O socorro errado - Revista Oeste

Revista

O socorro errado
As medidas emergenciais que vêm sendo tomadas para salvar a economia causarão inflação, perda de renda e suicídio fiscal
27 mar 2020, 16:26

Desde a inacreditável e asquerosa sopa de morcegos até este momento, a peste que veio do leste já se estendeu a mais de 150 países e a cinco continentes, infectou mais de 450 mil pessoas e interrompeu perto de 21 mil vidas. Não bastasse isso, vem ameaçando fulminar a economia mundial.

É costume exigir dos governos soluções para as grandes crises, porque os indivíduos, paradoxalmente, embora não gostem dos políticos, acreditam que os governos têm sempre boas intenções e que podem fazer mágicas na economia para conduzir todos ao Éden. Esses truques consistem em inflar a demanda, pela imposição de uma verdadeira olimpíada de estímulos. A saber: qual banco central é mais rápido em martelar artificialmente a taxa de juros para baixo, que governo arremessa mais longe os seus gastos, quem é melhor em despejar moeda sem lastro — medida conhecida como “helicopter money”, a distribuição de dinheiro à população a fundo perdido.

Conteúdo exclusivo para assinantes

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

14 Comentários

  1. Muito bom.

    Responder
  2. A situação equivale a um estado de guerra. Nesses momentos atira-se pra todos os lados pra ver se acerta algum inimigo. E como em toda guerra, o certo é que todos perderemos.

    Responder
  3. Penso como vc. Bom saber q não estou sozinha e que tem um econoMista do seu alto nível pensando assim.

    Responder
  4. Ótimo artigo! Ótima revista!

    Responder
  5. Muito bom!!

    Responder
  6. Ótimo artigo. Parabéns. Parabéns a Oeste.

    Responder
  7. Também penso assim. Os Governos agindo sob o signo do medo conduzem a esses quadros. Quem garante que não haverá uma segunda onda e de onde surgirá essas novas mágicas? Esse era o mento de aguardar, pois não existem estudos confiáveis que medida a, b e c. venham a resolver. Parabenizo a Oeste por ser ter posicionamento claro, que é o de informar e ser um ponto de luz na histeria. Jornalismo raiz.

    Responder
  8. Excelente análise deste que tive o privilégio de ter como professor. Obrigado mestre Ubiratan! Prazer imenso te ver colaborando com esta revista! Que venham mais contribuições suas e de outros expoentes do Mises Brasil, verdadeiro think-tank do pensamento libertário! Abraço!

    Responder
  9. Excelente. Show da Oeste.

    Responder
  10. Excelente artigo professor.O Ray Dalio vinha falando,antes do Corona,que nos EUA se aproximava uma crise que poderia colapsar o sistema, devido aos juros já baixos.Será que o resultado dessas intervenções todas não resultará na “mudança de paradigma” que ele afirmava?

    Responder
  11. Excelente artigo!
    Muito feliz em saber que a escola austríaca de economia irradia a sua luz nesta revista.

    Parabéns!

    Responder
  12. Sensato e íntegro, artigo muito exemplar, fantástico.

    Responder
  13. ÓTIMO ARTIGO! PARABÉNS!

    Responder
  14. Concordo que as políticas adotas, seja nos EUA ou no Brasil, são antagonistas à boa política fiscal que ambos países vinham traçando. Mas tendo em vista que a solução correta é retomar a produção, para evitar os suicídios fiscais, como fazê-la? Governadores e prefeitos ganharam autonomia por parte do STF para fazer lockdown da maneira que bem entendem. O governo federal ficou refém disso, e não pode fazer absolutamente nada. A ajuda aos milhões de brasileiros (auxílio-emergencial, inserção em massa no Bolsa Família, socorro às empresas etc) acabou sendo inevitável. Fosse apenas pela vontade do Executivo, já estaríamos produzindo, e não nesse lockdown que pode nos levar a um shutdown.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

OESTE NOTÍCIAS

R$ 19,90 por mês