-Publicidade-

Desembargadores do TJ-MG são alvo de operação da PF

Dentre os endereços alvos de buscas estão as casas dos dois desembargadores, a sede do TJ e até um haras

Entre os locais de buscas estão as casas de dois desembargadores, a sede do tribunal e até um haras

 Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Sede do Tribunal de Justiça de Minas Gerais | Foto: Mirna de Moura/TJMG

Dois desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Geraldo Domingos Coelho e Paulo Cézar Dias, foram alvo nesta quarta-feira, 18, de operação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal que apura suposto recebimento de propina para influenciar na solução e no andamento de processos judiciais.

Leia mais: “Lava Jato: Polícia Federal cumpre mandados no RJ”

Não foram cumpridos mandados de prisão, apenas de busca e apreensão. Apreenderam-se computadores, celulares (inclusive os aparelhos dos dois desembargadores), documentos e cerca de R$ 50 mil. O dinheiro foi encontrado na casa do advogado Luiz Carlos de Miranda Faria, outro alvo da operação.

Entre os endereços estão as casas dos dois desembargadores, a sede do TJ e até o haras do desembargador Paulo Cézar Dias. A Operação Cosme investiga mais sete pessoas que, para conseguir privilégios com a Justiça, ofereciam vantagens indevidas aos magistrados.

Tribunal de Justiça de Minas

O tribunal emitiu uma nota sobre a operação: “O TJMG confia nas instituições para apuração da verdade e mantém o compromisso com a transparência e valores institucionais. O TJMG observa que as investigações tramitam sob sigilo e que aguarda as apurações e permanece à disposição das autoridades para colaborar no esclarecimento dos fatos. O TJMG ressalta que o princípio da presunção de inocência é garantia constitucional e deverá ser observado, pois trata-se de um dos mais importantes pilares do Estado democrático de direito”.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Desembargadores e juízes vendendo sentenças… esse sempre foi um dos pilares da corrupção no Brasil. Parabéns à PF e ao MPF por combaterem esse câncer

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês