Câmara pode votar na segunda MP sobre crédito empresarial

A MP 944 cria o Programa Emergencial de Suporte a Empregos. União aportará até R$ 40 bilhões ao BNDES, que concederá crédito empresarial
-Publicidade-
O presidente da Câmara durante a votação do texto de MP dos sorteios | Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
O presidente da Câmara durante a votação do texto de MP dos sorteios | Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados | Deputados - MP - sorteios - televisão

A MP 944 cria o Programa Emergencial de Suporte a Empregos. União aportará até R$ 40 bilhões ao BNDES, que concederá crédito empresarial. Empresas poderão tomar empréstimos para custear suas folhas salariais durante a pandemia

Centrão- Deputados - MP - sorteios - televisão - crédito empresarial
Votação da MP 944 é importante para salvar empresas durante a pandemia | Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

A Câmara planeja votar nesta segunda-feira, 20, Medida Provisória (MP) 944/20, que concede linha de crédito para empresas pagarem a folha salarial em meio à crise do coronavírus. O texto foi aprovado pelos deputados no fim de junho e, agora, serão analisadas as emendas do Senado ao texto do relator, deputado Zé Vitor (PL-MG).

-Publicidade-

Chamado de Programa Emergencial de Suporte a Empregos, o mecanismo funcionará com repasses da União ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que será o agente financeiro do governo a título gratuito, ou seja, sem remuneração.

A sessão deliberativa virtual está marcada para as 15 horas. Uma das mudanças propostas pelos senadores estende o acesso ao crédito empresarial aos microempresários com renda bruta anual inferior a R$ 360 mil, mas diminui o teto para empresas de médio porte de R$ 50 milhões para R$ 10 milhões. Todas as receitas se referem ao ano de 2019.

Para empresas com faturamento maior que R$ 360 mil e até R$ 10 milhões, o crédito continua vinculado ao pagamento por quatro meses da folha de salários. No caso das empresas com receita igual ou inferior a R$ 360 mil, a emenda permite empréstimos de até 40% da receita anual e seu uso será livre, exceto para distribuição de lucros e dividendos entre os sócios. Outra emenda do Senado Federal diminuiu o repasse total de R$ 34 bilhões para até R$ 17 bilhões.

Com informações da Agência Câmara

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.