-Publicidade-

Câmara vota hoje PEC que recria o auxílio emergencial

Dispositivo será submetido ao segundo turno; estuda-se, ainda, os valores das novas parcelas
Número reduzido de pessoas receberá a nova leva do benefício
Número reduzido de pessoas receberá a nova leva do benefício | Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Câmara dos Deputados vota nesta quinta-feira, 11, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que viabiliza a retomada do auxílio emergencial. Já aprovada no Senado, a medida passou em primeiro turno nesta madrugada, e será retomada às 10h de hoje. O dispositivo também prevê mecanismos de controle em caso de descumprimento do teto de gastos públicos. Com a finalidade de custear o “coronavoucher”, R$ 44 bilhões serão liberados pelo governo federal. Estuda-se, ainda, os valores das novas parcelas, que devem ficar entre R$ 175 e R$ 375 — um número reduzido de pessoas será contemplado.

Durante a votação, os deputados tiraram da PEC o trecho que punha fim aos repasses obrigatórios de recursos a fundos, despesas e órgãos específicos, diferentemente da vontade dos técnicos do Ministério da Economia. No segundo turno, os congressistas deixarão de fora do texto os parágrafos que impedem progressões e promoções de carreira de servidores e agentes públicos. Dessa forma, mesmo em casos de emergência fiscal, o funcionalismo terá garantido o direito de promoção, recebendo aumentos salariais. Em contrapartida, a iniciativa privada teve reduzidos os seus rendimentos em meio ao surto de covid-19.

Leia também: “Renda mínima é bom para o Brasil?”, reportagem publicada na Edição 25 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.