O vexame eleitoral brasileiro - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 16 nov 2020, 01:40

O vexame eleitoral brasileiro

16 nov 2020, 01:40

País registra a mais lenta apuração em décadas, sofre com ataque ‘hacker’ e aplicativo não funciona

luís roberto barroso, tse, eleições 2022, dispositivos eletrônicos, e-título, celular,

O presidente do TSE crê ser possível voto pelo celular em 2022, mas cidadãos não conseguiram sequer usar o e-Título nas eleições de 2020 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São 22 horas do domingo 15, e o Brasil pode estar diante de sua mais vexatória eleição desde que as cédulas foram trocadas pelo moderno sistema de urnas eletrônicas. A apuração na maior cidade do Brasil registra 0,39% dos votos computados: ou seja, a maioria dos paulistanos que vão acordar cedo para trabalhar dormirá sem saber quem disputará o segundo turno ou se seu candidato a vereador foi eleito. A mesma coisa deve ocorrer no Rio de Janeiro. Dos quatro grandes colégios eleitorais, apenas em Belo Horizonte (com Alexandre Kalil, do PSD) e Salvador (Bruno Reis, do DEM), o jogo parece estar resolvido dada a vantagem dos que despontam. E o mesmo cenário ocorre em sabe-se lá quantos dos milhares de municípios — porque nem o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, sabe.

Barroso, aliás, teve de conceder duas entrevistas ao longo do dia para explicar que: 1) o tribunal sofreu ataque de um hacker do exterior; 2) o aplicativo lançado pelo tribunal para quem não conseguiu ou por medo da pandemia não votou não funcionou; 3) a Corte eleitoral sofreu outras tentativas de roubo de dados antes, mas ele não sabia precisar quando; e 4) a raiz de todo o problema no domingo foi um problema num “supercomputador” que totaliza os dados regionais (pela primeira vez, o conteúdo foi centralizado em Brasília). Ou seja, sobre o item 4, é provável que, se o TSE não tivesse decidido centralizar os dados, Santo André (SP), Vitória da Conquista (BA), Ouro Preto (MG), enfim, já conhecessem o futuro prefeito e vereadores.

“Tenho expectativa [de que o resultado seja divulgado ainda hoje], mas não gostaria de me comprometer, é possível”, afirmou Barroso em sua segunda entrevista coletiva, por volta das 21 horas.

Resta aguardar ainda, além dos resultados, claro, o índice de abstenções, que tende a ultrapassar a média de 20% — em Florianópolis (SC), caso raro de uma capital cujo sistema funcionou perfeitamente, foi de um terço dos eleitores. Mas, diante de todas essas intercorrências, Barroso fez questão de lançar um anúncio alvissareiro no meio da tarde e produziu manchetes: em 2022, o cidadão vai conseguir votar usando o próprio celular. Que Nossa Senhora das Cédulas nos proteja!

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

31 Comentários

  1. Nem o e-título funcionou. Imagina se fosse possível TENTAR votar pelo celular! Fracasso total, decerto! Um passo de cada vez, Ministro!

    Responder
    • Essa ideia de voto por celular deve ser fruto da live que o ministro Roberto Modernoso fez com aquele blogueiro recentemente!

      Responder
  2. A incompetência do STF contaminou o TSE. Ambos são uma vergonha.

    Responder
    • ????

      Responder
  3. Realmente mais uma vergonha para o Brasil. Não bastasse a incompetência e a corrupção já notória no STF agora temos tbem essa desastrosa atuação do TSE.
    Tentei, muitas vezes, por dois dias, baixar meu e-titulo e não consegui. É verdadeiramente vergonhoso. Quanta incompetência e amadorismo. Me envergonho com frequência de ser brasileiro. Um país injusto, imoral e cruel onde a classe política, as altas autoridades no judiciário e tantos “poderosos”, frequentemente estão envolvidos em corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha etc etc….
    Mas o mais estarrecedor é a impunidade que reina nesse meio sujo, porco, nefasto….e tudo isso as custas do cidadão comum, de bem, que se sente impotente para acabar com toda essa podridão, que atravanca o desenvolvimento justo do país.

    Responder
    • Tem toda razão !

      Mas não podemos esmorecer!

      O processo de mudança é longo.
      Requer persistência !

      Responder
      • Podemos nos preparar para a fraude em 2022.Já está tudo armado.

        Responder
        • Uma frase para os babacas neutros indolentes e frouxos :

          Os lugares mais quentes do inferno são reservados para aqueles que em tempo de crise moral, se mantiveram em posições de neutralidade! Dante Alighieri, A divina comédia.

          Responder
    • Mais uma vez, ficou provada a vulnerabiludade do sistema eletrônico, a quem interessa manter este sistema? Simples, a quem o defende!

      Responder
  4. #Fim do voto obrigatório!
    #Voto impresso já!
    #lulu boca de veludo no paredão!
    #cabeça de ovo no paredão!
    #fachin no paredão!
    #não ao loquidaum!

    Responder
  5. #votoimpressojá

    Responder
  6. Os traficantes e milicianos irão agradecer pelo voto nos celulares. Votarão por milhares de pessoas que serão obrigadas a fornecer seus celulares desbloqueados ou morrem. Fecha este tribunal que não serve para nada e manda este ministro para o espaço.

    Responder
    • Exatamente prezado Iramar, quanto mais se fala em aperfeiçoamento, justiça e democracia, mais a incompetência e a marginalidade encontram brechas e espaços para avançarem.

      Responder
    • Isso daí é a consequência imediata mais provável que irá acontecer. É mais uma prova de que esses MENTECAPTOS daquele tribunal que se diz “supremo”, são na verdade, um bando de DÉBEIS MENTAIS, irresponsáveis e inconsequentes. Esse ministro DESEQUILIBRADO aí, deve ter ouvido essa sugestão daqueles IDIOTAS com quem debateu nas últimas lives e deve ter achado uma proposta fantástica. INCAPAZ!

      Responder
  7. evidentemente Borroso fraudou as eleiçoes e foi aos EUA para ratificar a fraude Ele é um criminoso embusteiro e fraudou as eleiçoes esta ali para impedir que qualquer direita vença e nunca mais o Bolsonaro vence nada. Ele decidiu fazer aliança com as trevas e vai receber a paga.

    Responder
    • O processo eleitoral brasileiro é grandioso não é prá qualquer blogueiro administrar não.

      Responder
  8. Nem vou comentar sobre esse tal voto por celular, uma ideia absurda e irresponsável. Uma coisa que sempre observei foi o fato de candidatos da esquerda e mesmo deste centrão, não se incomodarem com essa urna eletrônica e menos ainda com relação ao voto impresso, esse assunto, no entanto, é muito debatido no meio de candidatos mais à direita e conservadores e ouço de muitos deputados e políticos em geral dessa vertente a seguinte reivindicação: “Devemos melhorar a confiabilidade das urnas eletrônicas a fim de possibilitar a auditagem dos votos”, em outras palavras, eles devem achar essas urnas, como estão apresentadas, uma fraude. Então eu faço a seguinte pergunta: Se as urnas são fraudulentas, então quem se elegeu por elas, se elegeu através de um meio fraudulento, neste caso deveriam então renunciar de seus cargos eletivos, alcançados por meio de fraude. Meu raciocínio está certo ou não?

    Responder
    • Sr. Paulo, apesar de gostar da dinâmica do voto eletrônico, penso que poderia nos proporcionar um meio para AUDITAR e eventualmente RECONTAR os votos, e acho errado é o nosso STF, tornar por maioria de seus notáveis ministros, INCONSTITUCIONAL o art 59-A da Lei 13165/ 2015 de autoria de Bolsonaro, aprovada pelo Congresso Nacional, por “violação do sigilo e liberdade do voto”, recheado de vários argumentos que não estão na Constituição, como “custa muito caro, poderá ter problemas na impressão, voto impresso é retrocesso”, e outros argumentos fúteis que demonstram o notável saber de nossa Suprema Corte.
      Como podem esses notáveis ministros tornar inconstitucional um artigo de Lei, simplesmente porque não gostam? Alegar violação do sigilo e liberdade do voto é risível, ou entendem que o voto é levado para casa pelo eleitor. Recentemente ouvi até jornalistas pensarem que o voto impresso seria levado para casa pelo eleitor.
      Minha conclusão é que o voto impresso, permitirá necessária AUDITORIA por amostragem em urnas selecionadas por sorteio e caso encontre irregularidades permitira a apuração geral do voto impresso, evitando alegações de candidatos A ou B sobre fraudes, porque certificaria o resultado a qualquer PARTIDO que em acirrada disputa solicitasse recontagem. Há algum outro método para recontar urnas eletrônicas?

      Responder
      • E eu soube que o ministro Alexandre de Morais, chegou a dizer isso publicamente, que também achava que o eleitor levava uma cópia do voto para sua casa, isso dito por um ministro do STF! Ás vezes eu acho que estamos lidando com um bando de MENTECAPTOS. Outro problema grave que eu acho sobre a leitura do voto (o voto impresso, evidentemente atrás de uma placa de acrílico) e antes dele cair na urna é que temos uma enorme legião de ANALFABETOS que sequer sabe ler o seu nome. Agora imagine o que acha um pobre de um eleitor se temos um ministro do STF a dizer uma insanidade dessas!

        Responder
  9. Quem trabalha com lógica sabe que não precisamos de TSE, por óbvio que não reconhecemos o STF como é composta sua gang.
    Voto impresso, PRISÃO em SEGUNDA instância e fim do foro privilegiado são QUESTÕES DE ORDEM.
    Ainda sobre eleições, tem que se discutir a existência de câmaras municipais para cidades com menos de 100 mil habitantes. Existência no máximo DE CONSELHOS DE REPRESENTANTES DISTRITAIS, com seus membros NÃO REMUNERADOS.

    Responder
    • Na época da 1ª República (antes daquele verme do Getúlio), era desse jeito. Em geral eram pessoas ilustres da comunidade que se apresentavam para prestar um trabalho VOLUNTÁRIO. Tinha um tio-avô que era farmacêutico e que era muito querido pela população e que foi vereador em minha cidade. Todos de minha família apoiavam o Washington Luís e sofreram muita perseguição da parte daqueles canalhas Getulistas que enviaram um bando de mais de 40 jagunços para dar tiros para cima em frente à casa de meu avô, que na época era prefeito da cidade e era legalista, portanto, teve que renunciar e nunca mais se envolveu com política. Para resumir, a origem de todas as nossas desgraças tem um nome: GETÚLIO VARGAS.

      Responder
      • Eu acho que foi Deodoro da Fonseca

        Responder
  10. Isso que dá colocar um v**** para fazer sevrviço de homem. Fora Lulu Boca de Veludo!

    Responder
  11. Lulu Bandeja, também conhecido como Boca de Veludo deve demorar uma semana para explicar tamanha falha.

    Responder
  12. Tudo normal na republiqueta de bananas.

    Responder
  13. kkkkkkk não houve falha não!!! É que o Brasil gosta de imitar os norte-americanos, que são campeões em matéria de lentidão na contagem de votos … e, ao que parece, também em fraudes.

    Responder
    • Em 1967, perguntaram a um mercenário polonês Rafal Ganowicz qual era a sensação de se matar um ser humano. Ele respondeu : Não sei, só matei comunistas! Vão pro inferno desgrahças! E todos que votaram nesses pulhas!

      Uma frase para os babacas neutros indolentes e frouxos :

      Os lugares mais quentes do inferno são reservados para aqueles que em tempo de crise moral, se mantiveram em posições de neutralidade! Dante Alighieri, A divina comédia.

      Responder
  14. Muito simples, o art 59-A da lei 13165/2015 de autoria do deputado Jair Bolsonaro, estabelece o voto impresso acoplado a urna eletrônica, BLINDADO, e automaticamente enviado para URNA LACRADA, portanto não permitindo ao eleitor, “destacar o bilhete” e levar para casa para mostrar aos familiares e aos donos dos votos, que cumpriu a obrigação.
    Só isso deveria ser analisado por nossos notáveis do STF, para discutir a absurda ARGUIÇÃO de INCONSTITUCIONALIDADE promovida pela ex PGR Raquel Dodge, e recentemente DECLARADA por maioria de nosso STF, que simplesmente seguiram o relator Gilmar Mendes e concluíram ” violação do sigilo e liberdade do voto”, e comentários soltos de iluminados como, “custar muito caro”, “problemas mecânicos com impressora”, “é um retrocesso”, e outras baboseiras. Só faltou comentar “é de autoria do Bolsonaro”, para tornar MAIS QUE INCONSTITUCIONAL.
    Concluo que, o CONGRESSO NACIONAL nos agride ao aceitar passivamente essa declaração do STF, e não exigir o cumprimento da Lei em 2.022.
    Afinal, a Constituição não estabelece a harmonia e independência dos Poderes? Quem seria o poder moderador nesse momento, para não permitir tamanha ingerência?
    Para piorar, e ai demostrar mais provocação ao presidente Bolsonaro, o iluminado Barroso, insinua estar estudando a implantação do voto no CELULAR já para 2.022. Cabe a um notável do saber jurídico criar essa desarmonia entre os poderes, com esses instintos primitivos? Esta querendo Legislar?
    Como não tenho formação jurídica, só sei ler, escrever e interpretar, peço desculpas e aceito que leitores juristas contestem minha interpretação, e procurarei entender.

    Responder
  15. tá provado que ministros dos tribunais superiores não entendem nada de administração. E querem mandar em tudo, decidir sobre tudo, só que eles não conhecem a palavra “gestão”. Quando chega uma hora que tem que decidir sobre algo concreto que não passa pelo mundo jurídico, mostram que não sabem nada. O Barroso é mais ou menos como Ministro, mas mostrou que é incompetente no exercício de administrar organismos complexos e gigantes.

    Responder
  16. Órgão que esbanja bilhões com altos salários, mordomias, prédios absurdos, etcetc, mas que não entrega o serviço para o qual foi criado, tem que acabar com essa jabuticaba totalmente ineficaz e desnecessária e que ainda por cima ninguém confia, lamentável.

    Responder
  17. Boa Sílvio.
    TSE prá que? Não serve prá nada – ou melhor, serve pra atrapalhar e comer nosso dinheiro, sustentando essas bestas iluminadas.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês