Carla Zambelli: Bolsonaro ‘nunca quis nenhuma ruptura’

Para deputada, presidente estendeu 'bandeira branca' ao STF, e carta à nação 'esfriou a temperatura' e esvaziou atos da oposição
-Publicidade-
A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) acredita que o presidente Jair Bolsonaro baixou a temperatura da crise entre os Poderes
A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) acredita que o presidente Jair Bolsonaro baixou a temperatura da crise entre os Poderes | Foto: Cláudio Marques/Futura Press/Estadão Conteúdo

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que acompanhou na noite de segunda-feira 20 a pré-estreia de Nem Tudo Se Desfaz, novo documentário do cineasta Josias Teófilo, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro conseguiu baixar a temperatura da crise política e institucional com a Declaração à Nação, divulgada no dia 9 de setembro — dois dias depois das manifestações de apoio ao seu governo, no feriado da Independência.

Em entrevista a Oeste, a parlamentar disse acreditar que o gesto do chefe do Executivo representou uma “bandeira branca” hasteada em direção aos demais Poderes, principalmente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais: “Josias Teófilo: ‘Chegou a hora deste governo dar o devido valor à cultura’”

-Publicidade-

“O presidente nunca quis nenhuma ruptura. Se você remontar a história e pegar as manifestações dele, ele já disse que teria de dialogar com o centro, porque não seria um ditador. A carta mostra que Bolsonaro quer o diálogo, quer a harmonia entre os Poderes, defende a liberdade de expressão e de opinião, o direito de ir e vir e a liberdade de crença”, afirmou Zambelli.

“Ele está tentando ao máximo estabelecer essa harmonia entre os Três Poderes. Agora, estamos vivendo um período em que Bolsonaro e os bolsonaristas estão com bandeira branca e estamos aguardando um gesto dos outros Poderes.”

Indagada, então, se acreditava em um gesto por parte da Suprema Corte, a deputada limitou-se a responder: “Espero que sim”.

Leia também: “‘Senhor Alexandre de Moraes, eu não tenho medo você’, afirma Carla Zambelli”

Atos da oposição

Zambelli também comentou a manifestação do dia 12 de setembro organizada por setores da oposição liderados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem Pra Rua. O evento teve baixa adesão e, segundo a parlamentar, praticamente sepultou as chances de êxito da chamada “terceira via” nas eleições de 2022.

Entrevista: “Josias Teófilo: ‘Não precisa ser de direita para tentar entender por que Bolsonaro foi eleito’”

“Antes do dia 12, eu achei que ele [Bolsonaro] tivesse perdido um pouco de apoio. Depois do dia 12, comparando as duas manifestações, a gente vê que, mesmo com eles juntando toda a base contra Bolsonaro, não só fizeram uma manifestação completamente ‘mixada’ como também o PT teve a inteligência de tirar o corpo fora na hora certa. Eles [petistas] tiraram o corpo fora depois da carta. Eles viram que a carta esfriou a temperatura daquela polarização”, avalia.

“Depois do dia 12, fico bem tranquila de saber que não existe terceira via. Mesmo somadas todas as terceiras vias possíveis, não há apoio popular”, completou Zambelli. 

Leia também: “O recado das ruas exige liberdade”, reportagem de Silvio Navarro e Cristyan Costa publicada na Edição 77 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.