A imprensa alternativa é a salvação do jornalismo, diz Alexandre Garcia

CNN Brasil demitiu o comentarista por ele defender o tratamento precoce para o novo coronavírus
-Publicidade-
Garcia afirma que os telespectadores criticaram a saída dele da CNN
Garcia afirma que os telespectadores criticaram a saída dele da CNN | Foto: Divulgação

Demitido da CNN Brasil por defender o tratamento precoce para a covid-19, o jornalista Alexandre Garcia elogiou a mídia não-tradicional. “É a salvação do jornalismo”, disse, em entrevista ao jornal Brasil Sem Medo, ao mencionar que a grande imprensa se tornou reduto de militantes. “O que as pessoas querem é um jornalismo que não seja mais importante que os fatos, um jornalismo que mostre a verdade, que não esteja a serviço de ideologias”, observou.

Garcia afirmou que os telespectadores criticaram a saída dele da CNN. “As pessoas estranharam um quadro chamado ‘Liberdade de Opinião’ sem liberdade”, comentou. O jornalista disse que está negociando a ida para um “grande canal”, porém não mencionou qual. O jornal O Globo noticiou nesta quinta-feira, 30, que Garcia está de malas prontas para a rádio Jovem Pan. Ele deve integrar o quadro de comentaristas do programa Os Pingos nos Is.

Leia também: “Depois de ser demitido, Alexandre Garcia supera a CNN Brasil em número de inscritos no YouTube”

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

10 comentários Ver comentários

  1. O Presidente Bolsonaro deve explicações aos seus eleitores sobre como foi dada a concessão à CNN para operar no Brasil. Se é ele quem decide se mantém a concessão da #GloboLIXO, precisa explicar a da CNN.
    Nos EUA, ela é conhecida como “Communist News Network”. Jamais uma definição caiu tão bem a um orgão da imprensa, ou melhor, EXTREMA IMPRENSA. Bando de esquerdistas vagabundos.

  2. A Jovem Pan por enquanto é a única mídia de algum porte mais ou menos isenta. Dá a impressão que existe mais pluralidade. A apresentadora diz “tratamento comprovadamente ineficaz” e a comentarista logo em seguida diz “tratamento ainda não comprovado”, e segue o jogo. Não sei quanto tempo dura a pluralidade, mas esse deveria ser o jornalismo. Hoje as grandes emissoras estão se engalfinhando para ver quem é mais ESQUERDISTA. É o mesmo do mesmo com pitadas de mesmice militante. Vão se canibalizar.

    1. Concordo. Na JP o que salva é o 3 em 1 e o Os Pingos nos Is. Não sei o nome do editor do site da JP. Só sei que é um imbecil de carteirinha. Basta ler as manchetes para perceber que o cara é uma besta quadrada.

  3. A Jovem Pan é uma incógnita, tem programas que parecem redigidos por Vera Magalhães e programas de alto valor por sua isenção com Pingo nos Is. O Morning Show, tirando o Adrilles e a Zoe e o Zé Maria Trindade, parece assessoria de imprensa do Dória. O Joel é insuportável, não por fazer campanha para Dória ou terceira via, que isso é opção dele e temos que respeitar, mas pela interpretação e narrativas sempre distorcendo os fatos e a realidade.

    1. Na Jovem Pan o “jornal da manha” é comandado por um tucaninho e uma tucanona. Tiago e Adriana. Mas tem comentaristas de esquerda e direita. O morning show é comandado por Paulo tucano, Paulinha comunista e um puxa-saco da Paulinha, mas os comentaristas são de esquerda e direita. O problema da Pan é que os repórteres de campo são TODOS comunistinhas, mas levam a notícia dos fatos. Ou a Pan se ajeita com isenção ou vai brigar com Band, CNN, Cultura, Globo, CBN, etc. na esquerda e vai perder.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.