-Publicidade-

Ex-petista (atual Psol) abre a corrida dos crimes eleitorais?

Hoje no PSOL, candidato a vereador do Rio de Janeiro terá de se explicar à Justiça

Depois de gravar um vídeo entre plantas cujas folhas lembram as de maconha, candidato terá de se explicar à Justiça

Ad
André Barros | Imagem retirada de vídeo de campanha

Mal começou a disputa eleitoral de 2020 e um André Barros já conseguiu ser convocado pela Justiça para prestar esclarecimentos. Ex-petista, o advogado, que hoje está filiado ao Psol e disputa uma vaga para o cargo de vereador na cidade do Rio de Janeiro, conseguiu a façanha com menos de cinco dias de campanha.

Leia também “O ocaso do lulismo”, reportagem publicada na edição n°25 da Revista Oeste

O problema, no entanto, não foi desvio de dinheiro público — crime pelo qual são acusados vários integrantes de seu antigo partido. Barros resolveu gravar um vídeo de campanha cercado por plantas que, se não são, parecem muito pés de maconha, usando frases bastante sugestivas. “Baseado na sua consciência, baseado na sua mente, aperta 50420”, diz o candidato. “Cinquenta do sol e quatro e vinte da planta. Depois não esquece, confirma. Aperta de novo o verde.”

O motivo da convocação é a “alusão à valorização e consumo de drogas”, segundo o Ministério Público Eleitoral. Barros também afirma no vídeo que é advogado da marcha da maconha. Longe de ser um novato, ele concorreu em todas as campanhas desde de 2006, mas nunca foi eleito.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês