Após morte de senador, Lira decide restringir circulação na Câmara

Medida valerá no plenário, comissões e dependências do prédio
-Publicidade-
Presidente da Câmara, Arthur Lira | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Presidente da Câmara, Arthur Lira | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Diante do agravamento da pandemia, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), decidiu restringir, nesta quinta-feira, 18, por duas semanas, a presença física de parlamentares e funcionários nas dependências da Casa.

A medida foi anuncia pouco após a morte do senador Major Olimpio (PSL-SP), vítima da covid-19. Ele estava internado desde o dia 2 de março no Hospital São Camilo, na capital paulista, e no dia 5 de março foi transferido para uma unidade de UTI.

-Publicidade-

Leia mais: “Pacheco lamenta morte de Major Olimpio e decreta luto”

As restrições valerão no plenário, comissões e dependências do prédio. “A Câmara funcionará com o mínimo de servidores necessário para o funcionamento virtual das sessões”, afirma nota.

Na semana passada, o Senado também adotou medidas restritivas. As sessões do plenário estão acontecendo apenas de forma retoma.

Leia nota na íntegra

“O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, decidiu restringir, por duas semanas, a presença física dos parlamentares e funcionários no plenário, comissões e dependências da Casa. A Câmara funcionará com o mínimo de servidores necessário para o funcionamento virtual das sessões. A medida é necessária diante do agravamento da pandemia.”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.