Cármen Lúcia cobra governo, sobre suposta ajuda a Flávio

Abin e GSI teriam produzido documentos para orientar a defesa do senador no caso das "rachadinhas"
-Publicidade-
Ministra mandou o caso para o plenário | Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF
Ministra mandou o caso para o plenário | Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF | Cármen Lúcia

Abin e GSI teriam produzido documentos para orientar a defesa do senador no caso das “rachadinhas”

Cármen Lúcia
O ministro do GSI, Augusto Heleno, garantiu que os tais documentos são inexistentes
Foto: Rosinei Coutinho//STF

A ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia cobrou explicações do governo federal. A juíza deu 24 horas para que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) prestem informações acerca de supostos relatórios de caráter duvidoso. Os documentos teriam sido produzidos para orientar a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso das “rachadinhas”, conforme noticiou a Revista Época. De acordo com a matéria, a papelada contém pistas de como encerrar o imbróglio jurídico.

-Publicidade-

Segundo a magistrada, o caso “é grave” e o tribunal tem entendimentos consolidados que proíbem o uso de órgãos públicos para fins pessoais. Em nota conjunta, a Abin e o GSI informaram que vão “aguardar a notificação e responder dentro do prazo estipulado”. O ministro do GSI, general Augusto Heleno, garantiu que os tais documentos são inexistentes. O diretor-geral da Abin, Alexandre Ramagem, pediu à Advocacia-Geral da União que apresente uma interpelação judicial contra a reportagem da publicação do Grupo Globo.

Leia também: “Além de Flávio, rachadinha na Alerj abarca PT e outras siglas”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários

      1. E vai sobrar quem para nós apoiarmos? O Brasil é complicado. Não vamos nos precipitar.

  1. Quando Gilmar Mendes ficou indignado com a receita federal bisbilhotando o sigilo das contas de sua esposa e pediu a PGR e STF que investigasse esses vazamentos, não observamos Carmem Lucia preocupada com a INTELIGENCIA do STF e da PGR indicando os vazadores da receita.
    Mas se é um SENADOR filho do PRESIDENTE da República, ela fica preocupada com quem dedou os criminosos da receita. Que estranho PODER dos PODERES é esse?
    Confesso que estou preocupado com as INVASÕES dos poderes JUDICIÁRIO e LEGISLATIVO no governo Bolsonaro, dai, entendo muito importante que a boa imprensa apoie e divulgue a necessidade do VOTO IMPRESSO, porque nas eleições de 2022 em disputa acirrada, as urnas precisam ser AUDITADAS e se necessário, a pedido de qualquer concorrente, APURADOS os votos impressos. Qual o problema? Voto impresso é LEI, não tem PARTIDO e servirá para qualquer candidato que se sentir lesado. Vale dizer que o STF recentemente declarou inconstitucional essa Lei por “violação do sigilo e liberdade do voto”, não lendo sequer que ele é blindado, não é levado para casa pelo eleitor, e segue automaticamente para uma urna lacrada. Que falsa interpretação dos NOTAVEIS foi essa?
    Curiosamente conforme pude observar em entrevista ao Estadão Rodrigo Maia, debocha do VOTO IMPRESSO e portanto jamais questionaria o STF sobre a inventada inconstitucionalidade.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro