foi aconselhado a repassar a algum assessor a elaboração do texto final.

Em dezembro de 2009, o site Consultor Jurídico publicou sem revisão o voto em que Toffoli supliciou a língua portuguesa no esforço para explicar por que achava que devia ser mantida a censura imposta ao Estadão pelo desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que fora presenteado com o emprego pelo então senador José Sarney. Estava em julgamento um recurso do jornal contra a decisão de Vieira, que proibira a publicação de qualquer notícia sobre a Operação Boi Barrica, montada para investigar bandalheiras envolvendo Fernando Sarney, filho do padrinho do censor disfarçado de juiz. Três trechos reproduzidos sem correções são suficientes para avaliar-se a intimidade de Toffoli com a escrita, o raciocínio lógico e o mundo do Direito:

“[…] Assim, se entendermos que caberá a reclamação mesmo fora das hipóteses constante da parte dispositiva, qual seja, caso o fundamento da decisão reclamada seja lei ou dispositivo outro, que não a finada lei de imprensa, passará o STF a julgar diretamente, afrontando o sistema processual recursal, toda causa cuja matéria seja a liberdade de imprensa ou de expressão, como se o decidido na ADPF 130 tivesse esgotado a análise de compatibilidade de toda e qualquer norma infraconstitucional que trate do tema da liberdade de imprensa e da liberdade de expressão.”

“[…] Acaso a decisão reclamada estivesse fundada na Lei de Imprensa, não teria dúvida nenhuma em conhecer da reclamação constitucional como ação constitucional apta a fazer valer o quanto decidido pelo STF na ADPF 130. Mas se disso não se trata, não cabe reclamação. E, no modelo de constitucionalidade brasileiro, todo juiz e Tribunal têm competência para analisar a compatibilidade de uma Lei em face do ordenamento constitucional vigente, aplicando-se ao caso concreto a lei, desde que compatível com a Constituição, ou afastando-a, caso incompatível. Trata-se como todos sabemos — nesta hipótese — do controle difuso de constitucionalidade, que é feito diante de uma demanda concreta e subjetiva posta em juízo por alguma parte interessada.

“[…] Mas, na hipótese do julgamento da ADPF nº 130, houve nos diversos votos proferidos fundamentos múltiplos. Muito embora a conclusão majoritária seja em dado sentido, isso não significa que as ‘razões’ ou fundamentos, tenham obtido a maioria, muito menos que foram elas submetidas a escrutínio. A segurança jurídica e a responsabilidade devem pautar e ser características a todo o Poder Judiciário. Tratando-se de uma Suprema Corte, que julga em última instância, a cautela, a responsabilidade e a segurança jurídica devem ser ainda mais presentes.

Um advogado de Taquaritinga, fosse qual fosse o caso em julgamento, assombrava os integrantes do júri com a frase famosa na cidade:  “Nem tudo é nada nem nada é tudo em matéria de principalmente”. Ninguém jamais entendeu o que queria dizer, mas todos achavam que quem berrava aquilo era um doutor e tanto. Se o meu conterrâneo tivesse a idade de Toffoli, talvez fosse ministro do Supremo. E presidente da Corte.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

67 Comentários

  1. E a incompetência que temos ao eleger nossos governantes nos últimos 18 anos. Não me arrependo em ter votado no Bolsonaro, mas os oportunistas que se aproveitou dele para se elegerem (Witzel,Doria,MAjor OLimpio e outras joices) esses sim. Não devemos deixar de lutar por um país melhor. A muitas eleições para mudar o que chamo de congreratos e stf gabinete do crime organizado.

    Responder
    • Eu tenho ASCO,NOJO, REPULSA a esse ser chamado Dias Toffoli. #StfDaVergonha HIPÓCRITAS

      Responder
      • Augusto, ótimo texto. Além do mais, ser rotulado no meio da corrupção de ” amigo do amigo do meu pai”. Quando vejo um ser desses, como presidente do suprema corte, me dá um desespero, uma depressão, um desamino brutal. O país nunca será “do futuro” com esses tipos de pessoas. Muito escroto para meu gosto.

        Responder
      • Mentiroso, burro, ex-advogado de partido comunista, não sabe nada de
        direito capacho de ex- presidiário não é confiável o seu colega que disse que ele era perfeito se sair na rua sem guarde costas vai apanhar muito, amistosos os ministros do STF se sair nas ruas sozinhos correm.o risco de não voltar as suas casas. Se eles quiserem fazer o teste nós pagamos pra ver.

        Responder
  2. Um jumento esse toffinho.

    Responder
    • O stf é a cara do senado! Corrupto, capacho cúmplice de falcatruas.

      Responder
  3. O principal câncer – já em metástase – a ser extirpado no País, são os ministros do STF, que é quem dá as balizas da moralidade, e é ele quem ilumina, para o bem e para o mal, a exemplariedade. E não há erros grosseiros de ministros, como se possa pensar. Há , isso sim, concertação deletéria ao estado de direito, que só não enxerga quem não quer. Exemplo? As declarações concatenadas, semanais ou até diárias, de ministros, para os quais a grande mídia, empesteada, sempre dá guarida. Eles erram – aí sim – em achar que a sociedade lhes dá ouvidos. Não, a sociedade, no seu geral, os detesta mais do que tudo, porque vê, nos deusinhos, do mal, a manipulação e a hipocrisia. Ministros têm de ser defenestrados de lá, na forma da lei. E o que é a “forma da lei”? Via Senado (que não fará nada, porque estão “todos juntos misturados”), ou (é o que resta) via art. 142, da CF, que está, sim, no mundo jurídico e constitucional. Enquanto não acontecer nada com eles, vão continuar, “nadando de braçada” e destruindo a cada dia o País. E não adianta, depois de tudo feito, contemporizar e acomodar com essa gente, ” – pois devemos perdoar nossos inimigos, mas não antes de ser executados” (Heine). Esclarecendo que, “executados”, aqui, significa
    “defenestrados”.

    Responder
    • Perfeito

      Responder
    • O vídeo mostrando Toffoli beijando a barba de Lula, abraçado a ele, diz tudo deste ser desprezível

      Responder
  4. Perfeito Augusto Nunes

    Responder
  5. Pior até agora. Os futuros presidentes com que esse Supremo nos ameaça fazem recear que Toffoli ainda possa repetir a velha frase: “depois de mim virá quem melhor me fará”.

    Responder
  6. Perfeito Augusto…texto irreparável…

    Responder
  7. A nota, Augusto, é 0 (zero)! Zero para a gramática, zero para o raciocínio, zero para a postura de presidente da Corte, zero para a ideologia e para tudo o mais que dele vem. Quantas vezes esse mesmo togado deveria ter se pronunciado impedido e não o fez? Quantas vezes passou por cima do regimento do STF para distribuir processos a seu bel prazer, ao juiz mais conveniente? Quem vai parar a sumidade ? Da presidência logo sairá. Mas vamos ter que suportá-lo por mais trinta e tantos anos? Queira Deus que logo se reverta o ativismo judicial atual e volte o STF a exercer sua função primordial de guardião da Constituição. Nada mais.

    Responder
    • Esse “advogado de botequim” é medonho. Gostaria de ver seu currículo escolar.

      Responder
      • É iminente a PRESTAÇÃO DE CONTAS c o CONGRESSO é IMINENTE pós quarentena, pela PRISÃO em SEGUNDA instância e fim do foro privilegiado. Em quem votamos e nos traem acintosamente, por índole e princípios familiares, capitulados por uma CARTA Frankenstein e COMUNISTA. 30 anos de CONLUIO estão em processo de desagregação desse modelo sórdido. Em 2013 acordamos e em 5 anos tiramos o EXECUTIVO. Resta apartar o LEGISLATIVO. Respeitemos o JUDICIÁRIO BRASILEIRO, de Dalagnol e tantos homens probos e honrados. O STF tem a legitimidade apenas dos presidentes q os conduziram, muitos condenados.
        STF, OAB, TCEs e TCUs os cancros do BRASIL. A caminhada continua, agora com picadas abertas principalmente no NE, reduto do cangaço , como alamedas q abrimos nas comunidades, para entrega do gás vital.

        Responder
      • Augusto, o Alvaro já disse tudo, ele serviria para Advogado do botequim e da porta da cadeia, só que era perigoso ele querer trocar de lugar, ainda mais se fosse um dos seus eternos amigos. Caberá ao futuro Presidente do Senado, se for um brasileiro legítimo e não um Venezuelano enrustido, colocar em votação as várias CPI para julgar os Ministros do Supremo, irá sobrar poucos, será uma limpeza geral, acredito que no máximo sobrará uns três. Esperemos que não façam com que o Maia e do Senado continuem prejudicando este nosso povo com suas decisões esdrúxulas. Estão marcados para serem caçados, com “ç” mesmo. Augusto fale sobre o pior que já entrou no STF, o Morais.

        Responder
  8. Com estes STF e STE o filósofo grego Diógenes entraria diariamente nestes tribunais em pleno dia com uma lanterna acesa à procura em vão de homens virtuosos.

    Responder
  9. O Toffoli deve ter consultado o tiririca, pra elaborar o texto, ou seja, nota zero pro pior presidente do stf de todos os tempos.

    Responder
  10. Prazer em ler suas argumentações. Parabéns pelo artigo.

    Responder
  11. Ótimo artigo, Augusto. Ao Toffinho eu dou nota zero, com louvor :>)

    Responder
  12. ‘Pulamôr!!!’
    Como é que pode? Um ser desprezível e de um nível execrável ser o presidente da nossa Corte maior… Realmente, o STF não merece isso. E os brasileiros, menos ainda. ‘(

    Responder
    • Lamento dizer, prezada Débora, mas (nós) o povo merece sim. Sempre valerão algumas máximas que vêm atravessando os tempos a ponto de nem ser possível fixar quanto. A primeira que me surge diz: “Todo povo tem os governantes que merecem”; outra, “os tiranos sempre serão o puro reflexo da nossa covardia, a mesma covardia que nos leva a pintá-lo pior do que é para esconder nossa culpa e hipocrisia”. Poucas pessoas conseguem relacionar “A DOENÇA TERMINAL QUE ESTÁ MATANDO NOSSA NAÇÃO” com ESSA MASSA CRÍTICA DEGRADANTE, composta por esse GRUPELHO DE 11 RÁBULAS, verdadeiros MACRÓFAGOS DEGENERADOS, INSEMINADOS NAS ENTRANHAS DO STF POR CRÁPULAS ESQUERDOPATAS para agir – SEM LIMITE DE PRAZO – como nas MAIS GRAVES DOENÇAS AUTOIMUNES (que atacam o próprio corpo que habitam), devorando as estruturas mais profundas e fundamentais do nosso STF, a última barreira de proteção com que conta o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO DO BRASIL.
      Comparo nosso país, hoje, com qualquer paciente gravíssimo do COVID-19, deixado ao descuidado deliberado (como recomendou o infame Mandetta), por quase 50 anos e – agora – respirando por aparelho numa CTI, está assistindo APENAS pelo PRESIDENTE DA REPÚBLICA e uns poucos fiéis vassalos. Enquanto OS CITADOS MACRÓFAGOS DEGENERADOS, incansáveis, contam ainda com ajuda de sabotadores de todo tipo, vindos de todos os lados.

      Responder
      • É verdade, Ney. Muito verdade, infelizmente, mas discordo. O que temos como representantes não são Toffolis, Moraes, Mandetas, e nem mesmo Moros e que tais. Nossos representantes são aqueles que acreditam no nosso país e valorizam o que esses seres insepultos jamais saberão do que se trata. Vivemos tempos tortos, reconheço. Mas esses tempos são também tempos de aprender e de reconhecer que somos mais e que podemos mais. Sendo assim, sempre seremos mais. Já eles…

        Responder
  13. Que delicia de leitura! Que ironia refinada! Grande Augusto Nunes.

    Responder
  14. Este absurdo, que foi o aparelhamento do STF, contou com a CUMPLICIDADE do Senado, da Imprensa e do próprio Judiciário. Não é possível que Desembargadores, Juízes de fato e juristas renomados tenham aceitado calados tantas barbaridades.
    Afinal, TODA A ELITE foi CÚMPLICE deste CRIME contra a Pátria.

    Responder
    • Bem lembrado pelo leitor Paulo Gustavo Pinto Cesar de Carvalho. Seria uma pauta interessante para Revista Oeste investigar quais foram os Senadores que votaram a favor de Dias Toffoli para Ministro do Supremo. Depois de identificá-los , perguntar-lhes o motivo que fundamentou seus votos à época.

      Responder
      • #STFVergonhaNacional
        Seja por incompetência, seja por parcialidade

        Responder
    • CARO PAULO GUSTAVO, VC. ESQUECEU DE NOS INCLUIR. A TODOS NÓS. NÓS, O POVO. ALIÁS, ESSA EXPRESSÃO REMETE A CARTA DE INDEPENDÊNCIA E FUNDAÇÃO DOS EUA – QUE DIFERENÇA.
      NÓS O POVO, PARA ELES, É LEVADO BEM MAIS A SÉRIO.
      MESMO ASSIM, “O LADO NEGRO DA FORÇA” – o mesmo que está agindo para escravizar o Brasil – VEM TENTANDO SUBVERTER A ORDEM CONSTITUCIONAL AMERICANA.
      ARRISCO APOSTAR QUE – LÁ – IRÃO DAR COM OS BURROS N’ÁGUA (e os costados de muitos IRÃO PARAR na cadeia… ou num corredor da morte qualquer, por conspiração contra o país). QUEM VIVER VERÁ.
      E nós aqui, o que estivemos fazendo nesses últimos 50 anos, quando os nossos pais, os irmãos e irmãs deles, até os nossos avós foram para as ruas, PRESSIONARAM AS FORÇAS ARMADAS e impediram a CANALHA COMUNISTA DA ÉPOCA de fazer o que os de agora estão tentando FAZER – de novo. ESSA CORJA NUNCA DESISTE.
      Depois que o PERIGO MAIS IMEDIATO passou, 20 anos se passaram, ficamos todos acomodados e deixamos que os incansáveis VERMES COMUNISTAS voltassem, se reagrupassem e nos atacassem – por dentro – segundo a estratégia gramscista. Tomaram nossas Universidades, nossas Repartições Públicas, parte de nossas FFAA, TODA A NOSSA MIDIA e NOSSO MEIO CULTURAL e – pasmemos – até nossos pequeninos, nas escolas primarias e secundárias.
      AGORA, NÃO DÁ MAIS PARA RECLAMAR E FICAR BOTANDO A CULPA NOS OUTROS – APENAS.
      QUANDO O PRESIDENTE FIGUEIREDO ENTREGOU O GOVERNO AOS CIVIS, ELE PROFETIZOU TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO. INCLUSIVE, DISSE QUE NÓS IRÍAMOS VER O QUE A CANALHA ESQUERDISTA IRIA FAZER CONOSCO.
      AGORA, É HORA DE CORRER ATRÁS DO PREJUÍZO.
      COMO DIZIA MINHA MÃE: “AQUELE QUE NÃO ESCUTA CONSELHO, ACABA ESCUTANDO: OH! COITADO.”

      Responder
  15. Augusto, com a capacidade gráfico das palavras, nos trás as imagens perturbadoras da politica brasileira. O melhor jornalista.

    Responder
  16. Parabéns pelo texto Augusto Nunes. 10 com louvor.
    Quanto ao texto do Amigo do Amigo do meu Pai, zero com desonra.

    Responder
  17. Esse Toffinho me fez lembrar da Dima e suas hilárias manifestações!!!!

    Responder
  18. Excrescências da nossa república bananeira … risco zero desse país dar certo …

    Responder
    • Seria até engraçado se não fosse trágico. O que a esquerda fez com o país!

      Responder
  19. STF vergonha nacional.

    Responder
    • Parabéns!!!

      Responder
    • A leitura dos textos de Augusto Nunes é sempre prazeirosa .

      Responder
  20. Boa, Augusto!
    Continua batendo !!!
    Abração!

    Responder
  21. E nós a mercê desse senhor e de todos os outros.

    Responder
  22. E pensar que nada podemos fazer a respeito. Só Deus para nos livrar dessa situação.
    Mais uma vez parabéns pelo texto nobre jornalista.

    Responder
    • O fato de ter sido reprovado em dois concursos para a magistratura é perfeitamente compreensível. Agora, não posso entender como ele conseguiu se graduar.

      Responder
  23. Augusto Nunes, sempre corajoso e investigativo, nos contempla com humor, conhecer as celebridades que compõe o Supremo Poder dos Poderes, que ao interpretar a Lei, conseguem por 8 a 2, entender INCONSTITUCIONALIDADE no voto impresso acoplado a urna eletrônica, blindado e que não é levado pelo eleitor, com o argumento desses oito, que violaria o sigilo do voto.?????
    Na minha opinião, o voto impresso é a única forma de AUDITAR as urnas eletrônicas por amostragem e eventualmente para uma contagem geral se assim fosse questionado pelas partes, além de permitir ao eleitor, visualizar no voto impresso o que indicara no eletrônico.
    Ora, qual é o notável saber jurídico para interpretar a CONSTITUIÇÃO tão grosseiramente? Há outras decisões criativas que monocraticamente ou até colegiadas interpretam a constituição como se ILUMINADOS fossem, e legislam para compor suas exuberantes interpretações, como homofobia é igual racismo, aborto até 3 meses, casamento de pessoas do mesmo sexo. Nada contra, se assim estivesse escrito em português (não inglês) em nossa constituição. Portanto, como Toffoli, temos também idosos como Barroso, Celso, Lewandoswky, Fux, Carmem e Rosa, que mereceriam por seus feitos, artigos semelhantes e bem humorados do competente Augusto Nunes.
    A propósito, Augusto Nunes relata no texto o grave episódio de censura a imprensa feita por afilhado de Sarney ao jornal Estadão na operação BOI BARRICA, que durou 10 anos, em pleno regime democrático, e com o homenageado pela imprensa decano Celso de Mello, já decano no STF, indicado por Sarney.
    Este episódio, valeria um artigo bem humorado de Augusto Nunes, mostrando que este mesmo Estadão, neste regime que considera autoritário e fascista, conseguiu chegar no STF em pouco mais de 3 meses, para exigir a apresentação dos exames laboratoriais do presidente Bolsonaro, e obteve exito pois LEWANDOWSKY mandou exibi-los. Pior, soube hoje que este falido Estadão ainda recorre ao STF da legitimidade dos laudos.
    Augusto, ajude-nos a entender como no regime democrático o Estadão levou 10 anos para derrubar a censura que lhe foi imposta, e neste regime autoritário Bolsonarista, consegue chegar em 3 meses ao STF.
    Parabéns mestre Augusto, excelente e bem humorado texto.

    Responder
    • Caro Augusto,tendo como base as notas que atribuo aos textos que meus alunos (do ensino médio de uma escola pública) produzem, não posso dar zero ao ministro!!Seria muito injusta com meus alunos,pois já dei nota zero a eles por textos bem melhores que esse!!Ah,adorei a história do advogado de Taquaritinga!!

      Responder
      • O fato de ter sido reprovado em dois concursos para a magistratura é perfeitamente compreensível. Agora, não posso entender como ele conseguiu se graduar.

        Responder
  24. Esse pseudo jurista não sabe escrever nem falar. É um medíocre inescrupuloso. Pobre da toga que ele usa e de todos nós que temos de aturá-lo até onde Deus quiser. Augusto Nunes: avante! Lave a alma dos sem voz!

    Responder
  25. Todo mundo já sabe que as maneiras pacíficas, democráticas e republicanas de substituir membros do STF não surtirão efeito. Por esta razão, os radicais querem algo mais em termos de ataques já que os ministros merecem críticas duras. Como sou de Paz e já passe da idade de ir até Brasília protestar, já joguei a toalha. O que o povo deseja não será alcançado nos próximos 20 anos. Vai continuar assim mesmo.

    Responder
    • Luiz Antonio assim, declara sua morte política e de patriotismo.

      Responder
  26. Toffoli enrola o lero agredindo o vernáculo e a justiça. Pode ter como companheiro no STF o atual ministro da justiça que é seu fã e até lhe prestou honrosa homenagem quando Toffoli completou recentemente 10 anos de STF. E Bolsonaro, que prometeu carta branca ao Sergio Moro e não cumpriu, morre de amores por esse atual ministro terrivelmente evangélico. Este país é o fim da picada.

    Responder
    • Moro foi um traidor e é um mentiroso. Se você pegasse sua mulher na cama com seu inimigo você renovaria os votos de fidelidade feitos ao pé do altar ou daria um pé na bunda dela?

      Responder
      • O fato de ter sido reprovado em dois concursos para a magistratura é perfeitamente compreensível. Agora, não posso entender como ele conseguiu se graduar.

        Responder
    • Moro?? O advogado de defesa do PSDB?? É cegueira, burrice ou má fé pra tentar atacar o Presidente??? Isentão !!!

      Responder
  27. Augusto Nunes, você consegue me fazer rir de uma tragédia.

    Responder
    • Moro?? O advogado de defesa do PSDB?? É cegueira, burrice ou má fé pra tentar atacar o Presidente??? Isentão !!!

      Responder
  28. Imperdível e perfeito, como sempre!

    Responder
  29. Ele escreve do mesmo jeito que a Dilma fala. Será que um dia o povo vai entender como é formado o orgão máximo do Judiciário no Brasil e porque não tem condições de funcionar como deveria? Esse é um dos motivos porque um Supremo Tribunal tem que virar uma ditadura para poder se impor.

    Responder
  30. O Brasil não merece este STF. Mais uma grande obra do PT, com ajuda do MDB.

    Responder
  31. Trata-se de um burro auto suficiente.

    Responder
  32. Perfeito Augusto Nunes. Continue. Precisamos de mais gente boa para ajudar você neste combate necessário contra aquela “turminha” de toga.

    Responder
  33. O que mais me apavora não é saber que esse estrume ( ou estrumes ) vai ( vão ) ficar mais de trinta anos. O que me preocupa é que não tem uma voz que possa modificar as escolhas para o STF. Foi assim com FHC, Lula, Dilma e será com Bolsonaro. Por que não se faz uma lei dando como irrevogável a prerrogativa de juiz de carreira no cargo de desembargador para ser ministro do STF? Por que o judiciário não apresenta uma lista tríplice de desembargadores para o Presidente escolher um? Poderíamos não ter um Supremo que gostaríamos mas com certeza saber jurídico teríamos. Quem fará isso? Ninguém??

    Responder
  34. Seus leitores comentaristas, vários deles bem pertinentes, já “passaram a régua”. E agora? A batalha de trincheira continua? A responsabilidade de vocês na Revista Oeste só aumenta.

    Responder
  35. Toffoli achou que era simplesmente usar uma toga sem precisar necessariamente ter estudo e experiência! As asneiras que vem cometendo está enterrando o judiciário. É muita incompetência! Ele e a Dilma são siameses!!! Parabéns pelo texto curto, objetivo e carregado de verdades Augusto Nunes! Peso OURO do jornalismo!

    Responder
  36. Esse é o “home” de notório saber jurídico. Já imaginou se não o fosse? Esse é o nível do pior essetêefe, desde que Álvares Cabral por aqui aportou.

    Responder
  37. O raciocínio e a escrita dele parecem um dilmês um mais embolado e recheado de palavrórios aos quais o conhecimento jurídico da Dilma não a deixava chegar. Dá aquela sensação, ao final do looongo parágrafo, que não se leu absolutamente nada. Em que mundo vive esse pessoal? Que país é esse que deixa antas assim em uma posição de poder tão grande?

    Responder
  38. Parabéns , Augusto . Nota 10 pelo artigo.
    E muito preocupante para nós brasileiros, Uma Corte com Ministros despreparados. Ainda por cima os (11) membros a corte, com as cabeças ideológicas fixadas em politica de esquerda. Fazendo do STF, o palco de apresentação de peças, alinhadas com seus Padrinhos, usando o mesmo pano de fundo.

    Responder
  39. Nota – 100 (menos 100) seria muito, só tem cacife ser para ser serviçal do PT.

    Responder
  40. Augusto, impecável como sempre! 🙌🏼 Mas NÃO adianta mais ficar gritando contra o STF e o Congresso nas mídias sociais. Também é inócua a pergunta raivosa do porquê não se abrem um dos vários processos de impeachment do STF. Todos sabem a resposta. Num Congresso onde ainda há um grande numero de pessoas indiciadas, se protegendo atrás do infame foro privilegiado, e um STF também obscuro em suas locupletaçōes com os politicos condenados como Lula e Dirceu, e certamente teriam contas a prestar à justiça, ou não protegeriam criminosos, ELES SE AUTO PROTEGEM. Essa é a grande vergonha desse país! Foi o povo que elegeu os políticos corruptos, e é o Congresso corrupto que não larga a mão de um STF militante esquerdista e igualmente corrupto e nada isento. Qual a saída numa Republica? O POVO INTEIRO DESSA NAÇÃO EM CIMA DO CONGRESSO, com pressão sem trégua sobre os Senadores, exigindo a abertura do PROCESSO DE IMPEACHMENT dos juizes do STF, que os desqualificados e corruptos ALCOLUMBRE, em conluio com Maia, se divertem em sacanear o povo para se proteger, e NÃO PAUTAR o processo. Nesta altura do campeonato, acredito que SOMENTE O POVO pode conseguir essa proeza! Infelizmente, pelo visto, não há outra lei na CF que tenha previsto esse tipo surreal de um autoritarismo do Judiciário! 😡

    Responder
  41. AN, nada mais justo (a chamada do comentário) o pior presidente para o pior stf de todos os tempos! não sobra UM!

    Responder
  42. Há muito que estou convencido, dois dos maiores males neste país: corrupção e incompetência. Não adianta somente os corruptos serem condenados e presos. Temos que mudar o sistema (público, lógico!) para livrar-nos dos incompetentes. Diferentemente, a iniciativa privada já os pune.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OESTE NOTÍCIAS

R$ 19,90 por mês