-Publicidade-

Baleia Rossi não quer ‘impeachment’ como bandeira para chegar ao comando da Câmara

Deputado do MDB de São Paulo conta com apoio formal do PT
Baleia Rossi: sem compromisso de pautar 'impeachment' contra Bolsonaro
Baleia Rossi: sem compromisso de pautar 'impeachment' contra Bolsonaro | Foto: Luís Macedo/Agência Câmara

Candidato à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB-SP) não quer fazer da série de pedidos de impeachment já protocolados contra o presidente Jair Bolsonaro uma bandeira política para tentar conquistar votos entre seus pares. Ele falou sobre essa questão na noite da última segunda-feira, 25.

Leia mais: “Erundina acusa colegas do Psol de ‘fisiologismo’ e ‘barganha’”

“É atribuição do presidente da Câmara analisar esses pedidos [de impeachment]”, disse Rossi ao ser entrevistado no Roda Viva, programa da TV Cultura de São Paulo. “Não quero fazer do pedido de impedimento uma bandeira de minha candidatura. Mas a minha obrigação é analisar cada um dos pedidos à luz da Constituição”, prosseguiu o parlamentar e candidato a presidente da Câmara dos Deputados.

O posicionamento público de não garantir a aceitação de algum pedido de impeachment contra Bolsonaro desagrada ao PT, uma das legendas de esquerda que formalmente apoiam a candidatura de Rossi à presidência da Câmara. Há duas semanas, a deputada federal e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, ameaçou romper a aliança com o emedebista justamente por causa da falta de compromisso de pautar processos de impedimento do presidente da República.

Compromisso?

De forma indireta, Baleia Rossi sinalizou que a dirigente petista estaria mentindo. Durante o Roda Viva, ele afirmou que o acordo com a sigla não envolveria aceitação automática para pôr para o plenário da Câmara dos Deputados decidir a aprovação ou a rejeição da admissibilidade de pedido de impeachment contra Bolsonaro.

“O compromisso que nós fizemos não só com o PT, mas com todos os partidos do bloco da esquerda, foi de analisar cada um dos pedidos [de impeachment]”, declarou Rossi, que em 2016 votou “sim” pela admissibilidade do processo de impedimento de Dilma Rousseff. Meses depois, a petista perdeu o mandato.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Esse peso pesado apoiado por corruptos que afundaram o País, promete aos psolistas e mafiosos de plantão ENFERNIZAR a vida do meu querido e honesto Presidente.
    Com base em que Ele promete? Bossal, ficará sozinho.
    A esquerda radical vem descendo pelo ralo há muito tempo.
    Só a imprensa que não tem mais dinheiro fácil e funcs públicos corruptos apoiam esse cara! Não que o Lira seja dons bons, mas certamente já sabe que dará ouvidos ao povo que compõe as casas legislativas. A era do boicote acabou, tenham a certeza!!!

  2. Arregou, pediu penico. Quer evitar um vexame, pois a onda virou pro lado do Lira. DEM e até Psol com Lira. Qua quá quá Maia, tens 3 dias ainda.

  3. São muito parecidos, igual ao Botafogo (Tal Pai, Tal Filho), todos farinha do mesmo saco e apodrecidas…Vem com discurso do bem, quando entram, mudam para lado do mal, é só olhar quem os apóia…

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês