-Publicidade-

Conselho do Ministério da Economia recomenda concessão de florestas no AM

A medida ainda depende do aval do presidente da República, Jair Bolsonaro, para ser aplicada
Conselho do Ministério da Economia recomenda concessão de florestas no AM
Conselho do Ministério da Economia recomenda concessão de florestas no AM | Foto: Mario Oliveira/MTur/Agência Brasil

O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) do Ministério da Economia recomendou a qualificação no programa das florestas nacionais de Balata-Tufari, de Pau Rosa e de Jatuarana, localizadas no Estado do Amazonas, para fins de concessão florestal.

A resolução é de 2 de dezembro de 2020 e foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira, 21. A medida ainda depende do aval do presidente da República, Jair Bolsonaro, para ser aplicada.

A publicação estabelece o Serviço Florestal Brasileiro, enquanto órgão gestor, como responsável por disciplinar e conduzir o processo de outorga da concessão florestal.

Segundo o texto, o conselho considera, entre outros pontos, a necessidade de conservar a cobertura vegetal das florestas brasileiras e a necessidade de gerenciar o patrimônio florestal brasileiro de forma a combater a grilagem de terras e coibir a exploração predatória dos recursos naturais existentes, evitando assim a conversão do uso do solo para outros fins.

Leia também: “A Amazônia é cada vez mais brasileira, diz Bolsonaro”

Com informações da Agência Brasil

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Deixe-me ver se entendi: Uma empresa ou pessoa física qualquer recebe do governo a concessão para garantir a integridade florestal de uma determinada área e ainda manter uma espécie de segurança armada na área para se evitar a entrada de grileiros e madereiros. Terá que enfrentar uma série de bandidos perigosos, dispostos a tudo e ainda manter um efetivo de seguranças armados e que podem resultar até em conflitos graves. Tudo isso a troco de quê? Amor pela natureza? Desculpem, mas foi isso que entendi.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês