Após polêmica em currículo, Planalto espera que Decotelli peça demissão

Ministro da Educação cogita pedir demissão após início conturbado no governo. Inconsistências em currículo pesam na decisão
-Publicidade-
Carlos Decotelli vai assumir o MEC no lugar de Abraham Weintraub | Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Carlos Decotelli vai assumir o MEC no lugar de Abraham Weintraub | Marcello Casal Jr/Agência Brasil | MEC Congresso

Ministro da Educação cogita pedir demissão após início conturbado no governo provocado por inconsistências em seu currículo

MEC Congresso
Carlos Decotelli cogita pedir demissão no Ministério da Educação | Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O ministro da Educação, Carlos Decotelli, pode estar com os dias contados no governo. No Palácio do Planalto, espera-se que ele peça demissão ainda nesta terça-feira, 30. Inclusive, dizem que ele chegou à Presidência da República nesta tarde para entregar a carta de demissão.

-Publicidade-

A saída de Decotelli está relacionada a inconsistências em seu currículo. O ministro passou os últimos dias se defendendo após ser revelado que ele não tem título de doutorado na Universidade Nacional de Rosário, na Argentina. Também foi revelado que ele não concluiu pós-doutorado na Bergische Universität Wuppertal, na Alemanha.

Outra suspeita recai sobre um suposto plágio em sua dissertação de mestrado na Fundação Getúlio Vargas (FGV), fato que o ministro nega. Ele também aponta ter sido professor da instituição, mas a FGV comunicou que ele não faz parte do quadro de professores efetivos.

Constrangimento

Todas as inconsistências geraram um constrangimento dentro do governo, mas não a ponto de o presidente Jair Bolsonaro cogitar demiti-lo. A ideia discutida no Planalto é que Decotelli assuma o desgaste sozinho e peça a demissão.

Assim, alguns nomes anteriormente especulados voltam, agora, a ser ventilados. A exemplo do secretário de Educação do Paraná, Renato Feder. É um nome que agrada alguns aliados do governo. Outros cotados são a secretária de Educação Básica, Ilona Becskeházy, e o secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.