Os intocáveis do funcionalismo público - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 19 maio 2020, 13:06

Os intocáveis do funcionalismo público

19 maio 2020, 13:06

Enquanto muitos brasileiros do setor privado se esforçam para encontrar soluções para atravessar a crise, o funcionalismo público permanece intocado: não enfrentará risco de perder emprego, redução de jornada de trabalho com equivalente corte de salário ou ainda restrição de benefícios.

O socorro da União aos Estados, orçado em R$ 125 bilhões, foi condicionado à contrapartida do congelamento salarial dos servidores até 2021. O lobby do funcionalismo no Congresso agiu com rapidez para excluir do corte carreiras nas áreas de segurança, educação, limpeza pública, saúde, perícia. Agora, o congelamento de salários dependerá do veto presidencial.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA: Servidores, a casta privilegiada não atingida pela crise

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Já fui empregado do BB e sei que esses “comem quietos” votarão em quem garantir-lhes a continuidade deste status quo. Saibam, por incompetência e covardia, pois,a cada dia recebem menos e menos, pois os banqueiros sócios do “mecanismo”, Bradesco e Itaú, através do centrão deles, a Febraban, tem a orientação máxima: reduza o pessoal, acumula-lhes bastante trabalho, e congele seus salários. Tudo combinado com o COMUNISTA, travestido de social democrata FHC, junto com aquele socorro aos bancos de 20bi. FHC é Sarney hão de nos pagar!!!

    Responder
  2. Esse câncer vai consumir o Brasil.

    Responder
  3. QUANDO VAMOS TER PESSOAS DECENTES COM CORAGEM BASTANTE PARA ACABAR COM E S T A B I L I D A D E DO EMPREGO PUBLICO? A SOCIEDADE VAI AGUENTAR POR QUANTO TEMPO MAIS?. QUE TENHA CONCURSO, PORÉM SEM ESTABILIDADE.
    TODO MUNDO QUE IR MORAR E TRABALHAR NOS ESTADOS UNIDOS, SENDO QUE LÁ NAÕ EXISTE ESSA MAMATA. A MAIORIA DOS PAISES RICOS NAÕ EXISTE “ESSA BOQUINHA”, SOMOS MAIS ESPERTOS?.

    Responder
  4. O famoso funcionalismo extrativista.

    Responder
  5. Quanto o Funcionalismo Público consome do PIB Nacional ? Quanto mais consomem, mais aumenta a PINB ( Pobreza Interna Bruta ). Precisamos mudar isto, urgentemente.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês