-Publicidade-

Disputa pela Mesa Diretora da Câmara terá PT X PT

Partido ficará com a segunda-secretaria, mas três deputados estão na briga
Por vaga na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, petistas brigam com petistas
Por vaga na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, petistas brigam com petistas | Foto: Divulgação/PT/Edição no Canva

A eleição para escolha dos integrantes da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados será realizada a partir das 10h desta quarta-feira, 3. Serão definidos os dois vice-presidentes e os quatro secretários que irão acompanhar o presidente Arthur Lira (PP-AL) no comando da Casa pelo próximo biênio. Após acordos entre líderes partidários, alguns dos postos já estão definidos. Para outros, no entanto, haverá disputa. Inclusive, a sessão contará com briga interna no PT.

Leia mais: “Bia Kicis vai presidir a CCJ, comissão mais importante da Câmara”

Pelo acerto, o Partido dos Trabalhadores, maior bancada da Câmara com 54 deputados federais, ficará com a segunda-secretaria, parte responsável pela entrega de medalhas e premiações e da gestão dos passaportes diplomáticos dos parlamentares. O acordo entre líderes não ocorreu dentro na legenda. Para o cargo, Marília Arraes (PE) foi oficialmente indicada. Contudo, outros dois petistas registraram seus nomes para disputar, de modo avulso, a mesma função: João Daniel (SE) e Paulo Guedes (MG).

A definição de agora mostra o PT um grau abaixo na hierarquia da Mesa Diretora. Anteriormente, estava definido que o partido, aliado de Baleia Rossi (MDB-SP), ocuparia a primeira-secretaria da Câmara. A função é chamada de “prefeitura” da Casa, uma vez que é responsável por ações de cunho administrativo e financeiro. Entretanto, a legenda não registrou a sua candidatura a tempo — o que fez Arthur Lira, já na condição de presidente, anular essa composição.

Os outros cargos

Com o acordo anunciado pelo site da Câmara dos Deputados, a base de sustentação da vitoriosa candidatura de Arthur Lira à presidência formará maioria na Mesa Diretora. Integrante do bloco alinhado ao congressista do Progressistas de Alagoas, Marcelo Ramos (PL-AM) será o primeiro-vice-presidente. Também pró-Lira, o PSD terá a segunda-vice-presidência, com três de seus deputados na disputa: o oficial da bancada, André de Paula (PE), e os avulsos Delegado Éder Mauro (PSD) e Júlio Cesar (PI).

Antes prevista para ficar com o PT, a primeira-secretaria cairá nos braços do PSL, que também compôs o bloco de Lira. Só ainda não se sabe com quem, pois há briga interna. Presidente nacional do partido e responsável por tentar levar a legenda para a campanha de Baleia Rossi, Luciano Bivar (PE) acabou sendo o indicado. Ele terá de superar a candidatura avulsa de Léo Motta (PSL-MG).

De todas as funções titulares da Mesa Diretora, a terceira-secretaria é a única a não ter um partido definido. Isso porque Rose Modesto (PSDB-MS) foi o nome escolhido a partir da reunião de líderes. Mas dois deputados do PSB lançaram candidaturas avulsas. Cássio Andrade (PA) e Júlio Delgado (MG) vão tentar tirar a tucana da cadeira. Enquanto isso, Rosângela Gomes (Republicanos-RJ) ficará com a quarta-secretaria.

Suplentes

Além dos titulares, a Secretaria da Câmara dos Deputados conta com quatro suplentes. Para essa parte, estão na disputa os seguintes parlamentares: Alexandre Leite (DEM-SP), Eduardo Bismarck (PDT-CE), Gilberto Nascimento (PSC-SP), Marcelo Nilo (PSB-BA) e Bibo Nunes (PSL-RS). Além deles, outros dois congressistas que disputam a terceira-secretaria aparecem na lista: Rose Modesto e Cássio Andrade.

Leia também: “O novo Congresso”, reportagem publicada na edição 45 da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês