Paulistas serão vacinados contra a covid-19 até o fim de fevereiro, garante Doria - Revista Oeste

Edição da semana

Em 21 set 2020, 21:10

Paulistas serão vacinados contra a covid-19 até o fim de fevereiro, garante Doria

21 set 2020, 21:10

A fábrica que produzirá a vacina no Brasil está sendo construída, em parte, com doações do setor privado

doria

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB)
Foto: Bruno Escolastico/Photopress/Estadão Conteúdo

Nesta segunda-feira, 21, o governador João Doria garantiu que os paulistas serão vacinados até o fim de fevereiro de 2021. Desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, a CoronaVac é testada no Estado de São Paulo por meio de uma parceria com o instituto Butantan — que também poderá produzi-la.

“Aos brasileiros de São Paulo, garanto que teremos a vacina para atender a totalidade da população já no final deste ano e ao longo dos dois primeiros meses de 2021″, avisou Doria. “Temos que, evidentemente, terminar esta terceira fase de testagem e esperamos que tudo corra bem.”

Leia também: “Doria diz ter plano alternativo de vacinação se não houver acordo com Saúde”

As doses da vacina produzidas em São Paulo serão feitas em uma fábrica que será ampliada. O custo do projeto está orçado em R$ 160 milhões. Pelo menos R$ 97 milhões já teriam sido arrecadados por meio de doações realizadas pelo setor privado. O governo estima que as obras estejam concluídas até o fim de 2021 e que a produção ajude a suprir a demanda nacional.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Tomar uma vacina produzida “a toque de caixa” é seguro ? O governador parece estar muito empenhado em finalizar os estudos e iniciar a produção do imunizante. Preocupação com os brasileiros de São Paulo?

    Responder
  2. Esse palhaço ainda não entendeu que ninguém está disposto a tomar essa vacina Ching ling . Ela acha que vai obrigar a população a tomar. Isso não passa de demagogia barata.Dorinha calcinha,abaixa a calcinha e toma sozinha.

    Responder
  3. Sumiu com a pandemia. O prefeito de Paris deve estar muitissimo chateado.

    Responder
  4. Agora ele vai acabar de matar o resto da população…

    Responder
  5. 👏👏👏👏🤛👏

    Eu NÃO tomo VaChina!

    Outras: a depender da origem!

    Responder
  6. E esta fábrica de R$160 milhões? Quanto vai para o bolsinho do Doidória? Se quer produzir no Brasil, a empresa chinesa que venha e construa sua fábrica aqui.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês