-Publicidade-

Brasil avalia isentar temporariamente importação de arroz, milho e soja

Principal preocupação do governo é com o arroz e os impactos ao consumidor final
Arroz integral | Foto:  Wikimedia Commons
Arroz integral | Foto: Wikimedia Commons

Principal preocupação do governo é com o arroz e os impactos ao consumidor final

arroz
Arroz integral | Foto: Wikimedia Commons

O Ministério da Agricultura informou nesta quinta-feira, 27, que o governo estuda retirar temporariamente as tarifas de importação do arroz, milho e soja de países de fora do Mercosul.

Segundo a pasta, a ideia é equilibrar o mercado doméstico e impedir aumentos de preços.

LEIA MAIS: O EXTRAORDINÁRIO MOMENTO DO AGRONEGÓCIO

“Vamos tirar o imposto de importação para esses três itens. É uma sinalização clara que o governo está atento aos preços, para não permitir que os preços cresçam para pressionar a inflação do país”, afirmou o secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura, César Halum, na quarta-feira 26.

À agencia Reuters, o ministério disse que “essa proposta deverá entrar na pauta da Gecex em setembro”.

Gecex é o Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior, ligada ao Ministério da Economia.

Arroz

Segundo o jornal Valor Econômico, a principal preocupação do governo é com o arroz e os impactos ao consumidor final.

“É um alimento básico. Se tiver gente segurando arroz, especulando para aumentar preço, pode desovar, senão o Brasil vai importar arroz e equilibrar o mercado”, advertiu César Halum.

Halum destacou que o aumento dos preços também se deve à forte demanda internacional e à desvalorização do real frente ao dólar.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês