-Publicidade-

Dinastias políticas transformam a democracia em farsa

Em 2017, 62% da Câmara e mais de 73% do Senado haviam sido eleitos por oligarquias familiares

Em 2017, 62% da Câmara e mais de 73% do Senado haviam sido eleitos por oligarquias familiares

Senado
Plenário do Senado | Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A praga das famílias políticas contamina todo o corpo da política, numa teia intrincada de alianças e interesses que define os destinos do país. Estas dinastias transformam a democracia em farsa e impedem a modernização do país, por estimular o nepotismo e o patrimonialismo.

Por trás do verniz aparente de modernização das últimas décadas, as oligarquias controlam desde a Presidência da República, comandada pelos Bolsonaro, até as prefeituras dos menores municípios brasileiros, passando, é claro, pelo Parlamento.

Pesquisa divulgada em 2017 pelo site Congresso em Foco revelou que nada menos do que dois terços dos parlamentares naquele ano — 62% da Câmara e mais de 73% do Senado — haviam sido eleitos por oligarquias familiares.

A colunista Selma Santa Cruz detalha as famílias que se perpetuam no poder na 35ª edição da Revista Oeste.

LEIA AGORA: DINASTIAS POLÍTICAS

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. Com um assunto destes expor algumas considerações no requinte exigido por este site é a mesma coisa do que estar com muita sede num calor desértico ao lado de um copo d’água e não poder bebê-lo. Assim prefiro ficar com sede.

  2. Mas estão “mapeados”, e os seus terreiros, ainda que com raposas(STF), tomando conta dos galinheiros (denominados senado e congresso), vão ficando com seus bípedes (essa corja de deputados e senadores), apenas com cargos públicos, sem mexer muito na ração (cofres públicos ). Se querem ver o POVO nas RUAS novamente em 2021, dando continuidade às pautas ANTICORRUPÇÃO elencadas em 2013, mantenham os traidores fazendo o jogo sórdido do “mecanismo”, e se aventurem a manter Maia Botafogo e Batore Alcolumbre, ou mesmo trapaceiem colocando membros dos clãs Bezerra e Lyra Coelho, emplacando Fernando Bezerra e Ailton Lyra.
    PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA E O FIM DO FORO PRIVILEGIADO
    Somente destas instituições podemos cobrar, porque fomos nós irresponsáveis por instalar naqueles galinheiros, gente como Aécio Neves, Anastasia, Rodrigo Pacheco e tantos e quantos traidores da Pátria.
    Unidos venceremos esse status que se perpetua a mamar nas tetas do estado.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês