-Publicidade-

Os seres humanos não só vivem melhor como vivem muito mais

No Brasil, enquanto a expectativa de vida de um bebê nascido em 1968 era de 58 anos, aqueles que nasceram em 2018 ultrapassarão os 75

Um dos principais indicadores que mostram que, apesar de tudo, o mundo está melhorando, é a expectativa de vida da população. Nos últimos 200 mil anos, a maioria das pessoas não completava 25 anos de vida. “A expectativa de longevidade global disparou no século 19 e depois dobrou no século 20, um piscar de olhos em termos evolutivos”, informou uma reportagem do jornal britânico The Guardian em outubro de 2020. Nem todos os lugares, convém ressalvar, melhoraram no mesmo ritmo. No Japão, por exemplo, as pessoas vivem em média até 85 anos. Na República Centro-Africana, apenas 53. Embora essas disparidades sejam chocantes, o prolongamento da vida é uma das maiores conquistas da humanidade.

(Confira os números arrastando a bola no centro da imagem abaixo para a direita ou para a esquerda)

No Brasil, enquanto a expectativa de vida de um bebê nascido em 1968 era em média de 58 anos, aqueles que nasceram em 2018 ultrapassarão facilmente os 75. Os principais responsáveis pelo fenômeno são os avanços da medicina, os cuidados preventivos com a saúde e a alimentação mais saudável. Cientistas garantem que já estão entre nós as crianças que viverão até os 150 anos. E é cada vez maior o número dos futuros centenários.

Leia a reportagem completa: Acredite, o mundo está melhorando

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês