-Publicidade-

A invasão de homens nos esportes femininos é um desrespeito inaceitável às mulheres

É o que argumenta Ana Paula Henkel, em artigo publicado na Edição 46 da 'Revista Oeste'
Uma ordem executiva autorizou homens biológicos a competir com mulheres
Uma ordem executiva autorizou homens biológicos a competir com mulheres | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

“Há quase três anos venho tentando trazer um pouco de racionalidade para o debate público sobre transexuais no esporte. Em meu último artigo para a Revista Oeste, escrevi sobre minha indignação e de tantas outras atletas olímpicas depois da ordem executiva que autoriza homens biológicos a competir com mulheres — bastando, para tal, apenas “identificar-se como mulheres”. Essa falsa inclusão significa a exclusão de meninas e atletas femininas de seus espaços no esporte, além de óbvia judicialização. A invasão de homens biológicos nos esportes femininos não é apenas errado, é um ataque frontal e um desrespeito inaceitável às mulheres — a própria discussão é, em si, ultrajante e humilhante. Mas hoje é a vez de sair em defesa dos homens.”

O parágrafo descrito acima faz parte do artigo de Ana Paula Henkel, publicado na Edição 46 da Revista Oeste, que foi ao ar na sexta-feira 5.

Leia também: “Trump: ‘Nós voltaremos de um jeito ou de outro’”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês