Trump: 'o mundo precisa de respostas da China sobre o vírus'

Edição da semana

Em 29 maio 2020, 19:38

‘O mundo precisa de respostas da China sobre o vírus’, diz Trump ao romper com a OMS

29 maio 2020, 19:38

Presidente dos Estados Unidos anuncia suspensão de relações com a OMS

bandeira da china - vírus - trump - oms

Trump quer respostas da China e da OMS | Foto: REPRODUÇÃO

Os Estados Unidos deixam de manter relações com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A decisão foi divulgada hoje pelo presidente norte-americano, Donald Trump, durante coletiva de imprensa realizada na Casa Branca. O motivo do rompimento? A carência de informações sobre a covid-19, vírus que surgiu na província de Wuhan, na China, segundo ressalta o político.

Leia mais:Trump enviará para o Brasil 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina

“O mundo precisa de respostas da China sobre o vírus”, disse Trump, conforme noticiou a agência italiana Ansa. “A gente precisa de transparência”, prosseguiu o presidente. Dessa forma, os Estados Unidos não vão mais financiar ações lideradas pela OMS. De acordo com a equipe do governo dos EUA, o dinheiro será repassado para outras medidas de saúde — sobretudo em relação ao combate ao novo coronavírus.

“A gente precisa de transparência”

Além de anunciar o rompimento de relações com a OMS, o presidente norte-americano acusou a entidade de estar a serviço da China. Para ele, o país asiático é quem lidera a organização que deveria se preocupar, primeiramente, com a saúde da população mundial. Até o momento, o comando da OMS não respondeu às indagações de Trump.

Em defesa de Hong Kong

Romper com a OMS não foi a única pauta da coletiva de imprensa de hoje. Trump aproveitou a situação para, entre outros pontos, reforçar o apoio dos Estados Unidos ao povo honconguês. Nesse sentido, voltou a fazer mais críticas à China. Afinal, a ditadura comunista de Pequim sinaliza, por meio de aprovação de lei de segurança nacional, retirar a autonomia do território de Hong Kong. Com isso, avisa que poderá impor sanções contra líderes chineses.

Mais:Reino Unido planeja facilitar obtenção de cidadania aos moradores de Hong Kong

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O pai, o filho e o deboche

O pai, o filho e o deboche

A ideia geral de que não se deve praticar certas coisas em público, porque “pega mal”, parece caminhar rapidamente...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês