Após 5 dias de protesto, caminhoneiros deixam Esplanada e PM libera vias

Acesso à Praça dos Três Poderes continua fechado
-Publicidade-
Vista aérea da Esplanada dos Ministérios em Brasília | Foto: Ana Volpe/Agência Senado
Vista aérea da Esplanada dos Ministérios em Brasília | Foto: Ana Volpe/Agência Senado

A Esplanada dos Ministérios, em Brasília, voltou a ser liberada para trânsito nesta sexta-feira, 10. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, ainda há alguns caminhoneiros no local, mas, eles estão saindo voluntariamente e a área deve estar totalmente desocupada até o final do dia.

A Esplanada foi palco de cinco dias de protestos a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro e contra o Supremo Tribunal Federal. A liberação ocorre dois dias antes de manifestações convocadas pelo Movimento Brasil Livre (MBL) pelo impeachment de Bolsonaro. O acesso à Praça dos Três Poderes continua fechado.

Leia mais: “Carta de Bolsonaro ‘colocou tudo de volta aos trilhos’, diz Guedes”

-Publicidade-

“A área central de Brasília permanece sob monitoramento da Secretaria de Segurança Pública”, informou a secretaria por meio de nota. “O objetivo é garantir a segurança de todos que circulam na região. O policiamento permanece reforçado”, completou.

Reunião e nota de Bolsonaro

Líderes do “Movimento Brasil Verde Amarelo”, um dos grupos que organizaram as manifestações de 7 de Setembro, divulgaram um vídeo nas redes sociais em que anunciam a saída da capital federal. A mensagem foi divulgada na noite de ontem, após reunião com Bolsonaro.

“A palavra de ordem agora é a seguinte: vamos nos manter em vigília nas nossas bases. Nós que estamos aqui em Brasília vamos voltar para as nossas cidades”, afirmou Jefferson Rocha, diretor jurídico da Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra (Andaterra) e um dos porta-vozes do Movimento Brasil Verde Amarelo.

O apoiador de Bolsonaro afirmou que não viu como um recuo a nota divulgada pelo presidente. “O que muitas pessoas veem como um recuo, nós estamos encarando, depois dessa reunião com o presidente, como um passo estratégico em uma medida que será tomada e que vai restabelecer no nosso país o Estado de Direito, que é o que almejamos”, disse.

Com informações do Estadão Conteúdo

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro