Alcolumbre diz que pode derrubar veto de Bolsonaro ao PL das ‘fake news’

Jair Bolsonaro sinalizou nesta semana que poderia vetar o PL das fake news aprovado pelo Senado e que está em tramitação na Câmara dos Deputados
-Publicidade-
Alcolumbre é favorável ao PL das fake news | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Alcolumbre é favorável ao PL das fake news | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado | Bolsonaro fake news

Presidente sinalizou nesta semana que poderia vetar o PL das fake news aprovado pelo Senado e que está em tramitação na Câmara

Bolsonaro fake news
Alcolumbre é favorável ao PL das fake news | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que o Congresso poderá derrubar o possível veto presidencial ao Projeto de Lei 2630/2020 – apelidado de PL das fake news. Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro sinalizou que poderia vetar o projeto, caso ele passe pela Câmara dos Deputados.

-Publicidade-

“É prerrogativa do Congresso derrubar veto”, disse Alcolumbre ao ser questionado sobre o tema. Após a declaração ele não quis fazer qualquer comentário adicional sobre a sinalização do presidente. As declarações foram dadas nesta quinta-feira, 2, após a promulgação da PEC que adiou as eleições deste ano.

Alcolumbre é declaradamente favorável à matéria. Além dele, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também defende o projeto. Ambos atuaram diretamente para garantir que o texto fosse votado. Na Câmara, o projeto será relatado pelo deputado Felipe Rigoni (PSB-ES).

De acordo com o líder do Governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), qualquer orientação do governo dependerá da votação na Câmara. Ele também participou da cerimônia.

“Não faz sentido discutir agora, na própria votação do Senado houve uma série de destaques. Portanto, é possível que a Câmara mude o texto, que ele volte ao Senado. Afinal, isso não é um assunto fácil em lugar nenhum do mundo. Contudo, o projeto não está vinculado ao presidente Bolsonaro, para o Alcolumbre ou o Maia”, argumentou.

Veto

Na última quarta-feira,1, depois de o Senado aprovar o PL, Bolsonaro disse que acha difícil que o texto seja aprovado na Câmara mas que, “se for, cabe a nós (Executivo) a possibilidade do veto”. Ele também declarou ter conversado com um senador que teria “se confundido” ao votar o texto e especulou que esse pode ter sido o caso de outros parlamentares.

 

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. O Batoré pode tudo, ainda mais com o apoio dos “advogados” do STF. Ele só não pode tirar o cheiro do chiqueiro que impregnou o Congresso e o Judiciário.

  2. Vamos aguardar. O problema é que os acordos do governo com o centrão, inviabiliza a continuidade do Batoré e do Nhonho. Os próximos 6 meses serão complicados. Depois vem a bonança.

  3. Esse infeliz já é carta fora do baralho de Renan Calheiros, o crápula q atualmente representa o “mecanismo” no SENADO. Aquela raposa q sabe muito e tem muitos funcs públicos na “lapela”, gostaria de ver Fernando Bezerra tomando conta em fev/21, mas estrategicamente ñ bate o martelo, pq ñ quer pagar o preço que lhe estão pedindo . Aquele covil chamado SENADO Federal precisa implodir.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.