-Publicidade-

EUA diz que Rússia, China e Irã tentam interferir nas eleições de 2020

Desde maio, governo norte-americano já recebeu mais de 20 relatórios confidenciais sobre influência externa nas eleições
Casa Branca, em Washington, D.C. | Foto: Andrea Hanks/Casa Branca
Casa Branca, em Washington, D.C. | Foto: Andrea Hanks/Casa Branca

Desde maio, governo norte-americano já recebeu mais de 20 relatórios confidenciais sobre influência externa nas eleições

Casa Branca
Casa Branca, em Washington, D.C. | Foto: Andrea Hanks/Casa Branca

O diretor do Centro Nacional de Contra-inteligência e Segurança dos Estados Unidos, Wiliam Evanina, disse que Rússia, China e Irã tentarão interferir nas eleições presidenciais de 2020.

Nesta sexta-feira, 7, ele afirmou que essas nações estão usando desinformação online e outros meios para tentar influenciar eleitores, fomentar a desordem e prejudicar a confiança dos norte-americanos no processo democrático.

LEIA MAIS: Você com a palavra: 5G da China ou dos EUA?

Segundo Wiliam Evanina, adversários estrangeiros também tentarão interferir nos sistemas eleitorais dos EUA ao tentar sabotar o processo de votação, roubando dados eleitorais, ou colocando em dúvida a validade dos resultados eleitorais.

“Vai ser difícil para nossos adversários interferirem ou manipularem resultados em grande escala”, acrescentou Evanina, segundo a agência Reuters.

Evanina alertou nesta sexta-feira que a Rússia já está tentando prejudicar o candidato democrata, Joe Biden, por considerá-lo membro do “establishment” anti-Rússia norte-americano.

Rússia nas eleições de 2016

Várias auditorias conduzidas por agências de inteligência dos EUA concluíram que a Rússia agiu para impulsionar a campanha do hoje presidente Donald Trump em 2016, prejudicando as chances de sua rival democrata, Hillary Clinton, nas eleições.

Trump há muito se irrita com a conclusão, que é negada pela Rússia.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

    1. Oi, Adamor! Obrigado por nos escrever. Essas auditorias não são públicas. O que sabemos, por enquanto, veio da declaração do diretor do Centro Nacional de Contra-inteligência e Segurança dos Estados Unidos, mas siga acompanhando a Oeste que qualquer novidade informamos. Um abraço!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês