O vale-tudo contra Bolsonaro - Revista Oeste

Revista

O vale-tudo contra Bolsonaro
O caminho para trocar o presidente por um outro não é valer-se do submundo da lei criado em Brasília pelo STF
26 jun 2020, 08:49

A política brasileira de hoje tem apenas uma questão de verdade: o esforço para impedir que as eleições presidenciais de 2022 aconteçam como está previsto no calendário legal ou, mais exatamente, para não permitir que o atual ocupante do cargo seja um dos candidatos. Seus adversários, de todas as naturezas e de todos os cantos da vida política, não falam abertamente que querem isso. Mas passaram a admitir em silêncio, cada vez mais, que será preciso encontrar alguma pirueta legal para se livrarem com 100% de certeza daquele que, em sua opinião, é o causador de todos os grandes problemas que o Brasil tem hoje. Se nada for feito e as eleições correrem normalmente, acreditam eles, Jair Bolsonaro vai acabar ganhando — e mais quatro anos com o homem no governo, além dos dois e meio que ainda tem pela frente em seu primeiro mandato, é algo que “o país não aguenta”.

E por que não aguentaria? Porque o consórcio político do tipo xis-tudo que se formou contra o bolsonarismo, sob a liderança e a condução do Supremo Tribunal Federal, não aceita a ideia de perder seu futuro — ou seja, de passar os próximos seis anos e meio, e sabe lá quantos mais depois disso, vivendo fora do governo. Como não quer Bolsonaro, nem as consequências de Bolsonaro, decidiu que o Brasil também não quer. As palavras-chave em sua campanha são “democracia”, ou “defesa da democracia”. Resolveu-se que o atual governo é incompatível, simplesmente, com a manutenção de um regime democrático no Brasil. Nessas condições, definidas unicamente por eles mesmos, os condutores do bonde anti-Bolsonaro decidiram que têm o direito de romper com as leis hoje em vigor, pelas quais o presidente deve ficar em seu cargo até 1º de janeiro de 2023 e pode concorrer à reeleição, em nome de um “interesse maior” — a salvação da democracia e da pátria.

Nessa tentativa de depor Bolsonaro antes que ele tenha a oportunidade de ganhar uma segunda eleição está valendo quase tudo. O presidente não poderia ficar em seu cargo (na verdade, nem deveria ter assumido) porque teria se beneficiado das fake news, ou de “notícias falsas”, para se eleger em 2018. Teria de ir embora, também, por algum dos seguintes motivos: praticou crime “contra a administração pública” ao demitir o ex-ministro Sergio Moro, apoia “movimentos antidemocráticos” e aceita seu apoio, nomeou Abraham Weintraub para ministro da Educação, escondeu “o Queiroz”, não usa máscara contra o coronavírus, conduz o Brasil ao genocídio, não obedece à ONU, não respeita as “instituições” e por aí se vai. Tudo serve. É o que o público vê, todos os dias, no noticiário que lhe jogam em cima. O sujeito oculto da frase, em qualquer das denúncias que aparecem, é sempre o mesmo: “Esse Bolsonaro não pode ficar”.

O condomínio anti-Bolsonaro quer montar uma trapaça com cara de “solução legal”

Não haveria problema algum para a saída do presidente se seu governo fosse realmente o desastre absoluto apresentado pela mídia, os “formadores de opinião” e os artistas da Rede Globo. Se o governo é tão ruim assim, a população deveria estar mais do que cheia dele, não é mesmo? É dado como fato definitivo, provado por “pesquisas de opinião”, que “70%” dos brasileiros reprovam Bolsonaro e seu governo. Nove analistas em dez, pelo menos, garantem que este governo “acabou”: vive trocando de ministro, não é aprovado pelos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, tem uma imagem horrível na “mídia internacional”, não tem força no Congresso, e assim por diante. Então: se é assim mesmo, está tudo mais do que resolvido. É só esperar mais um pouquinho, até outubro de 2022, fazer as eleições como a lei manda fazer e 70% dos eleitores vão derrotar os 30% de bolsonaristas que sobram.

Só que não é assim. O condomínio anti-Bolsonaro, com certeza, acha que não é — por isso mesmo, e por nenhuma outra razão, quer montar uma trapaça com cara de “solução legal” para tirar o presidente do jogo. Os que consideram Bolsonaro uma calamidade para o Brasil têm, obviamente, todo o direito de pensar assim; é possível, até, que estejam certos. Mas o caminho para trocar o presidente por um outro de seu agrado não é valer-se do submundo da lei criado em Brasília pelo STF, com a cumplicidade das mesas do Congresso, dos meios de comunicação e da elite intelectual-civilizada do eixo Jardins-Leblon. A única solução legal é ganhar as eleições livres nas quais a população julgará Bolsonaro, sua conduta e sua administração. Para isso, é indispensável haver um candidato de verdade, que seja capaz de apresentar ao eleitorado um programa coerente de governo e dizer, enfim, o que vai fazer de diferente, ou ao contrário, do que está sendo feito. Não há no momento nenhum vestígio da existência de qualquer dessas condições.

O STF, sozinho, não tem força para demitir ninguém

A única alternativa, além dessa, para encurtar o mandato de Bolsonaro e impedir sua reeleição sem rasgar a Constituição é destituir o presidente através de um processo de impeachment — algo que exige os votos de dois terços do Congresso e parece uma saída tão inviável quanto a eleição de 2022. É isso que explica todo esse enorme ruído que está aí. O tumulto é resultado da incapacidade incurável, por parte das elites brasileiras, de admitir que o povo, sempre tido como um ente sagrado em suas fantasias, é responsável pelas decisões eleitorais que toma. Essa população elegeu há menos de dois anos, com 58 milhões de votos e por maioria absoluta, um novo presidente; se escolheu mal, então que aguente — e vote melhor na próxima oportunidade. Não dá, agora, para anular uma decisão popular desse tamanho com uma fraude jurídica grosseira. O Brasil desaprendeu o que é fazer oposição, se é que soube um dia — a única forma de alternância de poder conhecida hoje pelo STF e pelo mundo político que vive em seus subúrbios é depor os presidentes da República que lhes desagradam. Não é mais uma exceção. Virou regra.

Como em todo golpe de Estado, a desculpa para jogar a lei no lixo é a necessidade de “salvar a democracia”. A Constituição, dizem os ministros do STF que querem virar a mesa, não pode servir de “proteção” ou de desculpa para um presidente como Bolsonaro e para as forças “antidemocráticas”. Para preservar as “instituições”, assim, é preciso violar (só por um momentinho) as instituições; para defender a lei, é preciso violar a lei, mas também só por um instante, certo? Os onze ministros do STF, de uns tempos para cá, se declararam os únicos brasileiros capacitados a dizer o que é bom ou ruim para o Brasil — e, como ninguém diz nada, vai ficando por isso mesmo.

O STF, sozinho, não tem força para demitir ninguém — nem para continuar impedindo o governo de governar, como faz no momento. Vai precisar, mais cedo ou mais tarde, do apoio de quem tem essa força.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

72 Comentários

  1. A oposição não sabe nem criticar. O STF dá sinais de golpismo. Falam que estamos numa ditadura e oposição, congresso e stf parece que querem uma ditadura, a deles. Parêntese: acompanhe notícias do vírus na serra gaúcha e em outras cidades do sertão brasileiro. O que a gente falava está sendo provado: as estatísticas oficiais estão furadas. O pior é que não são apenas frigoríficos que esconderam infectados. Existem outros setores. Teve prefeito que manipulou para cima os números, para receber mais recursos. E teve aqueles que esconderam os infectados e até mortos para atender desejos de abertura de negócios, comércio e indústria. Quando o Ministério da Saúde quis mudar o modelito de coleta de dados, o Alexandre de Moraes vetou. Agora tem que perguntar para ele o que fazer com os milhares de trabalhadores que deram positivo nos testes particulares feitos por empresas?

    Responder
    • Guzzo está correto, essas pessoas que se acham donas do Brasil ainda não enxergaram que o país mudou, e que ou elas mudam ou mudam elas.

      Responder
      • Fim da ditadura da toga já!!
        Lava Toga com impeachment de ministros do STF!!
        Mas porque não o fazem?
        Infelizmente, quase todos tem seus rabos presos…
        Triste!

        Responder
        • Excelente texto. No momento, tenho me abrigado por aqui para fugir de tanto cinismo, tentativas de manipulação de pensamento e mentiras publicadas pela dita mídia tradicional. Parabéns Guzzo.

          Responder
          • É o apoio que falta ao STF é consequência de suas ações sem justificativas e que não atendem aos anseios de justiça da população, a verdade é que se elegemos o Bolsonaro então queremos ver ele governar e não o STF.

            Responder
      • Parabéns Guzzo pela excelente matéria, que aliás é também a opinião da
        maioria dos brasileiros

        Responder
      • Puxa, você escreve bem cara! Texto claro, captura a realidade que se esconde por trás de narrativas obscuras e hipócritas. Grato!

        Responder
        • Guzzo,
          Mais uma vez expõe as mazelas das “otoridades” Brasileiras com maestria e pungência.
          Antonio, sobrinho de Margarida Guzzo de Santa Luzia-MG.

          Responder
      • A eleição do Bolsonaro descortinou como o governo funcionava: altos salários, muitas vantagens adicionadas aos salários, aposentadorias gordas, garantia de empregados a familiares e amigos, empresas de familiares que prestam serviços dentro do governo, um esquema que permite o outro partido, tipo PSDB, também, mesmo fora do poder, atuar em benefício do partido e seus membros, grandes empresas sempre, de uma forma ou outra, penduradas no orçamento público, etc; e como consequência de tudo, pécimos resultados nos investimentos de infra-estrutura, educação destruída, saúde arrebentada. De uma forma ou outra, ou seja, com bom desempenho ou baixo, por causa das forças contrárias, o governo Bolsonaro mostrou ao brasileiro o que somos: pagadores da farra. Eles estão brutalmente medrosos da democracia que eles criaram saírem de suas mãos. A democracia deles é a liberdade de fazerem como queriam. A democracia do povo brasileiro é outra, é aquela do governo do povo, para o povo, pelo povo.

        Responder
        • Ótimo texto! Apenas corrija “pécimo” para “péssimo”. ABraços!

          Responder
      • Acabou Game Over assim como os papais e vovos que liam seus jornais de papel!!! Evoluam abutres do STF OU SE CALEM PARA SEMPRE

        Responder
      • O grande e experiente jornalista Guzzo nos regala sempre com
        preciosas análises da conjuntura atual, plenas de informação bem fundamentada e que lançam luz nos pontos importantes que passam desapercebidos pelo cidadão comum . A ditadura do STF vai acabar e os conluios entre Rodrigo Maia e Alcolumte estão com os dias contados. A grande parte da mídia continuará distorcendo tudo . Oremos e lutemos com as armas das redes sociais, das manifestações pacíficas e dos meios de imprensa sérios como a Revista do Oeste.

        Responder
    • Meu Mestre, ler sua crônica quando abro a revista, me dá a certeza que cada centavo que pago de assinatura é barato, pelo aprendizado que recebo. Sabemos que tudo isso é verdade e está acontecendo. A pergunta que grito é: como vamos impedir esse golpe? Como vamos impedir esses 11 semideuses de continuarem com esse projeto de poder? Senado, Câmara, Mídias, STF, OAB, não é muito forte? Aguentaremos?

      Responder
      • Guzzo é imperdível.

        Responder
    • É triste pra nós brasileiros assistir o que está ocorrendo em Brasília. Os que mais falam em democracia e estado de direito são os que menos estão respeitando, mas toda essa armação não está passando despercebida da população. Vamos ver nas próximas eleições a resposta do povo.

      Responder
    • O que me deixa desesperançoso, é a certeza de que no modelo da política atual, da constituição federal, jamais conseguiremos através da democracia mudar nossos congressistas, pois as verbas partidárias são distribuídas aos mesmos, que as distribuem ao seu bel prazer, cacifando aqueles que jamais perderão seus eternos mandatos, assim sendo, nunca conseguiremos uma renovação necessária! Socorro GUZZO! O que achas?

      Responder
  2. Um dia desses aí apareceu na televisão uma senhora de idade chamada Carmem dizendo que no Brasil existia um desgoverno. Desculpe-me a referida senhora, mas eu não acho.

    Responder
    • Uma ministra do stf que tem posições partidarias deve se declarar impedida de qualquer julgamento! Aliás, essa senhora é a cara do stf! Em todos os sentidos!

      Responder
      • Análise , prá mim, perfeita

        Responder
    • A filha desta senhora e filiada ao PSOL…

      Responder
      • Texto límpido, lúcido, didático , ferino e o estilo incomparável de Mister Guzzo. Parabens.

        Responder
    • Ainda bem que ainda podemos ler textos como os seus!! Digo “ainda”,porque nesse caminho através do qual estamos sendo arrastados,podemos perfeitamente alcançar,em pouco tempo,a liberdade de expressão que há em países como Cuba, Venezuela,China etc.Mas tenho plena certeza de que iremos vencer, simplesmente porque Bolsonaro sobreviveu prá conseguir nos libertar das garras desses abutres!!

      Responder
  3. Essa senhora, Carmen, não é a mesma que, quando assumiu a Presidência do STF, declarou, sobre a censura, que “cala a boca já morreu”??? Vergonha. Hipocrisia. Jamais pensei que o mais incensado (foi….) Tribunal do País, fosse agir como agora. O STF, atualmente, não interpreta a Constituição, distorce-a, a seu talante ideológico. “Supremo” de quê, mesmo? Legisladores: comecem por trocar o nome dessa – endeusada – Corte, para algo mais chão. Isso se Ela, depois, até de ofício (vide Inquérito, ele mesmo “fake”) não declarar a inconstitucionalidade. E a comunidade jurídica de alto escalão (OAB, AMB, MP), imagine se vão protestar contra as sucessivas arbitrariedades que se verificam.

    Responder
    • Essa cretina que está no “stf” deve explicar aos brasileiros sobre o apartamento de 1 e meio milhão de Euros que tem em Portugal. Abre a boca, Carmen Lúcia.

      Responder
    • É triste pra nós brasileiros assistir o que está ocorrendo em Brasília. Os que mais falam em democracia e estado de direito são os que menos estão respeitando, mas toda essa armação não está passando despercebida da população. Vamos ver nas próximas eleições a resposta do povo.

      Responder
  4. Só uma pergunta:esse lúcido artigo do Guzzo é o que chamam de “depoimento sob vara”?

    Responder
  5. A sra. Carmen Lúcia, ministra do STF, presta um desserviço ao país ao fazer declarações estapafúrdias como a de que no Brasil temos um desgoverno. Deveria sim, zelar pela constituição. Algo que os ministros deste STF não vem fazendo e que se prestam ao papel de tentarem deslegitimar ou derrubar um presidente eleito democraticamente.

    Responder
    • Ser direto ao ponto q interessa a todos os brasileiros, ñ é questionar atitudes de 1 STF execrado por todos, é renega-los a 2o. plano, tomando-se atitudes simples e constitucionais:
      A) A prestação de contas c o CONGRESSO, com quem votamos, p PRISÃO em SEGUNDA instância e fim do foro privilegiado;
      B) Só o CONGRESSO, de acordo c a CARTA Frankenstein e COMUNISTA, afastará o STF c seus “monocratas”, do conluio c o LEGISLATIVO, parte subversiva aos nossos interesses qdo legisla e tentam ser poder executivo. Se ñ dão conta de suas tarefas, tbm ñ têm se saído bem nas tarefas dos demais poderes.
      C) Incentivar o GOVERNO central eleito p POVO, fazer a verdadeira política rachando o CENTRÃO, buscando a maioria nas 2 casas.
      ATENÇÃO POVO BRASILEIRO de bem: A e B é conosco. Nada de soltar foguetes, como tbm ñ no STF.
      “C” o bom Gov Bolsonaro será testado, oportunamente na manutenção do veto presidencial, à liberação de novo dinheiro público para gov e prefeitos, da ordem de 13 bilhões. Mantido o veto, pelo menos este dentre os 8 do PR, entendam q o GOVERNO trabalhou sua parte. O RESTO É CONOSCO. É antes das próximas eleições, pois fev/21 está aí. Quem quer Fernando Bezerra e Ailton Lyra com O novos paus mandados do CONGRESSO?
      Hoje o PR bebeu água do Velho CHICO já no Ceará. Isto a imprensa ñ mostra. Finalmente, o nosso NE foi cooptado de forma honrosa. Parabéns Tarcísio de Freitas e todo o GOVERNO.
      C)

      Responder
    • Essa louca deveria calar a boca. Ja que querem calar a nossa. Afinal somos os PATRÕES, nós pagamos as contas de todos eles. São como “filhos bandidos” que pensam que podem tudo. Assim, façamos como pais de “filhos bandidos”, vamos tirar-lhes a “MAMADEIRA” para que aprendam a se virar sozinhos. Vamos exigir que o Senado tire a todos e VAMOS PROCESSÁ-LOS por CRIME DE LESA-PÁTRIA – LEI Nº 7.170, DE 14 DE DEZEMBRO DE 1983, . Art. 1º. Depois, cassa-se todas as vantagens desses canalhas e que apodreçam na cadeia. Lembrar que estão agindo contra a NAÇÃO BRASILEIRA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO.

      Responder
  6. Um grupo de ministros nomeados por Sarney, FHC, Lula, Dilma e Temer pode dar certo meu povo, pois desde quando fonte de água salgada jorra água doce!

    Responder
  7. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

    Responder
  8. Mais um recado brilhante de José Roberto Guzzo para os revoltadinhos. Podem espernear até 2026 que a cadeira de presidente já tem dono.

    Responder
  9. O STF está totalmente desconectado da realidade popular. Vivem onde? Em Marte?

    Responder
    • Me preocupa que vivam longe daqui, mas continuem, cada vez mais, mandando e desmandando em todos nós…

      Responder
  10. Mais um preso político hoje…um jornalista não “blogueiro”.. e não esqueçam de 2 manifestantes na cadeia for mais de 30 dias… . como ninguém faz nada, dia sim outro também, ficam desafiando o poder executivo, mandando até usar máscara (com base em que?) só pra perturbar. Bolsonaro só tem o povo só lado dele! Quem pode nos salvar da ditatoga? HELP!

    Responder
  11. A palavra democracia perde seu conceito e agora os que se dizem democratas vaticinam opressão pela censura clara; censura perdeu seu conceito e se tornou defesa da livre expressão do que eu quero que falem.

    Responder
  12. Excelente texto, como sempre! Cristalino, objetivo, irônico na medida.
    Me leva a pensar apenas em se “mais cedo ou mais tarde, quem tem a força” vai sair de cima do muro… E, para que lado vai descer…

    Responder
  13. A alternância de poder é saudável para o crescimento da democracia.

    Desde a redemocratização em 1985, que o Brasil está sendo governando pela esquerda ou seus simpatizantes, agora chegou a vez da direita.

    TODO PODER EMANA DO POVO, isto é cláusula pétrea, está na Constituição, portanto o povo é soberano e escolheu um presidente que defende o Brasil, os recursos naturais, a vida, o capitalismo, a família, o armamento, a educação, DEUS, … Quem está no comando dos demais poderes não quer aceitar a mais pura verdade, e quer REVOGAR DE QUALQUER JEITO A VONTADE SOBERANA DO POVO.

    Nós vivemos numa democracia, toda manifestação é democrática e é assegurada pela Constituição Federal. Se ocorrer excessos, que puna, mas MANIFESTAÇÃO é MANIFESTAÇÃO, E TODAS SÃO DEMOCRÁTICAS.

    O PRESIDENTE TEM QUE GOVERNAR, foi para isso que ele foi eleito.

    Responder
  14. A famigerada lei das “Fake News” – PL 2630 – serve exatamente pra corroborar a soberania popular. Se aprovada, limitando as redes sociais, pessoas como o atual presidente jamais conseguiriam se eleger… voltaríamos à velha política café com leite PT/PSDB com o aval da Grande “fake” mídia. Torço pra que o povo brasileiro não sucumba a isso.

    Responder
  15. O famigerado PL 2630 vai contra a soberania popular e as liberdades individuais. É o establishment agonizando… foi isso q eu quis dizer.

    Responder
  16. Brilhante, como sempre!!!!
    Até quando vamos aguentar esse “stf”?
    Já está na hora de o impeachment de alguns “sinistros” ser votado no Senado.
    Já passou da hora da revogação da “PEC da Bengala”.
    Só assim para fazer uma “limpa” e o Bolsonaro conseguir governar.

    Responder
  17. Mas como o senado votaria um impeachment de um Deus do STF se a maioria está com o “forebs”preso?
    É muito mais seguro e fácil pro senado destituir um Presidente.

    Responder
  18. excelente artigo . fica na minha cabeça e na de milhões de brasileiros a certeza que trancar o cofre e barrar o acesso de ladrões é o verdadeiro motivo do ódio dos que estão em abstinência …

    Responder
  19. A Lava Jato, encorajou uma nova geração de policiais federais, promotores, e juízes a não terem tanto medo dos consórcios políticos/grandes empresários. Um novo Brasil está querendo surgir e Bolsonaro faz parte dessa transição. O velho Brasil reage com unhas e dentes, mas eles envelhecem e se aposentam. Tudo começa nas eleições municipais. Aos poucos temos votado pela renovação na política, mas é um processo lento. O povo acordou e está um pouco mais atento.

    Responder
  20. Ótimo artigo como sempre. Uma análise perfeita. O stf a muito tempo perdeu credibilidade e respeito. Seus integrantes envergonham a sociedade. Conseguem ser piores que nossos políticos . A citação de desgoverno foi um elogio ao presidente. Saulo Ramos que indicou o decano para o tribunal fez uma avaliação perfeita dele no livro Código da Vida. Os outros nomeados não são diferentes nem melhores.

    Responder
  21. Um Tribunal que, durante a pandemia, sequer teve à hombridade de diminuir seus inúmeros privilégios não tem moral nenhuma para dizer o que é bom ou ruim para os brasileiros …

    Responder
  22. “Suprema” desqualificacao.

    Responder
    • Pois é…se tudo correr bem, estaremos lascados…

      Responder
  23. Bem colocado. Cumprimentos.

    Responder
  24. Não há dúvida que os opositores seguirão obcecados na tentativa de destruir o governo até 2022. Sempre com o mesmo repertório insosso, fictício, infantil, descrito aqui por Guzzo. Lá, perceberão que só existirá uma maneira de impedir a reeleição de Bolsonaro. Matando-o.

    Responder
    • ADOREI O TEXTO. Todos sabem o combinado entre o legislativo e o Supremo. A Globo ,Folha, a mídia quase toda criando factoides diariamente. As posições e decisões do Supremo, fazem Rui Barbosa revirar no túmulo. SE TODOS SABEM DO COMPLÔ, POR QUE O POVO NÃO VAI PRA RUA DIZER , BASTA !!!!!

      Responder
  25. O “problema” é que quem defende a “democracia” não faz a menor ideia do que é ser democrata. Um bando de hipócritas.

    Responder
  26. Se Bolsonaro entregasse o governo aos políticos para roubar à vontade e abastecesse a imprensa com polpudas verbas publicitárias, teríamos hoje um governo tranquilo, apoiado politicamente e bajulado pela imprensa.

    Responder
  27. Mais um magistral artigo do Mestre J.R.Guzzo. Fala tudo o que nós gostaríamos de falar.Obrigado, Mestre, por nos representar tão bem.
    A maioria da grande imprensa está um lixo, tal a parcialidade que demonstra, deixando claro que quer porque quer derrubar o Bolsonaro.
    J.R.Guzzo , a Revista Exame e mais uns gatos pingados são exceções. A maioria entrou no auê de querer derrubar um governo conservador democraticamente eleito.
    Parabéns, Guzzo !

    Responder
    • Dizem que, em regra, com a idade vem a sabedoria.
      Mas como toda regra tem exceção, os atuais membros do STF fazem jus ao ditado.
      São onze seres estranhos, escolhidos, talvez, por suas piores características morais e capacidade de violar o que deveriam defender.
      Não há como negar, sinto vergonha do STF.

      Responder
  28. Excelente resumo de uma ópera de golpistas ensandecidos. Para quem é acusado de anti democrata, o Presidente Jair Bolsonaro tem demonstrado um sangue frio e calma impressionante- e uma a uma as máscaras vão caindo, deixando os armadores expostos. Continue narrando com a sua habitual precisão JR Guzzo!

    Responder
  29. Nós aguentamos estes canalhas por 30anos, respeitando o resultado das eleições, nem sempre confiáveis. Agora não respeitam a vontade popular e fingem que estão defendendo a democracia. São na verdade um bando de canalhas que viram as tetas secarem e o povo acordar. Querem a todo custo dar um golpe, mas não conseguirão, pois por mais que a pessoa não goste do Bolsonaro, gosta menos ainda de quem está contra ele!!!!!

    Responder
    • Seria interessante se presidente (comandante em chefe das forças armadas), mandasse soltar todos os presos desse inquérito que atropela a democracia e não tem amparo legal.

      Como a grande mídia, a OAB, os direitos humanos, etc.. se posicionariam ?

      Responder
  30. Depois da ação do STF invadindo casas de parlamentares e da falta de reação do Parlamento ficou claro como é o foro privilegiado no Brasil. O STF segura a ponta do tapete do Parlamento e o Parlamento segura a ponta do tapete do STF. Um tem medo de puxar porque o outro pode fazer a mesma coisa e acabar com uma vida de privilégios vitalícios. O exercício da democracia já foi substituído pelo interesse maior, que é a partilha do que sobra do orçamento público.

    Responder
  31. Para o Brasil mudar realmente tem que reeleger Bolsonaro, se ele se candidatar, ou eleger outro presidente com seu perfil, caso contrário, nada mudará e pode até piorar, porque a abstinência de corrupção política, empresarial, midiática e judiciária retornarão com apetite redobrado. Portanto, a transformação conservadora, ética e democrática tem que ser confirmada nas urnas em 2022.

    Responder
  32. o Brasil está sob uma DITADURA COMUNISTA do STF com uma multidão de ações inconstitucionais, a começar pela hidra das Fake News. No entanto, o que mais chama a atenção, são os vetos em profusão CONTRA as ações do Executivo manietando completamente o Presidente. E por último, temos visto, à ações coercitivas da policia federal contra brasileiros sem crimes e sem condenações. UM DESCALABRO COMPLETO!!! #LibertemJurandirEBronze

    Responder
  33. Ótima análise, Guzzo. O Presidente continua com a mesma popularidade, até pela DataFolha. Vão encarar?

    Responder
  34. Como é bom ler J.R.Guzzo. Texto limpo, sem lados e de uma lucidez que mostra o que está acontecendo nesse país. Obrigada

    Responder
  35. Como não tenho voz nesse alcance, faço minha as suas palavres, letra por letra, ponto por ponto.
    Obrigado por falar o que sinto.

    Responder
  36. Muito bom texto, Guzzo, com certeza. Mas o parágrafo final me deixou com uma pulga atrás da orelha: quem é que tem essa força de que o STF precisaria para “demitir” Bolsonaro? A força do povo, sabemos, esses ministros aí jamais terão. Hum. Não sei se tua intenção foi ser provocativo…

    Responder
  37. Apenas não aceito Guzzo achar que o governo Bolsonaro pode ser “uma calamidade para o Brasil”, conforme deixa a entender no trecho “Os que consideram Bolsonaro uma calamidade para o Brasil têm, obviamente, todo o direito de pensar assim; é possível, até, que estejam certos”. Calamidade, de fato, para o Brasil, foram os governos anteriores. O governo Bolsonaro só é calamidade para os que se locupletavam anteriormente e agora perderam suas tetas. Eufemismo, condescendência, senhor Guzzo?

    Responder
  38. Guzzo, o chicote da história vai chegar no stf, assim mesmo, em letras mInusculas, TENHO 78 ANOS E NUNCA TINHA VISTO TANTA ARBITRARIEDAE DO stf.

    Responder
  39. SOBRE O GOVERNO BOLSONARO ,ATÉ AQUI NÃO VI NENHUMA REFERENCIA A UM GOVERNO MELHOR QUE ESTE.

    Responder
    • Excelente texto, retrata exatamente o que os brasileiros de bom senso e com um mínimo de senso crítico pensam.

      Responder
  40. Ofereçam uma opção de curtir comentários! Tem alguns que dizem exatamente o que eu queria dizer, melhor curtir que repetir.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OESTE NOTÍCIAS

R$ 19,90 por mês