Alcolumbre culpa chefe de gabinete por ‘rachadinha’

Advogado seria operador de esquema, informa revista
-Publicidade-
Senador é acusado de suposto esquema irregular
Senador é acusado de suposto esquema irregular | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) do Senado, afirmou que desconhece a existência do caso de “rachadinha”, do qual seria comandante e beneficiário. Segundo o parlamentar, a parte administrativa de seu gabinete fica sob a responsabilidade de outra pessoa: o advogado Paulo Boudens. A informação foi publicada pela revista Veja nesta sexta-feira, 12, que revelou o caso envolvendo Alcolumbre.

Boudens é braço direito de Alcolumbre desde o primeiro mandato do congressista. A Veja, as funcionárias fantasmas que devolviam dinheiro ao senador admitiram que o esquema era operacionalizado por Boudens, visto que ele conduzia entrevistas de emprego, combinava salários e gerenciava cartões de banco. De acordo com a Veja, durante 17 anos Boudens gerenciou o gabinete de Alcolumbre e nada acontecia sem o aval do congressista.

A versão foi confirmada pela diarista Marina Ramos Brito. Admitida como assessora parlamentar, recebia R$ 14 mil, mas só ficava com R$ 1,5 mil. A mulher alega que tinha contato pessoal com Alcolumbre.

-Publicidade-

Leia também: “Quem governa esta droga?”, artigo de J.R. Guzzo publicado na Edição 85 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

14 comentários Ver comentários

  1. Prezado,

    É obrigatório, por lei, que o senado abra sindicancia ou processo administrativo para apurar esse envolvimento de servidores em rachadinhas.

    Pipo

  2. Alberto , você acha que um político que tem um chefe de gabinete por dezessete anos ,não sabe de ações e decisões tomadas por ele ,não são de seu conhecimento ? Clao que o Alcolumbre sabia e se beneficiava dessa rachadinha ! Isso é tradicional em Brasília e nos legislativos estaduais !

  3. O meliante alem de ladrão é burro, acabou de confessar o crime! Seu idiota, se o executor do roubo é seu subordinado direto a dezessete anos, isso faz de você o chefe da quadrilha, vai ser burro assim la no Amapá.

  4. Mas isso é mais do que lógico. Esses esquemas sempre funcionaram desse jeito, com um “quebra facas” realizando essas operações, consideradas sujas. Isso daí já é caso de cassação do mandato desse porco capado:
    Hei Alcolumbre, vê se te emenda / Desse jeito nego, nem o Pacheco não te aguenta/…

  5. Ficou muito pior na foto. Em vez de admitir rachadinha (que não é considerado crime), passou o recibo de incompetente por 17 anos, sem saber o que se passava debaixo de seu nariz.

  6. tic e tac, tic e tac…, bandidos, vão os dois pra cadeia, ops! estamos no Brasil do STF da vergonha né. Fica aqui registrado a minha esperança de um dia pelo menos irem para o inferno, canalhas, mil vezes canalhas!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.