Bolsonaro, sobre voto verificável: ‘Vou continuar minha luta’

'Por que nós temos que concorrer nas eleições de 2022 sob o manto da desconfiança?', indagou o presidente
-Publicidade-
O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o voto verificável para as eleições de 2022
O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o voto verificável para as eleições de 2022 | Foto: Dieter Gross/Ishoot/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o voto verificável nesta quinta-feira, 12, ao deixar o Palácio da Alvorada. A proposta não atingiu o número mínimo necessário de votos para sua aprovação no plenário da Câmara dos Deputados.

Bolsonaro prometeu continuar se manifestando sobre o assunto, mas “com menos pressão”.

Leia mais: “Bolsonaro: ‘Não vai se confiar no resultado das apurações’ em 2022”

-Publicidade-

“Nós perdemos, mas o placar foi muito apertado. Por que nós temos que concorrer nas eleições de 2022 sob o manto da desconfiança? Eu quero eleições limpas, transparentes, eu quero o voto democrático”, disse o presidente em conversa com apoiadores.

Leia também: “Cúpula da CPI estuda pedir indiciamento de Bolsonaro por charlatanismo”

Bolsonaro voltou a criticar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, que se opôs ao voto verificável e atuou nos bastidores para barrar a proposta na Câmara. “Por que essa vontade do ministro Luís Roberto Barroso contra o voto ‘impresso’? Ele se reuniu com lideranças partidárias e, logo após a reunião, essas lideranças mudaram de lado. O que foi oferecido para eles? O que aconteceu?”, indagou o presidente.

“Vou continuar minha luta, com menos pressão, é lógico. Mas não podemos terminar as eleições no ano que vem sob o manto da desconfiança”, completou Bolsonaro.

Assista: “Uma Pergunta para J.R. Guzzo: O presidente Bolsonaro é um fascista, genocida?”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. É triste viver em um país em que se ignora a ciência estatística. Não precisa haver a impressão de 100% dos votos para atestar a confiabilidade do resultado. De outro lado, se constata que o TSE é parte no processo e, portanto, suspeito.

    O que precisa é realizar votação paralela em 2% das urnas eletrônicas (escolhidas aleatoriamente, por meios não eletrônicos, em cada zona eleitoral), no dia da eleição, com a utilização paralela da biometria do eleitor e com a filmagem da inserção simulada de uma votação, por entidades civis, para ver se bate com as informações do Boletim de Urna.

    O detalhamento deste procedimento pode ser verificado neste vídeo: youtu. be/ebVV0EldkOY

  2. A sociedade não pode deixar esse assunto morrer. Para o Sr. Presidente do Senado, ok, muito conveniente que fique por aqui.
    Mas para quem acredita num Pais decente, isso não acaba aqui coisa nenhuma.

  3. PRESIDENTE, sua motivação, sua perseverança, sua força, só pode vir de DEUS, prq eu nunca vi um homem lutar contra tudo e contra todos e não desistir. Parabéns, o povo nunca t deixará, nunca serás esquecido. FORÇA E HONRA 💪🏾🤝🏾👊🏾

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.