A preço de custo

Os inimigos de Bolsonaro insistem na obsessão de denunciar o adversário por desastres que ele não cometeu
-Publicidade-
O presidente Jair Bolsonaro durante solenidade de Ação de Graças, no Palácio do Planalto | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro durante solenidade de Ação de Graças, no Palácio do Planalto | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

J. R. Guzzo

(Publicado no Estadão, em 20 de dezembro de 2020)

-Publicidade-
O presidente Jair Bolsonaro durante solenidade de Ação de Graças, no Palácio do Planalto
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro pode estar levando a preço de custo, ou praticamente de graça, a sua reeleição em 2022. É isso que vai acontecer, se a situação dos próximos dois anos permanecer a mesma dos dois últimos — período em que os partidos de oposição, as elites centristas, a mídia e quem mais quer Bolsonaro fora da Presidência da República parecem ter feito tudo o que podiam para ajudar seu inimigo número 1 a ficar na cadeira de onde querem que ele saia. Em primeiro lugar, não conseguem se unir em torno de um programa mínimo e menos ainda de um nome para concorrer de verdade com o presidente. Além disso, insistem na obsessão de denunciar o adversário por desastres que ele não cometeu — enquanto deixam passar, intacta, a boiada inteira dos erros, fracassos e disparates que seu governo de fato tem cometido.

É a história de sempre — quando o sujeito é cobrado por dívidas que não tem, ou que a maioria acha que não tem, acaba ficando livre de pagar o que realmente deve. Resultado: quanto mais os ataques contra Bolsonaro vão se aproximando da histeria, mais ele prospera em seus índices de aprovação popular. O presidente, por exemplo, acaba de ser denunciado na imprensa, mais uma vez, como um “genocida” que pratica atos de “descaso homicida” e “estupidez assassina” por conta da covid-19; é acusado, todos os dias, de ser o responsável pela morte de “180 mil pessoas”. É isso, e coisa pior, que vem sendo repetido por seus adversários desde o começo da epidemia. Exatamente no mesmo momento informa-se que o índice de aprovação do presidente acaba de subir para 37% — o mais alto de todo o seu governo.

É no que dá, aparentemente, fazer denúncias de gravidade terminal, como assassinato em massa, e não mostrar com clareza a relação de causa e efeito entre a acusação e o fato. Em vez de prejudicar, a denúncia ajuda. Obviamente, pelo que mostram os números, a maioria das pessoas não está acreditando que Bolsonaro matou alguém, muito menos 180 mil pessoas — quem matou, no olhar da opinião pública, foi o vírus. Mais: se alguém matou alguém, foram os governadores e prefeitos que receberam da Justiça a exclusividade na gestão da epidemia. Quando se juntam as palavras “covid” e “Bolsonaro”, a primeira reação da mídia é falar em “genocídio”; na opinião pública, a primeira ideia que ocorre é o auxílio emergencial de R$ 600 por mês.

Nada disso, pelo jeito, impressiona a oposição; em vez de fazer oposição de verdade, a começar pelo trabalho de demonstrar para a população por que seu governo seria melhor que este, os inimigos de Bolsonaro insistem em apostar tudo na covid. Ou, então, em outras miragens como a perseguição dos índios, o massacre dos gays e os incêndios no Pantanal; dá muita primeira página, mas não dá voto, porque só acredita nessas coisas, no fundo, quem já está decidido a acreditar nelas. O fato é que, dez meses depois das primeiras mortes da epidemia, Bolsonaro tem uma aprovação muito maior do que tinha no começo. Num ano de desastre absoluto para qualquer governo, 2020 foi uma beleza para ele.

Leia também: “Uma seita chamada covid-19”, artigo de J. R. Guzzo publicado na Edição 39 da Revista Oeste

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

32 comments

  1. Até aqui, tudo bem… é como aquela piada do sujeito que pulou do 25º andar mas ainda não chegou em 2022, fazendo uma adaptação grosseira do caso. O grande problema será de agora em diante, ao se unir com figuras de proa do banditismo político para tentar, talvez fazer algo de mais significativo em seu governo de tapa-buracos. Não estou torcendo contra, muito antes pelo contrário, porém sem nenhuma paixão. Caso a situação continue como está, acabarei por ter que, mais uma vez, fazer um voto anti-qualquer outra assombração que aparecer por aí. Voilà.

      1. O maior problema são as fraudes das urnas eletrônicas, como aconteceu nos EUA é, com certeza, aconteceu aqui quando o TSE centralizou todo o 3escrutínio dos votos, e ainda levando em cl tá que essas urnas ferem os princípios jurídico e administrativo do voto.

      2. A esquerda assim como seus parceiros precisam aprender que não tolerados mais corrupção e muito menos corruptos. Encontrar pessoa com simplicidade honesta , patriota, somente com Deus no controle.

      3. A conversas ainda não chegou à cozinha, seu babaca inútil. E eu assisto aos filmes que me interessar e não nem um pouco preocupado com sua interpretação, seu palhaço. VSFDER!

      4. E que tem muita gente burra para compreender.

      5. É cara! Pelo visto é como merece ser chamado!
        Continue lamentando e tente escolher alguém melhor em 2022.
        Talvez da esquerda?
        Pare de lamentar, ou é direita ou lixo canhoto!

      6. Tds é culpa do presidente, será que ele tbm e culpado pelas tantas mortes em outros países? Em vez de culpar o Bolsonaro, vamos mandar bons fluidos para que ele consiga tirar o país da bagunça que está.

    1. Excelente matéria, Parabéns! Dentro dessa realidade que vivemos, o Presidente tem feito o mpossível, Com todos seus defeitos não vejo nenhum adversário a altura.

      1. Concordo. O que me preocupa é o voto eletrônico seguido da apuração centralizada no tse.

      2. Preocupa você, eu e mais uns milhões de pessoas que conseguem raciocinar, Luciano.

    2. Prezado Paulo Renato: Compreendo suas preocupações. Entretanto, no seu próprio comentário, encontro a razão para as mesmas: A falta de PAIXÃO. Sem essa condição, até eu, pensaria como você. Mas, ao contrário, MINHA PAIXÃO PELO GOVERNO BOLSONARO É TOTAL E IRRESTRITA. TENHO 70 ANOS, E SOMENTE AGORA, FINALMENTE ENCONTREI UM GOVERNO SEM CORRUPÇÃO !!! COISA MAIS FANTÁSTICA E QUE DEVERIA SER ORGULHO PARA TODOS NÓS BRASILEIROS. SER FESTEJADA E AMPLAMENTE DIVULGADA … PORÉM, A FALTA DESSA PAIXÃO SERÁ SEMPRE UMA CONDÇÃO SINE QUA NON, PARA COMPREENDER E ABRAÇAR A CAUSA !!!! #FECHADOCOMBOLSONARO …

  2. Guzzo mais uma vez demonstra lucidez na análise. De fato, a popularidade de Bolsonaro é arrasadora e ele é imbatível nas intenções de voto feitas de modo honesto. Contudo, a ingenuidade da análise futura está em não considerar o maior inimigo do país, o STF. Com um inimigo desses, q a cada dia esmaga o governo e q controla o sistema eleitoral, Bolsonaro não terá chance alguma contra qualquer um q se candidate contra ele. Se o sistema eleitoral lixo q temos não mudar, se o voto não for impresso Bolsonaro será garfado de modo escandaloso. Se fizeram isso com Trump, não farão com ele?

  3. “Quando se juntam as palavras “covid” e “Bolsonaro””, eu lembro:
    Bolsonaro tem razão. Bolsonaro tá certo, eu lembro:
    (1) da tentativa de Bolsonaro de barrar o avanço do vírus chinês… ainda lá em fevereiro quando ele decretou o estado de emergência: Foi publicado até na bosta da folha (eles achando que isso ia contra o nosso presidente e na época foi mesmo, os governadores chiaram por causa do carnaval, iam deixar de embolsar propinas)… https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/02/governo-decreta-estado-de-emergencia-por-causa-de-surto-do-coronavirus.shtml
    (2) da tentativa de Bolsonaro de usar a hidroxicloroquina como protocolo inical para salvar vidas… e a canalhada esquerdista caiu matando. Até proibiram o uso, até inventaram ataques cardíacos como efeitos adversos/colaterais, aé mataram várias pessoas em Manaus dando altas doses (doses cavalares) para “provar” que a hidroxicloroquina faz mal… (isso sim foi um genocídio, e o “consórcio da impressa” abafa o caso… ninguém fala nisso… Maquiaram como se fosse um estudo sobre “O grupo que usou alta dose de cloroquina apresentou taxa de letalidade 17% maior em relação ao que recebeu a dosagem mais baixa (13,5%)

    https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/04/11/estudo-feito-em-manaus-aponta-que-alta-dose-de-cloroquina-est-associada-a-mais-mortes.ghtml
    Pergunto: para que um estudo desses para um medicamento que tem mais de 70 anos de utilização e confirmada sua real eficácia? Para que usaram seres humanos para provar que as altas dosagem matam??????? Desgraçados.
    (3) Bolsonaro é contra a vachinação obrigatória. Com razão pois a vachina ainda não em comprovação científica e nenhum laboratório da vachina quer se responsabilizar pelos efeitos adversos…
    (4) Bolsonaro tem razão. Bolsonaro tá certo.

  4. Admiro Guzzo, pela coragem de ser um jornalista imparcial, escrevendo este artigo no desatinado Estadão, cuja diretoria de opinião em seus editoriais diariamente destilam ódio contra Bolsonaro e seu governo, e elogiam Maia e os notáveis do STF. Vale dizer que admiro também Carlos A. Di Franco, que nos da excelentes aulas de jornalismo, fazendo criticas quando necessário.
    Além dos editoriais, 99% de seus colunistas incendeiam diariamente os leitores com versões fakes e seus jornalistas com matérias depreciativas sobre este governo. Celebridades decadentes tucanas que no passado admirei, economistas, cientistas sociais, sociólogos e professores diariamente infestam o noticiário detonando o governo. Não é preciso admirar Bolsonaro e seu governo, mas reconhecer o que merece méritos. Só isso.
    Parabéns Guzzo,

    1. Antônio Neves, concordo plenamente, já estou cheia de xingamentos sem parar contra o governo Federal.Tem falhas?evidentemente que sim.Mas as qualidades as superam.Reclamam sem parar do comportamento do presidente, não é um lorde inglês e nunca será.Mas temos que esclarecer que a corrupção em âmbito federal não existe.Ministros trabalham e fazem o que podem pelo Brasil.As instâncias que nos atrapalham:STF,Câmara e Senado,vamos fazendo faxinas.

      1. Pois é Tereza, entendo que se não conseguirem CANCELAR o governo Bolsonaro até 2022, poderá sim haver manipulação nas urnas eletrônicas, dai a importância de democraticamente retomar a Lei do Voto impresso, que é a única forma de AUDITAR e se necessário RECONTAR a votação. Essa disputa será acirrada e poderá ser útil para qualquer dos concorrentes.
        Penso que, nossos notáveis juristas temem que o voto impresso desvende mistérios da urna eletrônica e por má fé, declararam inconstitucional por “violação do sigilo e liberdade do voto”. Lembro que o voto impresso é blindado e portanto não é levado para casa pelo eleitor. Serve para o próprio eleitor auditar seu voto, confirmar e seguira automaticamente para uma urna lacrada.
        Muito estranho é o Congresso não ter questionado essa declaração de inconstitucionalidade de Lei por eles aprovada, e também a imprensa em geral. Recentemente, Rodrigo Maia desdenhou o voto impresso para denegrir Bolsonaro. Até por isso, é necessário que o CENTRÃO dele não consiga a presidência da Câmara Federal.

  5. Neste momento, acho que o melhor a fazer é demonstrar publicamente o apoio a Bolsonaro através de manifestações de rua, combatendo os arroubos inconstitucionais do STF

  6. Não sou lulista nem bolonarista. Mas a matéria do jornal atingiu o alvo. Criticar faz parte do jogo político. Só que às vezes os comentários são injustos e o povo detecta a maldade. Sempre ouço que a equipe do governo é muito boa e o que atrapalha são os filhos do presidente e seu palavreado que causa confusões. Tem outro exemplo para a revista acompanhar é sobre o VACINA JÁ. Parece que a campanha é contra o governo, mas muita gente percebe que esse tipo de apelo deve ser encaminhado aos cientistas, laboratório e institutos de pesquisa que estão demorando para completar todas as fases técnicas da pesquisa com vacina. Além disto, a documentação para legalização também demora para ser entregue. Ou seja, a crítica mal feita está sendo dirigida indiretamente para quem está trabalhando muito para aprontar a vacina…

  7. Eu, minha família e os meus amigos estamos cada vez mais convicto em votar em Bolsonaro novamente em 2022, enquanto o governador de São Paulo fez de tudo para destruir a empresa na qual trabalho durante a pandemia, o presidente fez de tudo para que ela continuasse de portas abertas.

  8. Não existe religião sem Deus nem política sem Candidato!!!! Não adfianta denegrir o presidente, é preciso construir um candidato viável com propostas capazes de fazer frente ao que ele vem fazendo à frente do governo. A oposição está muito feliz em continuar chingando quer “derubar”, não “concorrer”!!!…

    1. CONSTRUIR UM CANDIDATO VIÁVEL??? COMO ASSIM ??? DESSE E NESSE PÂNTANO EM QUE VIVEM ??? PREFIRO QUE A “TAL OPOSIÇÃO” CONTINUE XINGANDO E TENTANDO DERRUBAR NOSSO CAPITÃO !!! #FECHADOCOMBOLSONARO …

  9. A política não só esquerdista, mas a adversária como um todo ao Bolsonaro, reluta contra um fenômeno chamado conservadorismo, essa é a palavra. Se pegarmos as três últimas décadas, veremos que os custumes, educação, Cultura e economia brasileira foram totalmente deturpadas, justamente por aqueles que detinham o poder sobre a comunicação, educação e dos cofres publicos, apostando em destruir as famílias por dentro, através de filmes e novelas, destruindo a educação com os métodos comunista de doutrina, e inchado a máquina estatal, onde o estado sustenta os pobres, mas deixa eles mais pobres ao cobrar mais impostos para sustentar a máquina, gerando assim mais pobres. Esse passado foi revelado agora pela internet, não nos foi revelado pelos jornais, mas por matérias e documentários que não são exibidos na Globo por exemplo. Ao se deparar com um governo avesso a isso, a população viu um futuro melhor no horizonte, e bancou a aposta, só que os que estiveram no poder nos últimos 30 anos não querem entregar a mudança do pais sem lutar, afinal, se o Brasil der certo, eles não voltarão mais, ou vão ter que se reinventar, mas para isso teriam que largar os ideais socialista, coisa que não o farão. Taí o resultado do fenômeno Bolsonaro. Quando me deparo com alguém que diz que ele só faz besteira, eu pergunto qual foi a besteira que ele fez contra o povo? E fatalmente a pessoa não sabe responder. Se confunde falar besteira com a ação, ele até hoje nao fez um ato contra o povo, não que eu saiba, mas falar besteira ele fala aos montes. Por isso, fico com a ação, não com o falar.

  10. Perfeita análise, porém fiquei em dúvida na frase: ” enquanto deixam passar, intacta, a boiada inteira dos erros, fracassos e disparates que seu governo de fato tem cometido.”

      1. Ao que parece de verdade, é que o Guzzo bandeou-se faz tempo. E agora fica somente lamentando não ter alternativa ao Presidente!

  11. Se o PR fosse mesmo um genocida, por que socorreria as pessoas com o AE de R$ 600,00? E derramaria bilhões para ajudar as pequenas,médias e grandes empresas? E por que gastaria também bilhões em insumos para combater a Covid-19?
    Mesmos os cidadãos mais comuns percebem essas inconsistências na crítica da oposição.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site