Alcolumbre afirma que sabatina de Mendonça será marcada depois de ‘amadurecimento político’

O Supremo Tribunal Federal cobrou explicações do senador
-Publicidade-
Indicado por Bolsonaro aguarda há quase três meses
Indicado por Bolsonaro aguarda há quase três meses | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Davi Alcolumbre, presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) do Senado, deu outra justificativa para o atraso da sabatina do ex-advogado-geral da União (AGU) André Mendonça, que deve ocupar a cadeira deixada por Marco Aurélio Mello no Supremo Tribunal Federal (STF).

“A votação de indicação de ministro para o STF merece ser precedida de um tempo de amadurecimento político que permita a galvanização das opiniões dos membros do Senado”, argumentou Alcolumbre, na quarta-feira 6, em documento enviado ao STF, ao mencionar “turbulências políticas”.

Em 12 de outubro, o “chá de cadeira” do ex-AGU vai completar três meses desde sua indicação pelo presidente Jair Bolsonaro. Alcolumbre se manifestou depois de a Corte pedir a ele que defina uma data para a sabatina de Mendonça, visto que os julgamentos no tribunal correm o risco de empate.

-Publicidade-

“Ainda que houvesse intenção direta em obstar a indicação, a atuação obstrutiva é instrumento legítimo do parlamento”, sustentou Alcolumbre.

Leia também: “O problema se chama Bolsonaro”, artigo de J.R. Guzzo publicado na Edição 80 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.