Ao STF, Lira afirma que impeachment seria ‘solução extrema’

Presidente da Câmara defende derrubada de ação que fixa prazo para análise de pedidos de afastamento do presidente
-Publicidade-
Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, voltou a rechaçar a abertura de um processo de <i>impeachment</i>
Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, voltou a rechaçar a abertura de um processo de impeachment | Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Em manifestação encaminhada nesta sexta-feira, 15, ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), voltou a frustrar os opositores que sonham com a abertura de um processo de impeachment contra Jair Bolsonaro.

Lira pediu à Corte que rejeite uma ação apresentada pelo PDT que estabelece um prazo para que o comandante da Câmara analise os pedidos de impeachment já protocolados na Casa. Segundo o parlamentar, o impedimento de um presidente da República é sempre uma “solução extrema” e não deve ser banalizado.

Leia mais: “Lira descarta impeachment: ‘Nenhum tipo de condição política’”

-Publicidade-

“Não há que se falar em prazo determinado em sede constitucional para que denúncia por crime de responsabilidade imputada ao presidente da República seja examinada pela presidência da Câmara dos Deputados”, escreveu Lira no documento enviado ao STF. Para ele, “uma ordem judicial não poderia substituir-se à decisão legislativa em análise envolvendo o mérito das denúncias por crime de responsabilidade”.

Leia mais: “AGU: STF não tem de pressionar Lira por impeachment de Bolsonaro”

“Ao passo que qualquer cidadão é parte legítima para formalizar denúncia contra o chefe do Poder Executivo Federal, a mera deflagração do processo na Câmara dos Deputados, consideradas as potenciais consequências para o país e para as instituições democráticas, já é suficiente para produzir um efeito paralisante em relação a todos os outros temas de elevado interesse público”, completou.

Leia também: “Manifestações fortaleceram Bolsonaro e esvaziaram impeachment, diz Van Hattem”

O relator do caso no Supremo é o ministro Kassio Nunes Marques.

Leia também: “Lira rebate governadores: ‘A Câmara está a favor dos governados’”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Pequntar que nåo quer Calar. Se o Presidente Bolsonaro não se Reelege de acordo com as Pesquisas data Mortadela. Porque os Vagabundos Esquerdahas, vivem tentando tirar na marrar o Presidente Bolsonaro na Marrar.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.