PL das 'fake news' pode ser votado pela Câmara na próxima semana

Edição da semana

Em 30 set 2020, 14:00

PL das ‘fake news’ pode ser votado pela Câmara na próxima semana

30 set 2020, 14:00

Texto aprovado pelo Senado trará diversas mudanças propostas pelos deputados

deputado

Orlando Silva dever ser o relator da proposta na Câmara | Foto: José Cruz/Agência Brasil

O coordenador do grupo de trabalho que analisou o PL das fake news na Câmara, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), afirmou q e proposta deverá ser votada pela Casa na próxima semana. O texto já passou pelo Senado, no entanto, terá pontos alterados pelos deputados.

“A minha impressão é de que esse texto vai ser votado na semana que vem, na próxima quarta-feira. Eu acredito que  é o mais provável que nós façamos a votação na próxima quarta-feira”, disse ele em live promovida pela Coalizão Direitos na Rede.

Leia Mais: “PL das ‘fake news’ propõe até 5 anos de prisão para milícia digital”

A decisão sobre colocar o projeto na pauta de votações depende do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), após consulta a líderes partidários. “Não tem uma definição do presidente. Na minha percepção no curtíssimo prazo imagino que haja tempo para a gente construir convergências”, completou Orlando.

O deputado, que deverá ser o relator da matéria na Câmara, apresentou uma minuta na qual altera pontos-chave do texto aprovado pelo Senado em junho. Entre as mudanças feitas, está a remoção do mecanismo de rastreabilidade de mensagens encaminhadas por aplicativos como o WhatsApp.

Os senadores definiram que as empresas devem guardar, por três meses, o registro de encaminhamento de uma mesma mensagem a mais de cinco usuários. O ponto era considerado uma coleta massiva de dados e ameaça à privacidade dos usuários.

Além disso, o texto preliminar de Silva reduz os mecanismos de identificação dos usuários e proíbe a monetização de canais por políticos, parlamentares e detentores de cargos eletivos.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Sempre os esquerdoides com apoio do Nhonho.

    Responder
  2. É preciso ser contra. Totalmente contra.
    Será pior do que faz o regime comunista chinês com seus compatriotas.
    Precisamos rejeitar totalmente.
    É censura a todos os cidadãos.
    Ataque à democracia.

    Responder
  3. É preciso ser contra.
    Será pior do que faz o regime comunista chinês com seus compatriotas.
    Precisamos rejeitar totalmente.
    É censura a todos os cidadãos.
    Ataque à democracia.

    Responder
  4. Que tal votarmos a ida desse parasita direto pro inferno?

    Responder
  5. Esse é o da tapioca!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês