Após visitar Fux, Doria afirma que será combativo a Alckmin se ele estiver com Lula

Para o governador, caberá à opinião pública julgar a possível associação entre Alckmin, que deixou o PSDB hoje, e o petista
-Publicidade-
Governador de São Paulo, João Doria, e presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux | Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF
Governador de São Paulo, João Doria, e presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux | Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), fez uma visita ao Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira, 15. Ele se encontrou com o presidente da Corte, Luiz Fux, e com o ministro Luís Roberto Barroso.

Segundo veículos de imprensa, ele foi tratar prioritariamente de temas ligados à saúde e à pandemia, entre eles a liberação da CoronaVac para crianças. A assessoria do Supremo divulgou fotos dos encontros.

-Publicidade-

Depois, o pré-candidato à Presidência da República falou com a imprensa e disse que será adversário de Geraldo Alckmin se ele disputar a eleição de 2022 na chapa do ex-presidente Lula (PT).

Alckmin anunciou hoje sua desfiliação do PSDB. Pelas redes sociais, o agora ex-tucano disse que vai informar seus próximos passos “em breve”. Cotado para ser vice de Lula, ele já recebeu convites de filiação do PSB, PSD e Solidariedade.

“Eu serei adversário de Lula e circunstancialmente de Geraldo Alckmin. Se ambos fizerem uma chapa para disputar a Presidência, eu, como pré-candidato, estarei em outro campo, do lado contrário”, disse Doria.

O tucano continuou: “Respeito se essa decisão for consolidada pelo ex-governador ao lado do ex-presidente Lula, mas serei combativo não só em relação a Lula e, se estiver ao seu lado, ao ex-governador Geraldo Alckmin. Serei educado, como sempre fui, mas combativo”.

Ele avaliou que, se Alckmin confirmar o movimento de se tornar candidato a vice-presidente de Lula, terá de explicar a decisão para a opinião pública.

“Não cabe a mim fazer análise se essa aliança é estranha ou não. Mas alguém que durante 33 anos combateu o PT e repentinamente se associa ao PT, a classificação são vocês que devem fazer e a opinião pública também”, afirmou.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. Estranho é essa esquerda fabiana querer se passar por centro ou centro direita.
    Sempre foram e sempre serão as “tesouras” mancomunados com a petralhada.

  2. “Eu serei adversário de Lula e circunstancialmente de Geraldo Alckmin. Se ambos fizerem uma chapa para disputar a Presidência, eu, como pré-candidato, estarei em outro campo, do lado contrário”, disse a Doriana.
    Hummmm…como a boneca está vingativa com seu criador…estará em outro campo, hein? De que jeito, boneca? Mas deve estar assim tão nervosinha porque talvez contasse com a companhia de chapa do Capiroto de Garanhúns, o Nove Dedos, como vice, é claro!

  3. Encontro de perdedores!
    Se eu fosse um ministro só STF me resguardaria deste encontro. Doria será lançado nas próximas eleições diretamente numa ETE- ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO- saindo na peneira para o expurgo! Simplesmente pelo que fez.
    O ministro por força do status conjuntural já foi execrado pela sociedade. Tudo farinha do mesmo saco.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.