Alcolumbre já tenta conduzir sua reeleição para presidência do Congresso

Alcolumbre já tenta conduzir sua reeleição para presidência do Congresso
-Publicidade-
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); ele não votou, mas se mostrou um entusiasta da aprovação do PL das fake news | Foto: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); ele não votou, mas se mostrou um entusiasta da aprovação do PL das fake news | Foto: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO | davi alcolumbre - presidente do senado - projeto de lei das fake news - aprovação - pedro frança - agência senado

Para tentar sua reeleição no ano que vem, Davi Alcolumbre se coloca como opção para o governo e faz acenos ao Judiciário

davi alcolumbre - presidente do senado - projeto de lei das fake news - aprovação - pedro frança - agência senado
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) | Foto: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO

Integrantes do Legislativo veem como claras as intenções do presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para tentar a reeleição. No entanto, para conseguir o feito, o democrata depende de alguns acordos.

-Publicidade-

Em relação ao governo, Alcolumbre tem se apresentado como opção para manter o equilíbrio entre o Executivo e o Legislativo. Diante disso, ele ameniza as crises entre os senadores e o presidente Jair Bolsonaro.

“Ele atua como um bombeiro e sempre se coloca na linha de frente para que o Senado solucione os problemas do Congresso com Bolsonaro”, comentou um líder da oposição ouvido por Oeste.

Além disso, Alcolumbre conta com a vantagem de que o governo não teria um nome para o posto dentro do Senado. “Hoje o governo não conseguiria um acordo para ter um nome da sua inteira confiança para a presidência”, contou um aliado do governo na Casa. Apesar disso, ele sinalizou que “tudo pode mudar até o final do mandato de Alcolumbre.

O mandato de Davi Alcolumbre à frente da Presidência do Senado Federal vai até 31 de janeiro de 2021. Em tese, Davi não poderá concorrer à reeleição em fevereiro do ano que vem, pois a Constituição proíbe a recondução dentro da mesma legislatura. No entanto, o democrata busca mudar esta possibilidade.

Justiça

Uma das alternativas seria mudar o regimento interno do Senado. Alcolumbre poderia conseguir um aval para sua candidatura através da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. No entanto, a medida poderia ser questionada na Justiça.

Para isso, Alcolumbre tem se aproximado do Supremo Tribunal Federal (STF). Como Oeste mostrou, o presidente do Senado tem feito diversos acenos aos ministros da Corte. Entre eles, Alcolumbre deixou a discussão da CPI da Lava Toga na gaveta e não fala em pautar pedidos de impeachment contra os ministros.

“Os acenos de Alcolumbre ao STF são claros. Ele quer tentar uma reeleição para a presidência do Congresso. Então qualquer manobra no regimento pode ser alvo de petições na Justiça”, adiantou um líder que se declara como independente.

 

 

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.