-Publicidade-

Após votar contra o governo, senadora dispara contra Guedes

Senadora Soraya Thronicke foi uma das aliadas do governo que votou a favor da derrubada dos vetos
De acordo com Soraya, o Senado é mais polido que Guedes | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
De acordo com Soraya, o Senado é mais polido que Guedes | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado | Senadora

Senadora Soraya Thronicke foi uma das aliadas do governo que votaram a favor da derrubada dos vetos

Senadora
De acordo com Soraya, o Senado é mais polido que Guedes | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) não recebeu bem as críticas após ter votado contra o governo no veto ao congelamento de salários de servidores públicos. Como Oeste mostrou, a parlamentar era considerada aliada do presidente Jair Bolsonaro.

Em suas redes sociais, Soraya respondeu às críticas feitas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Aliás, o chefe da pasta chegou a classificar a decisão dos senadores de “desastre” e “crime contra o país”.

“A sorte do Min. Paulo Guedes é que os Senadores são bem mais polidos do que ele”, escreveu a parlamentar no Twitter. Além disso, ela complementou afirmando que Guedes não vai escapar da reprimenda.

“Irresponsabilidade tem limites, e ele não está cuidando da economia da casa dele. Estamos tratando de um país!”, disse.

A votação no Senado contou com um placar apertado — foram 42 votos pela rejeição e 30 pela manutenção do veto. Contudo, o governo conseguiu reverter a situação após uma forte articulação na Câmara.

Reajustes salariais

O trecho vetado impedia reajustes salariais e contagem de tempo de serviço para profissionais da linha de frente do combate à pandemia de covid-19. O veto faz parte da lei que liberou R$ 60 bilhões para Estados e municípios durante a crise sanitária. O congelamento de salários era a contrapartida à ajuda financeira.

Aliás, essa foi a segunda investida da senadora contra Guedes. Ontem, quinta-feira 20, Soraya compartilhou um trecho de fala do ministro em comissão do Congresso. Na ocasião, ele afirma que “médicos, policiais militares, enfermeiros, todo mundo que estiver na linha de frente de combate deve ser uma exceção a qualquer, digamos assim, impedimento de aumento de salário”.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

13 comentários

  1. Difícil entender quem aposta em ganhar os votos dos petistas-raiz num momento desses, onde a popularidade do PR aumenta até nas pesquisas do jornal que faz a assessoria de imprensa da esquerda.
    Irá alguém largar Boulos, Ciro, Maria do Rosário, Lula, para votar em Soraya?
    Acho difícil….

  2. Não sabia quem era a ilustre senadora, agora sei, espero que a partir de agora entre entre para o ostracismo e de lá não saia. Mais uma que usou o nome de Bolsonaro para se eleger e depois acha que é alguém e que tem voz. Na verdade só tem a própria pequenez e mediocridade. Com todo respeito é claro!

    1. Uma insignificante cuja ignorância é tanta que conseguiu dar um tiro em cada pé, votou contra o governo e criticou o Guedes. Estamos muito mal representados no senado.

  3. Sou policial e acho que o país está no rumo certo. Tanto o Presidente quanto o Ministro Paulo Guedes estão certíssimos em vetar aumento para qualquer categoria. O país não é feito apenas de Segurança Publica, saúde e educação. Há pais e mães de família que necessitam tanto quanto nós de uma renda para sobreviver e se não houver sacrifícios de todos jamais alcançaremos um lugar de excelência e expressão a nível mundial. Lamentável a posição desta senadora e de todos os outros que quiseram criar problemas para nosso Brasil.

  4. Essa senhora não pensou no equilíbrio das contas públicas.
    O problema no Brasil é que os membros do parlamento, bem como os integrantes das cortes judiciais, pensam que podem tudo, inclusive pisar em todo e qualquer membro do executivo.
    Espero que este seja o último mandato eletivo da madame “estou nas nuvens”.

    1. Essa aí sem Bolsonaro não ganharia nem de vereadora e agora quer aparecer, aproveite pq mandato para cair no colo duas vezes é difícil.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês