-Publicidade-

Não votou no 2º turno? Você tem até hoje para justificar ausência

Saiba o que fazer para ficar em dia com a Justiça Eleitoral
Eleições 2020: eleitores têm até o fim desta quinta-feira, 28, para justificar ausência no segundo turno
Eleições 2020: eleitores têm até o fim desta quinta-feira, 28, para justificar ausência no segundo turno | Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Eleitores dos municípios que contaram com segundo turno para eleição de prefeito em 2020 e que, por alguma razão, não foram votar têm até às 23h59 desta quinta-feira, 28, para apresentar suas justificativas. O prazo é definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Leia mais: “Eleição da Câmara: petistas são derrotados no STF”

O prazo de hoje é referente somente nos casos de não comparecimento às urnas no segundo turno. De acordo com o próprio TSE, a justificativa relativa ao primeiro turno das eleições municipais deveria ser realizada até 14 de janeiro — o que foi feito por mais de 8,1 milhões de eleitores.

Com quase 1,3 milhão de justificativas a respeito do segundo turno já computadas, o TSE indica que quem ainda não justificou ausência na segunda parte do pleito do ano passado pode ficar em dia com a Justiça Eleitoral sem sair de casa. O processo pode ser feito 100% on-line. Para isso, será preciso realizar os seguintes passos:

  1. Baixar o aplicativo e-Título (disponível na Play Store e App Store) ou acessar a seção de consulta de justificativa do site Título Net;
  2. Registrar informações pessoais solicitadas, como nome completo, número de CPF e o número do título de eleitor;
  3. Ir na opção que indica a justificativa da ausência — e inserir mais informações, conforme for solicitado.

Atenção, Macapá

O prazo para se justificar não se aplica somente aos eleitores de Macapá. Como o primeiro e o segundo turno de 2020 foram adiados na capital do Amapá, as datas são outras por lá. Assim, a justificativa de ausência do primeiro turno poderá ser registrada até 5 de fevereiro. Para o segundo, o limite será 19 de fevereiro.

Leia também: “Barroso e a tolice do voto obrigatório”, reportagem de Edilson Salgueiro Júnior publicada na edição 44 da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês