Para reduzir dívida, Guedes estuda usar reservas cambiais

Edição da semana

Em Em 20 nov 2020, 07:20

Para reduzir dívida, Guedes estuda usar reservas cambiais

20 nov 2020, 07:20

Ministro da Economia também prometeu acelerar a agenda de privatizações

para reduzir dívida

“Vamos privatizar e faremos tudo o que for necessário para reduzir a dívida”, prometeu o ministro
Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo avalia usar parte das reservas cambiais para diminuir a dívida pública, que deve atingir 96% do Produto Interno Bruto em 2020. O motivo: gastos extras com o surto de coronavírus. Em live promovida pelo banco Bradesco, Guedes salientou que a meta do governo é reduzir o passivo já no próximo ano através de privatizações, desalavancagem de bancos públicos e reformas econômicas. Sem reformas, o Brasil não conseguirá equilibrar as contas antes de 2027, alertou o ministro.

“Vamos privatizar e faremos tudo o que for necessário para reduzir a dívida”, prometeu Guedes. O governo já utilizou parte dos lucros cambiais de modo a amortecer a dívida pública. Em agosto, o Conselho Monetário Nacional transferiu R$ 325 bilhões do lucro cambial do Banco Central (BC) para a conta do Tesouro Nacional. Na decisão, o conselho disse que permitirá a transferência de mais recursos, mas “caso haja necessidade”. De acordo com dados do BC, a posição das reservas internacionais, em outubro, alcançou US$ 354 bilhões.

Leia também: “O custo da ineficiência”, reportagem publicada na edição n° 2 da Revista Oeste

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Prezado Cristyan Costa. O Ministro Paulo Guedes na verdade está sozinho nessa luta pelas privatizações. Nunca vi ou li uma declaração do PR defendendo ou trabalhando à favor delas. O PR fala de tudo : de pólvora, de saliva , de madeira, de eleições americanas , de tudo; menos privatizações. Até a famigerada promessa de extinguir a TV governamental com ZERO de audiência fracassou . O CENTRÃO .prezado jornalista, que é o novo ( e insaciável) escudeiro de PR jamais aprovará privatização que dependa do Congresso: uma e outra aqui e acolá , talvez os correios , se a aposição deixar. No mais Cristyan Costa, o CENTRÃO sobrevive das ESTATAIS : é delas que vêm os milhares de cargos que lhes são distribuídos pelo PR . É de lá – das estatais- é que vem os dinheiros públicos para suas mazelas e falcatruas de toda sorte ; nepotismo infindável e compra de votos para aprovação dos projetos de seu interesse. Portanto, nada acontecerá se o CENTRÃO não quiser que aconteça. O Ministro esperneia, fala, grita, mas o PR simplesmente não houve.

    Responder
    • Vou lhe enviar o plano de governo de Bolsonaro quando candidato nas eleições de 2018.

      Responder
  2. não sei por quanto tempo o guedes vai ficar nessa, uma voz que fala sozinha.

    Responder
  3. O “jênio” vai queimar as nossas reservas, deixadas por Lula e Dilma, com a banca! Santo Deus, quando nos livraremos dessa súcia!

    Responder
  4. Não adianta reclamar que não acontece as privatizações se, na hora em que vão eleger os deputados e senadores, preferem votar nos que são contra privatizar. É preciso que o eleitor seja mais instruído e responsável, pense mais no Brasil.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês